terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Modelo apontada como anoréxica posa para Oscar de La Renta

A top que atualmente ocupa o posto de número três no mundo, a americana Karlie Kloss, foi escolhida para a campanha verão do estilista Oscar de La Renta.




A morena, 20 anos, posou para Craig Mc Dean com roupas de plumas, mais volumosas, que lhe conferiram formas mais avantajadas do que as exibidas na edição de dezembro da Vogue italiana, na qual Karlie levantou comentários como sua magreza excessiva e possível caso de anorexia.



O editorial de 18 páginas foi clicado por Steven Meisel e ao mesmo tempo que tentava destacar as formas bem definidas da modelo, deixaram à mostra costelas, braços muito finos e cintura mínima.



Na temporada de verão, Karlie Kloss também posou para as campanhas do estilista Elie Saab, para a divisão de beleza da Christian Dior e para a marca Free People. No ano passado, ela entrou para o time das Angels da Victoria´s Secret.


fonte: http://moda.terra.com.br/noticias/0,,OI5567996-EI1119,00.html acesso em 31 de janeiro
 


Consulta minuciosa ajuda a identificar contra-indicações para plástica


Exames podem evidenciar a presença de doenças ou fatores que comprometem a segurança da cirurgia. ...

O número de cirurgias plásticas realizadas no Brasil não para de crescer. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), em 2009 foram 629 mil intervenções, em 2010 o número passou para 720 mil e a estimativa é que em 2011 tenha ocorrido um aumento de 10% na quantidade de operações plásticas concretizadas. “As pessoas perderam o medo e a vergonha, por isso quem ainda não fez uma plástica certamente vai, no mínimo, pensar sobre esta possibilidade”, afirma o cirurgião plástico Alderson Luiz Pacheco.

Somente no consultório de Pacheco mais de 180 pacientes encararam o bisturi para alterar a forma física de alguma parte do corpo. Ao todo foram 248 cirurgias plásticas realizadas em 2011, com uma média de 20,67 intervenções e 15,17 clientes por mês. Os números apontam que alguns pacientes fizeram mais de um procedimento no mesmo tempo cirúrgico. “Atualmente é comum aproveitar para realizar várias cirurgias no mesmo dia, sempre levando em consideração o estado físico do paciente e o porte da cirurgia”, observa .

Do total de plásticas realizadas no Brasil a SBCP calcula que aproximadamente 73% tenham objetivos estéticos e 27% reparadores. Independentemente da finalidade da cirurgia, o paciente passa por uma série de exames e avaliações que podem habilitá-lo ou não a ir para o centro cirúrgico. “Qualquer ato cirúrgico provoca um trauma ao organismo e o indivíduo está sujeito as consequências do procedimento. Além disso, para que a cirurgia seja bem sucedida o estado de saúde deve ser o melhor possível”, explica o médico, membro da SBCP.

As primeiras consultas ao cirurgião plástico são destinadas a conhecer o corpo e a mente do paciente. A conversa com o médico deve ser franca e dúvidas, medos e expectativas podem ser esclarecidos. “Eu preciso saber qual a motivação para a intervenção, quais resultados são esperados após a cirurgia e o grau de comprometimento com as exigências da operação, como as alterações na alimentação e nos hábitos de vida”, ressalta Pacheco, que atua na Clínica Michelangelo de Cirurgia Plástica, localizada em Curitiba.

As limitações físicas também influenciam na estratégia adotada para a realização da intervenção cirúrgica, na recuperação após a operação e nos resultados. Uso de medicamentos, doenças e hábitos nocivos à saúde – entre eles o consumo de álcool, tabagismo e o sedentarismo – entram na lista de análise do cirurgião. “A partir dos dados obtidos nos primeiros exames é possível verificar a presença de patologias que possam impedir ou contra-indicar a cirurgia. Em alguns casos é preciso equilibrar o estado do corpo para então o paciente ser liberado”, aponta.

Excesso de peso e altos índices de colesterol e açúcar no sangue são exemplos de fatores que precisam ser controlados antes da operação, pois há alteração nos aspectos endrócrinos e metabólicos do organismo. “Quando há fatores que indicam um risco potencial maior do que os benefícios que a cirurgia pode trazer ao paciente a intervenção é contra-indicada. O médico é responsável por identificar se uma doença já existente pode piorar ou se haverá o comprometimento dos resultados da plástica devido ao estado de saúde do paciente”, destaca o médico.

A avaliação pré-operatória identifica as situações que podem contra-indicar a cirurgia e o médico tem como missão atuar para que estes problemas possam ser solucionados, sem prejudicar a saúde do paciente, e a operação possa ser realizada com segurança. “Quando necessário é indicado um trabalho em conjunto com outros profissionais da área da saúde, como nutricionistas e endocrinologistas, para garantir o bem estar de quem se submete a cirurgia plástica”, acrescenta o especialista, mestre em Princípios da Cirurgia utilizando o laser.
Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715) Cirurgião Plástico Site: http://www.alplastica.com/

fonte: http://www.pautas.incorporativa.com.br/a-mostra-release.php?id=6734 acesso em 31 de janeiro



A inserção da mulher no universo cultural do esporte






por Silvana Goellner

A história das mulheres no universo cultural do esporte brasileiro é marcada por rupturas, persistências, transgressões, avanços e recuos. Desde meados do século XIX, elas se fazem presentes nas arenas esportivas como espectadoras e praticantes. No entanto, é a partir das primeiras décadas do século XX que essa participação se ampliou e consolidou.



Com a independência do Brasil, a chegada de imigrantes europeus e a propagação dos ideais higienistas, esse contexto gradativamente começou a se alterar, em especial para as mulheres da elite, visto que tinham maior acesso aos bens culturais, à escolarização e às novidades advindas do continente europeu, dentre as quais, a prática da ginástica e de algumas modalidades esportivas tais como o turfe, o remo, a natação, a esgrima, o tênis, o arco e flecha e o ciclismo.



.

Ciclista, Porto Alegre, 1896. Fonte: Centro de Memória do Esporte – UFRGS

Por certo que a presença de mulheres exercitando-se fisicamente se traduzia como uma novidade nesse tempo, pois sob a égide do romantismo na literatura, as imagens associadas às mulheres brasileiras eram imagens românticas. Mulheres lânguidas e gráceis, portadoras de gestualidades comedidas e delicadas, cuja educação estava voltada, prioritariamente, para o casamento e a maternidade. Essa imagem, mesmo que fosse bastante divulgada na literatura e em outros espaços sociais, não perdurou por muito tempo. Os médicos, em especial, os higienistas, iniciaram a proclamar os benefícios que o exercício físico trazia para as mulheres proporcionando-lhes melhores condições orgânicas não só para enfrentar a maternidade mas, inclusive, para embelezá-las. A prática esportiva passou a ser identificada, também, como um espaço de exercício de sociabilidade, cuja adesão colocava em evidência atitudes e hábitos pertinentes a um modo moderno e civilizado de ser.
É necessário lembrar, ainda, que nos primeiros anos do século XX a população brasileira era composta, majoritariamente, por negros escravos ou descendentes. Essa composição étnica se tornou alvo de diferentes intervenções em nível nacional cujos objetivos estavam direcionados para o refinamento da raça visto que os negros eram considerados como seres inferiores. Baseados na teorização darwinista de que a atividade física atuava no robustecimento orgânico e, portanto, no aprimoramento da espécie, buscava-se uma educação corporal e esportiva que, pautada por um estatuto científico e ao mesmo tempo moral, estivesse articulada à medicina e às normas jurídicas fortalecendo a raça branca – ideal imaginário de um povo ameaçado pela mestiçagem.

Partida de Tênis – Clube Atlético Paulistano, 1918. Fonte: Museu da Imagem e do Som.

Médicos, intelectuais, militares, dirigentes políticos, professores, instrutores de atividades físicas se integraram a esse projeto e, através da especificidade de sua intervenção no plano social e educacional, não pouparam esforços para consolidá-lo. Das várias ações desenvolvidas em prol deste fortalecimento, destaca-se uma delas: o fortalecimento do corpo feminino, pois acreditava-se que a regeneração físico-moral de uma população só se completaria se o aprimoramento físico também se estendesse à mulher, identificada então como “a célula-mater da nação”.
Esse argumento figura no primeiro livro escrito por um autor brasileiro sobre educação física e esporte para mulheres, publicado no ano de 1930, no qual se lê:

Nunca será demasiado encarar a importância do esporte para a mulher. Quanto mais nos aprofundarmos nos estudos tendentes a efetivar a eugenia da raça, nas pesquisas destinadas a solucionar os problemas relativos à saúde humana, a dar ao homem e à mulher o máximo de sua eficiência física para a vida, mais nos compenetramos da importância capital da Educação Física feminina. É mister que nos convençamos da verdade irrefutável desse dogma – a mulher precisa de esporte! Precisamos identificar a mulher com a prática racional dos exercícios físicos, educá-la para uma compreensão elevada dessa forma salutar de atividade que, tanto contribui para a conservação de sua saúde e de sua beleza, para a manutenção de sua mocidade e de sua eficiência (RANGEL SOBRINHO, 1930, p. 21).

Nesse contexto a imagem da mulher maternal, bela e feminina revela um desejo produzido e expresso pelo imaginário social de um país que identificava na mulher um elemento importante para a sua modernização. Juventude, beleza, ousadia, disposição, saúde, perseverança, dedicação, prudência, representavam virtudes possíveis de serem conquistadas diante a participação das mulheres em diferentes espaços sociais, dentre eles, aqueles nos quais se realizavam as atividades físicas e esportivas.

Essa “nova mulher” ao mesmo tempo que mostrava-se como uma figura inovadora era, também, observada como alguém que desestabilizava a representação da mulher romântica voltada para a família, o recato e a honra. A prática esportiva, o cuidado com a aparência, a mudança de atitude, o desnudamento do corpo, o uso de artifícios estéticos, conferiam a essa imagem novos contornos externando, como possíveis, outras experiências que não apenas aquelas valorizadas como integrantes de sua “natureza”.




.



Uma delas: não sei como ela tem coragem de usar um malliot tão indecente. Fonte: Revista de Ed. Physica, n. 45, agosto de 1940



.



Enfim, para além das questões nacionalistas de fortalecimento do corpo feminino, a inserção da mulher no esporte não resulta apenas desse investimento. Deve ser observada não como uma concessão mas como uma conquista de diferentes mulheres para as quais o esporte representava, também, um espaço de visibilidade não apenas como espectadora ou co-participe de uma aparição, mas, fundamentalmente, como sua principal protagonista. Ainda que o discurso da maternidade sadia e do aprimoramento da raça fosse marcadamente produzido e reproduzido não foi apenas em seu favor que o as mulheres aderiram à sua prática: ele sinalizava novos tempos diante dos quais o arcaico confinamento das mulheres no interior do espaço privado simbolizava falta de cultura e de civilização. O esporte modernizou a mulher!



Para refletir:



Se nos primórdios da história do esporte no Brasil a participação das mulheres restringia-se quase que predominantemente a assistência e ao acompanhamento de seus maridos e familiares, na atualidade, ela é infinitamente mais ampla e diversificada: as mulheres deixaram de ocupar apenas o espaço de espectadoras para tornarem-se, também, praticantes, atletas, técnicas, gestoras, árbitras, comentadoras,…
.http://historiadoesporte.wordpress.com/2012/01/28/a-insercao-da-mulher-no-universo-cultural-do-esporte/
acesso em 31 de janeiro





.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Próteses de silicone TiBreeze também apresentam problemas

O Instituto Federal de Medicamentos e Dispositivos Médicos alemão (BfArM), órgão equivalente à Anvisa no Brasil, comunicou à Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica problemas nas próteses de silicone da marca TiBreeze. Segundo a entidade, os implantes teriam sido fabricados pela empresa alemã GFE Medizintechnik GmbH, mas preenchidos na França pela empresa PIP com silicone industrial.


Tendo em vista as novas informações, as autoridades do país recomendaram que mulheres que tenham próteses dessa marca retirem os implantes mamários mesmo sem sinais de rompimento, assim como já havia sido feito com as marcas PIP (francesa) e Rofil (holandesa).

A empresa afirmou que foram produzidas 728 próteses, distribuídas na Bélgica, Itália, Finlândia, África do Sul, Suíça, Inglaterra e Áustria. A companhia afirma, no entanto, que a maioria dos implantes foi vendida no mercado interno.
http://www.midiamax.com/noticias/784582-proteses+silicone+tibreeze+tambem+apresentam+problemas.html

Brasil vaidoso e o vigor do mercado das cirurgias plásticas

No ano passado, aproximadamente 300 mil brasileiros recorreram ao bisturi. O país foi o segundo em quantidade de intervenções plásticas, ficando atrás apenas dos norte americanos. Esse dado é da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP); que afirma ter triplicado o número de intervenções estéticas nos últimos anos somente no Brasil.

A explicação para o aumento da procura se dá ao fato de as cirurgias estarem mais baratas (variam de R$ 2 mil a R$ 8 mil) e muitas clínicas até parcelam o pagamento. Outro fator que implica no crescimento é a busca cada vez mais cedo dos jovens pelos procedimentos.
Existe outro dado de extrema valia nesses números; o total de homens que procuraram um cirurgião subiu de 5% para 30%. Em recente entrevista para o Fantástico, o empresário Eike Batista assumiu que havia feito plástica. O empresário fez a cirurgia mais procurada pelos homens, aquela que levanta a pálpebra. A cirurgia de papada, a lipoaspiração de abdome e o micro-implante capilar (para resolver o problema da calvície) também estão na lista dos mais procurados.
Entre as mulheres, as cirurgias de mama sempre foram as líderes na procura. Antes elas diminuíam; nos últimos dez anos, a moda é aumentá-los. Lipoaspiração e rinoplastia (no nariz) completam a lista.

Mas alguns cuidados devem ser adotados depois de tomada a decisão de operar. Antes de entrar na sala de cirurgia, deve-se escolher muito bem o cirurgião, checar se ele é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, fazer os exames pré-operatórios corretamente e avaliar as condições da clínica e do material utilizado, como as próteses, por exemplo, que devem ter qualidade de procedência. Escolher um bom profissional e seguir os conselhos dele é o principal fator para alcançar o tão desejado corpo perfeito.
http://grupomajela.com.br/index.php/noticias/ultimas-noticias/62-brasil-vaidoso-e-o-vigor-do-mercado-das-cirurgias-plasticas
 SE VOCE GOSTOU DESSA NOTÍCIA, ENTRE NO SITE
TEM MUITO MAIS: PESQUISAS, ARTIGOS, VÍDEOS, ENTRE OUTRAS COISAS

sábado, 28 de janeiro de 2012

Brasileiros são os que mais consomem remédios para emagrecer na América Latina


27/01/2012 - 10h32

Da redação do jornalextra.com.br

Com informações da Agência Brasil



Os brasileiros são os latino-americanos que mais consomem remédios para perder peso, segundo levantamento da empresa especializada em pesquisa de consumo Nielsen Holding. O estudo, que analisou várias regiões além da América Latina, mostra que 12% dos brasileiros usam emagrecedores. A média de consumo de emagrecedores na região é 8%. Na Venezuela e no Peru, apenas 4% recorrem a esse tipo de medicamento.



Os brasileiros também são os mais insatisfeitos com a silhueta. Cerca de 43% dizem estar um pouco acima do peso e 16% dizem estar acima do peso. Apenas 30% se mostram satisfeitos com o peso atual. A insatisfação dos brasileiros está acima da média mundial. De acordo com o estudo, 53% das pessoas no mundo dizem estar um pouco acima do peso.



Os colombianos, por outro lado, são os mais contentes com a aparência – 44% consideram o seu peso satisfatório e 38% dizem estar um pouco acima do peso. A média de satisfação na América Latina é 37%. O estudo mostra ainda que 50% dos brasileiros tentam atualmente perder peso de alguma forma. Desses, 76% apelam para a mudança na dieta e 64% dizem estar fazendo exercícios.



O estudo mostra também que 52% dos latino-americanos não entendem nada ou apenas parte das informações nutricionais contidas nas embalagens dos alimentos.A pesquisa da Nielsen Holding ouviu 25 mil pessoas, por meio da internet.

http://www.jornalextra.com.br/portal/blog/2012/01/27/brasileiros-sao-os-que-mais-consomem-remedios-para-emagrecer-da-america-latina/acesso em 28 de janeiro
 
SE VOCÊ GOSTOU DESSA NOTÍCIA E QUER SABER MAIS, ENTRE NO SITE www.selmafelerico.com.br 
LÁ TEM MUITO MAIS, PESQUISAS, PALESTRAS, ARTIGOS. ENFIM: ENTRE, COMENTE, DIVULGUE
 
 

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Pacientes desconhecem direitos sobre cirurgia da prótese de silicone


Os pacientes que possuem próteses de silicone nas mamas serão rastreados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). A entidade desenvolveu o Cadastro Nacional de Implantes Mamários, que receberá dados dos cinco mil cirurgiões plásticos associados da SBCP. O banco de dados terá informações sobre os cirurgiões, pacientes e números de série e lote e marca das próteses usadas. Será possível detectar o estado, a cidade, o médico que fez o implante, o motivo da cirurgia e, em caso, de troca, a razão para isso.


A criação do cadastro deve-se à polêmica em relação às próteses mamárias da marca Poly Implant Prothèse (PIP). Desde março de 2010, quando irregularidades na produção das próteses foram detectadas pela agência sanitária francesa, sucessivas denúncias e queixas foram registradas contra a empresa, no mundo todo, o que levou a companhia à falência.

"E desde as primeiras notícias sobre a venda e o implante de próteses feitas com silicone industrial, um sentimento de insegurança tomou conta das pacientes. As pacientes se sentem no meio de um bombardeio, de uma enxurrada de notícias", afirma o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada. O grande interesse pelas mamoplastias de aumento tem a ver com a evolução das próteses de silicone, desde que surgiram na década de 60, e das técnicas cirúrgicas, nos últimos tempos. As grandes pesquisas sobre o assunto começaram na década de 70 com o intuito de tornar os resultados mais naturais. Mas os estudos decisivos aconteceram nos anos 80 e 90, quando o formato e a textura dos implantes foram aprimorados.

Outro problema com as próteses da PIP seria a maior chance de ruptura deste material, o que levou às autoridades francesas a recomendarem que as 30 mil pacientes no país retirem suas próteses, após consultar os médicos em que confiam ou com quem fizeram os implantes.

De acordo com as autoridades francesas, os eventos adversos registrados com os implantes PIP acontecem duas vezes mais do que a média de outras próteses mamárias. "Normalmente, as complicações mais freqüentemente observadas em relação aos implantes de silicone são a contratura capsular, a reoperação e a remoção do implante", informa Ruben Penteado da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Ao todo, cerca de 300 mil implantes PIP foram vendidos no mundo. No Brasil, de acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), órgão oficialmente responsável pelo registro do referido implante. A comercialização das próteses PIP foi suspensa em abril de 2010.
http://www.jornalabcreporter.com.br/noticia_completa.asp?destaque=17606 acesso em 25 de janeiro

Excesso de vaidade faz mal à saúde masculina, diz pesquisa

Michelle Achkar


A aura de excesso de confiança e vaidade que demonstram alguns homens não é positiva ao bem-estar do corpo. Isso porque pessoas no perfil, na verdade, sofrem com excessos de preocupações, provavelmente relacionadas à tentativa de manter essa aparência o tempo todo.

A constatação é de uma pesquisa da Universidade de Michigan nos Estados Unidos, publicada pelo jornal britânico Daily Mail. "Ao mesmo tempo que há uma percepção grandiosa de si mesmo, há uma visão pessoal muito frágil e que leva a estratégias como a agressão quando o sentido de superioridade é ameaçado", explica o co-autor da pesquisa, David Reinhard.



Homens extremamente narcisistas sofrem de pressão arterial alta, altos níveis de cortisol (hormônio do estresse), mesmo em momentos de relaxamento. Em alguns casos, depressão e transtornos de personalidade.



Os especialistas explicam que o excesso de vaidade aciona o circuito do estresse no corpo de maneira crônica. Já nas mulheres, as consequências não foram verificadas.



Para chegar às conclusões, foram entrevistados 106 homens e mulheres, enquanto foram feitos testes de pressão e de saliva para medição de hormônios no corpo. O levantamento não associou níveis saudáveis de narcisismo com problemas de saúde.



A pesquisa reforça dados descobertos em estudos anteriores que apontam que os narcisistas pensam ser felizes e desfrutar de alta auto-estima, enquanto na verdade convivem com sentimentos de insegurança e infelicidade.



Ponto a Ponto Ideias


Fonte: http://vidaeestilo.terra.com.br/homem/interna/0,,OI5574270-EI12827,00-Excesso+de+vaidade+faz+mal+a+saude+masculina+diz+pesquisa.html acesso em 25 de janeiro

Fisiculturista afirma ter medo de fazer plástica de novo

Jodie Marsh, fisiculturista inglesa de 33 anos, revelou à heat magazine o pesadelo pelo qual passou no pós-operatório de sua cirurgia para aumentar os seios, aos 29 anos. De acordo com o tablóide inglês The Sun, a modelo teve problemas com a cicatrização da pele na região da incisão, algo que ela só notou sete dias depois da operação.




O problema se agravou e os pontos começaram a sair, deixando o corte aberto e a região exposta. "Meus seios pareciam que iam explodir, foi muito doloroso", disse ela à publicação. Para piorar, a ferida demorou a fechar - Jodie contou que passou um ano sofrendo com dores e basicamente de cama, em depressão, por conta disso.



Hoje, a modelo diz que ficou traumatizada com a situação e tem muito medo de voltar à mesa de cirurgia, mesmo que para amenizar a cicatriz dos seios (eles ficaram marcados por conta de tudo pelo que ela passou). Além disso, ela afirmou que isso afetou sua auto-estima, dificultando seus relacionamentos.



Com o corpo cada vez mais musculoso, Jodie afirmou à revista que gostaria de mudar a aparência dos seios, que não parecem mais naturais. Mas a ideia é totalmente descartada pelo medo de novas complicações. "As pessoas deveriam se conscientizar de que qualquer implante nos seios pode se transformar em uma história de horror", disse.


fonte: http://beleza.terra.com.br/noticias/0,,OI5575284-EI7484,00.html acesso em 25 de janeiro

Vigilância fiscaliza clínicas e consultórios médicos


Objetivo é verificar se médicos estão utilizando as próteses de silicone proibidas pela Anvisa


Equipes da Vigilância Sanitária da Capital em parceria com a Vigilância Sanitária Estadual começaram nesta semana, operação de fiscalização nas clínicas de cirurgia plástica e consultórios médicos de cirurgiões plásticos. O objetivo é verificar se o silicone produzido pela marca PIP (Poli Implante de Próteses), condenado pela Anvisa, ainda é utilizado pelos médicos nas cirurgias de prótese mamária.


A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), informa que serão vistoriadas oito clínicas de cirurgia plástica e aproximadamente 40 consultórios de cirurgiões plásticos na Capital. Na primeira fiscalização, realizada ontem (23), foram visitados quinze estabelecimentos entre consultórios e clínicas.




“Por enquanto, não encontramos nenhuma irregularidade nesta operação de fiscalização. A sanção para o médico que ainda estiver utilizando o silicone condenado é a notificação do profissional e a apreensão da prótese. A multa, nestes casos, varia de R$ 100 a 15 mil reais”, esclarece Antonio Carlos dos Reis Cardoso, chefe do Serviço de Fiscalização de Medicamentos da Sesau.


fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/vigilancia-fiscaliza-clinicas-e-consultorios-medicos_139413/ acesso em 25 de jnaiero




Hospital particular esclarece que não faz troca de prótese de silicone

No último dia 11, ficou decidido que o SUS pagaria pela troca das próteses das marcas PIP e Rofil


25.01.2012
Atualizado em 25.01.2012 - 14:31



+A



fontehttp://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/hospital-particular-esclarece-que-nao-faz-troca-de-protese-de-silicone/ acesso em 25 de janeiro
Da Redação



O Hospital Português divulgou uma nota nesta quarta-feira (25) esclarecendo que ao contrário do que foi divulgado pelo Ministério da Saúde na última segunda-feira, a unidade hospitalar não realiza a troca das próteses mamárias das marcas PIP e Rofil pelo Sistema Único de Saúde (SUS).



“A inscrição realizada no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES, para cadastramento dos serviços atendidos por esta instituição filantrópica através do SUS, não habilita a mesma a realizar quaisquer procedimentos de cirurgia plástica por meio do SUS”, diz a nota. Por isso, o hospital não está contratualizado para realizar o procedimento pelo SUS.



Segundo a lista do Ministério da Saúde, em Salvador, estão aptas as seguintes unidades hospitalares: Hospital Aristides Maltez (Brotas), Hospital São Rafael (São Marcos), Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Canela), Hospital Santa Isabel (Nazaré), Hospital Ana Nery (Caixa D'Água), Hospital Eládio Lasserre (Cajazeiras II), e Hospital Dois de Julho (São Marcos).



No interior do estado, estão aptos: Posto Médico Arlinda Robatto (Alagoinhas), Hospital Manoel Novaes (Itabuna), Hospital Dom Pedro de Alcântara (Feira de Santana), Hospital Municipal de Porto Seguro, Fundação Pio XII (Juazeiro).



No último dia 11, ficou decidido que o SUS pagaria pela troca dessas próteses. Para isso, a paciente precisa ter algum sinal ou confirmação de ruptura da prótese. Para avaliar o risco de ruptura, a paciente pode procurar qualquer unidade de saúde do SUS.





Para homenagear São Paulo: 458 anos

Linda Pauliceia desvairada, a cidade que nasci, cresci, casei e escolhi para ter meu filho Pedro.


Sou uma paulistana , neta de italianos e portugueses, nascida na Barra Funda, filha de paulistanos, afilhada de paulistanos, casada com paulistano (pinheirense de coraçao), com 1 filh paulistano. E desde já peço desculpas por lotados de informações sore São Paulo, mas procurei fazer um exercício sobre minhas memórias afetivadas e registra um pouco do que esta cidade me deu:

Ressalto que sou de 12 de março de 1964, a partir dai o que lembro:

1. Barra Funda de Mario de Andrade, Inezita Barroso

2. Meu colègio de Santa Ines no Bom Retiro

3. Meu clube Palmeiras para aprender a Nadar e fazer Ginastica Olimpica

4. Biblioteca Monteiro Lobato para conhecer o Sitio do Picapau Amarelo

5. Domingueira , ou Mingau Dançante no Palmeiras

6. Domingo no Parque da Agua Branca

7. Almoço no Tropeiro

8. Depois do Palmeiras almoço na Cantina do Careca

9. Ingles no Senac da Francisc Matarazzo

10. Cursinho da Poli na Estação Tiradentes do Metro

11. ESPM no Bexiga

12. Cinemas no centrão

13. Gazeta, Gazetão e Gazetinha

14. Cine Belas Artes

15. Cine Biju

16. Liquidação do Mappin

17. Mesbla

18. Roupas na Zé Paulino

19. Bolsas na Benedito Calixto

20. Sanduiche de Mortadela do Mercadão

21. Capeletti do Gato que Ri

22. Frango do Balila

23. Banca de flores no Araça

24. Perdidos na Noite no Zacaro

25. Baile de Formatura no Pinheiros

26. Super Som TA

27. Semana da Criança no Anhembi

28. Feira daVila

29. Bauru no Ponto Chic do Largo Paissandu

30. Terremodo no Cine Comodoro

31. Tomar café no Aeroporto

32. Flores no Largo do Arouche

33. Doutor Scholl no Arouche

34. Relógios na Pajé

35. Fim de tarde na Pracinha do Por do sol

36. Domingo a tarde na Papagaios

37. Pipoca com queijo na praça do Relogio

38. Namorar no Mirante do Sumare

39. Racha na Ruben Berta

40. 5ª. feira dos solteiros no Tamatete

41. Punks no Rose Bom Bom

42. Cazuza no Radar Tan Tan

43. Titãs no Aeroanta

44. Ultrage a Rigor na Radio Clube

45. Padaria Colombo

46. Sambão em Moema

47. Choppe com Groselha no Mistinguete

48. Pizza Frita do Mistinguete

49. Chuleta no Pé pra Fora

50. Feijuca no Sujinho

51. Bar do Justus

52. Pastel da Maria

53. Esfiha do Paco

54. Dançar no Garitão

55. Dança de Salão no Club Roms

56. Dançar no Som de Cristal

57. Dançar no As de Ouro

58. Festival do FICO do Colegio Objetivo

59. Padaria dos Artistas no Sumare

60. Almoço com as Estrelas na Cantina Don Ciccillo

61.Holiday On Ince no Ibirapuera

62. Sopa de Cebola no Ceasa

63. Sears Agua Branca

64. Shopping Iguatemi – 1o. shopping de São Paulo

65. Varzea da Barra Funda

66. Carlos Gomes x Anhanguera

67.Passeio no Horto Florestal

68. Sanduiche de pernil do Estadão

69. Empadinha da 23 de maio

70. Discos em Vinil no Edgar

71. Jeans na Peter

72. Bota na Birello

73. Colação de Grau no Palacio das Convenções

74. Artigos para Festa no Palacio dos Enfeites

75. Salão do Automóvel p/ ver carro importado e modelos

76. Feira da UD – utensílios domésticos

77. Fenit – novidades na moda

78. Bienal

79. Praça Roosevelt

80. Festa da Achiropita

81. Festa de São Genaro

82. Festa de São Vito

83. Bolo do Armandinho

84. Jardim da Luz

85. Patio do Colégio

86. Igreja de São Bento

87. Rodízio de Pizza no Grupo Sergio (na hora da dureza)

88. Folia na Faria

89. São Silvestre

90. Banca de frutas da Cidade Jardim

91. Churrasquinho grego no Centro

92. Vão livre do Masp

93. Copam

94. Terraço Itália

95. Rodoviária Antiga – LUZ

96. Quermesse da Calvário

97. Biblioteca Mario de Andrade

98. Estátua do Borba Gato

99. Feirinha de artesanato na Praça da República

100. Lustres na Consolação

101. Móveis na Teodoro Sampaio

102. Fantasias de Carnaval na Ladeira Porto Geral

103. Eletrônicos na Santa Ifigênia

104. Ferramentas na Florêncio de Abreu

105. Bem Brasil na USP

106. Show na Choperia do Sesc Pompéia

107. Banca de Jornal do Pacaembu

108. Banca de Jornal da Praça Vila Boin

109. Padaria Barcelona

110. Doces na Brunella

111. Sorveteria Alaska

112. Padaria São Dimingos

113. Colégio Caetano de Campos

114. Escadaria do Objetivo na Paulista

115. Prainha de Paulista – na Avenida Paulista

116. Chorinho na Benedito Calixto

117. Instituo Butantã

118. Neve na rua Normandia

119. Natal na Paulista

120. Perna de Cabrito no Peruchão (in Memoriam)

121. Rã no Parreirinha (in memoriam)

122. Pátio do Colégio

123. Rua Avanhandava

124. Familia Mancini

125. Língua de Trapo no Lira Paulistana

126. Orvieto (in memoriam)

127. Cantina do Sargento

128. Bailes no Juventus

129. Desafio ao Galo

130. Comprar chapéu na Rua do Seminário

131. Ensaio na Rosas de Ouro

132. Vai-vai na Praça 14 Bis

133. Cantina do Piolim (in memoriam)

134. Boate Cave

135. Karaoke na Liberdade

136. Quadrinhos na banca do Bar Avenida (in memoriam)

137. Pixingunha no Bar Vou Vivendo (in memoriam)

138. Livraria Devir – Quadrinhos

139. Livraria Cultura na Paulista

140. Frans Café na Fnac de Domingo

141. Lasanha no La Sorella

142. Pizzaria Esperenza

143. Pizzaria do Moraes na Brigadeiro

144. Casamento na Nossa Senhora d Brasil

145. Festa de Santo Expedito – na Avenida Tiradentes

146. Dia 28 na Igreja de São Judas

147. Domingo a tarde no Joquei

148. Futebol no Pacaembú

149. Crematóro da Vila Alpina

150. Malhação de Judas na Rua Lavapés

151. Parque da Aclimação

152. Desfile do Sete de Setembro na Avenida Tiradentes

153. Plinio Marcos no Teatro Taib (in memorian)

154. 111 presos no Carandiru

155. Festas na Portuguesa

156. Bacalhau, Vinho e Companhia

157. Empanada ( Rua Wizard) – 1º passeio com meu marido

158. Comprar tecido n o CID

159. Casa da Banha na Lapa – para emagrecer

160. Rua das Noivas – Rua São Caetano

161. Carro Usado na Barão de Limeira (BOCAS)

162. Ponta de Estoque da Levis na Lapa

163. Carnaval do Arakan

164. Baile da 3ª. idade no Clube Piratininga

165. Sebo do Messias no Centro da Cidade

166. Sapataria do Eurico

167. Sapato do Spinelli

168. Feira da Liberdade

169. File do Moraes

170. Loja da China

171. Momumento das Bandeiras

172. Parque Trianon

173. Playcenter

174. Várzea do Glicério

175. Várzea do Nacional

176. Fuzili do Corintinha do Bom Retiro

177. 13 de junho na Barra Funda – Igreja de Santo Antonio









domingo, 22 de janeiro de 2012

Vai-Vai homenageará as mulheres no Carnaval de São Paulo 2012

Um ano após o Brasil ter a posse da primeira mulher presidente no país, Dilma Rousseff, a escola de samba Vai-Vai, campeã do carnaval de São Paulo em 2011, aposta nas mulheres como samba forte para o título deste ano.




Com o tema “Mulheres que brilham – a força feminina no progresso social e cultural do país”, a agremiação pretende mostrar como a evolução da história teve importantes características definidas pelo sexo feminino. “O objetivo deste tema é mostrar que ao longo da história a mulher mudou a sua maneira de ser na sociedade, exercendo papel de protagonista e decisivo no desenvolvimento social e cultural de nosso país e de todo o mundo”, explica o portal da entidade.



O samba também é inspirado no patrocínio da escola, uma empresa de produtos de limpeza. A ideia é trazer para a avenida a demonstração de que durante toda a história, as mulheres não foram só participantes, como também, protagonistas das transformações na sociedade


O samba também é inspirado no patrocínio da escola, uma empresa de produtos de limpeza. A ideia é trazer para a avenida a demonstração de que durante toda a história, as mulheres não foram só participantes, como também, protagonistas das transformações na sociedade.



“É um tributo que prestaremos a mulher, uma questão de razão e sensibilidade, um olhar pelos olhos dela, revelando que o Brasil não é só a terra da mulher que brilha, mas daquela que faz brilhar”, informa o site da escola.



A Vai-Vai desfilará no primeiro dia das apresentações, na sexta-feira, 17 de fevereiro, e será a quarta escola a entrar no Anhembi.



Veja mais detalhes sobre a preparação para o carnaval no site: www.vaivai.com.br.



Por Paulo Talarico



Pitanguy fala da polêmica dos silicones


20 de janeiro de 2012


Ivo Pitanguy - "Já somos por natureza muito exagerados" /Foto:
 Reprodução

Em meio à polêmica do silicone — a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica quer que todas as mulheres que usam a marca francesa PIP ou a holandesa Rofil sejam operadas para retirada da prótese —, o mestre Ivo Pitanguy prepara-se para presidir a 13ª edição do Simpósio Internacional de Cirurgia Plástica, que acontece em São Paulo, entre os dias 23 e 25, e reúne cerca de mil cirurgiões do mundo todo. No evento ele também fará uma conferência em que abordará o tema. “Não é preciso ter pânico. Não é porque algumas tiveram problemas que todas vão ter. O que acontece lá fora é também uma decisão política, pois o governo francês aprovou o uso dessas marcas”, diz ele, que concorda com a determinação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que só indica a troca se o implante se romper.

Não é hora de as brasileiras reavaliarem a febre do silicone? “Não é só aqui, lá fora também. Recentemente a população mundial atingiu a marca de sete bilhões de habitantes, ou seja, já somos por natureza muito exagerados”.



http://colunas.revistaepoca.globo.com/brunoastuto/2012/01/20/pitanguy-fala-da-polemica-dos-silicones/

28.11.2011 - 07h00

Supervisora trocava notas falsas em Viracopos para fazer cirurgia plástica



Jovem de 19 anos trabalhava no estacionamento do aeroporto. Ela foi presa após suspeita de gerente.

20/01/2012 - 11:09

EPTV

Alterar o tamanho da letra A+A-



A jovem de 19 anos, que foi presa em flagrante na tarde de quinta-feira (19) com cédulas falsas em um caixa do estacionamento do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, disse à polícia que guardava o dinheiro para fazer uma cirurgia plástica. Segundo o delegado Marco Antônio Evangelista, ela trabalhava como supervisora dos caixas e explicou que precisava passar pelo procedimento médico para reparar cicatrizes causadas por um acidente de moto.

As investigações começaram há dez dias quando o gerente do estacionamento percebeu o aumento no fluxo de cédulas falsificadas. A polícia passou a analisar todos os funcionários e constatou que durante o turno feito pela supervisora as notas eram repassadas. O prejuízo foi de R$ 700.

A jovem disse para o delegado que comprou as cédulas falsificadas no total de R$ 550 de um homem, pagando o valor de R$ 100. A supervisora foi encaminhada para a Cadeia Feminina de Paulínia, responderá pelo crime de moeda falsa e pode pegar de três a 12 anos de prisão. A polícia segue nas investigações sobre o caso para localizar o responsável pela venda das cédulas.

http://eptv.globo.com/campinas/noticias/NOT,1,1,389561,Supervisora+de+estacionamento+trocava+notas+falsas+no+Aeroporto+Internacional+de+Viracopos+para+fazer+cirurgia+plastica.aspx acesso em 22 de janeiro



Meryl Streep doa US$1 milhão ao Museu da História da Mulher



A atriz ganhou um Globo de Ouro por sua atuação em The Iron Lady

A recente ganhadora do Globo de Ouro, Meryl Streep, por seu papel em The Iron Lady, doou US$1 milhão - ao redor de R$1,8 milhão - ao National Women’s History Museum (Museu Nacional da História da Mulher), do qual é militante.

Sobre o apoio ao Museu, onde forma parte, ela comentou que o objetivo é fazer com que o National Women’s History Museum conte a história de todas as mulheres incríveis que ficaram esquecidas na história americana, 'principalmente porque essa história foi escrita pelos homens'.



"Achamos que a história da mulher precisa ser contada. Na história, existem milhões de relatos sobre mulheres que não conhecemos", expressou Meryl, que tem muitas possibilidades de ganhar um Oscar por essa recente produção, onde interpreta a ex-primeira ministra britânica Margaret Tatcher.



O filme é líder de bilheteria no Reino Unido desde a sua estreia, assim como em outros países europeus e na Austrália.



O Fuxico: O site que é referência sobre famosos. Notícias apuradas, sempre em primeira mão

disponível: http://ofuxico.terra.com.br/noticias-sobre-famosos/meryl-streep-doa-us-1-milhao-ao-museu-da-historia-da-mulher/2012/01/21-128775.html Acesso em 22 de janeiro

Estudo: homens ficam "bobos" apenas ao pensar em uma mulher



Fonte: http://vidaeestilo.terra.com.br/homem/interna/0,,OI5570022-EI14293,00-Estudo+homens+ficam+bobos+apenas+ao+pensar+em+uma+mulher.html  
acesso em 22 de janeiro


A ciência descobriu que a simples menção do nome de uma mulher pode fazer um homem ficar "bobo". Não é novidade de que o público do sexo masculino fica paralisado ao ver seios, quadris e o corpo como um todo da mulher. No entanto, cientistas afirmaram que apenas pensar nas curvas femininas provoca o efeito abobado nos homens. As informações são do YourTango.


O psicólogo Johan Karremans e o autor da pesquisa Sanne Nauts aplicaram um teste cognitivo básico em 71 homens e mulheres. Eles precisavam responder às perguntas via mensagem instantânea por um monitor, enquanto apareciam nomes de mulheres.


Enquanto as habilidades cognitivas das mulheres não foram afetadas, os rapazes falharam miseravelmente depois de terem visto um nome de mulher. A conclusão foi de que o cérebro masculino parou de funcionar em plena capacidade quando o homem leu "Amanda" ou "Natalie" na tela.

Avatares femininos e as redes sociais

Silicone adulterado pode virar bomba relógio




Sul Fluminense



No último dia 13, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou que o Sistema Único de Saúde (SUS) faça a remoção e a troca das próteses rompidas da marca francesa PIP e holandesa Rofil. A mesma decisão vale para os planos de saúde, que terão de oferecer cobertura total às pacientes. Autoridades francesas descobriram que as próteses possuem silicone industrial, o que provoca um maior índice de rompimentos e coloca em risco a saúde das pacientes que possuem o implante.
A produção desta reportagem contou com o auxílio dos internautas, que colaboraram sugerindo personagens, expondo opiniões e relatos através do espaço para comentários no site do DIÁRIO DO VALE.

A empresa PIP (Poly Implant Prothese) teve seu registro cancelado em 2010 quando as denúncias de fraude foram investigadas pelas autoridades francesas. A decisão de cancelar o registro da Rofil no Brasil partiu depois da constatação de que a empresa teria comprado material da PIP para fabricação de implantes de silicone. No Brasil, cerca de 25 mil próteses teriam sido utilizadas. Pelo menos 300 mulheres da região fizeram a cirurgia de aumento dos seios com o implante da marca francesa. E esses dados são de procedimentos feitos por apenas um médico, o cirurgião plástico Ozório Chaves. Ele informou quem vem fazendo um levantamento para obter esse número exato. O cirurgião contou que muitas de suas pacientes o procuraram para saber se há algo de errado com as próteses, e que tem tentado entrar em contato com as demais. O médico acredita que o ideal é que todos os implantes que apresentam maior risco de rompimento sejam removidos.
- A minha posição é que essas próteses sejam removidas e substituídas independente da ruptura ou não, pois a partir do momento que a paciente sabe que tem algo no seu corpo que pode fazer mal a qualquer momento, isso mexe com seu psicológico. Seria uma ação preventiva retirar a prótese antes que ela rompa e cause um problema maior. A Anvisa e a ANS, porém, viram que o mais grave é quando a prótese se rompe, e o tratamento tem que ocorrer de imediato - disse, acrescentando que ainda não ficou claro sobre que tipo de material foi utilizado para aumentar o volume das próteses. Para o cirurgião, deveria haver um estudo do mal que esse produto faz ao entrar em contato com o organismo diretamente.

- Ainda não há como precisar o tipo de mal que a ruptura de uma dessas próteses pode causar em contato direto com o corpo. Quando a prótese está íntegra não existe contato direto porque há uma cápsula própria do implante que envolve a prótese e impede o contato direto do silicone. Quando essa prótese está íntegra o paciente não corre nenhum risco. Como na PIP a incidência de rompimento é maior do que as outras, o paciente tem que ser observado mais de perto e terá que fazer ultrassom e ressonância magnética com mais frequência para ter isso bem monitorado - explicou, acrescentando que a proibição da marca no Brasil pegou a todos de surpresa, por se tratar de uma empresa que era referência na área e que todos os implantes, independente da marca, estão sujeitos ao rompimento, pois ao longo dos anos a cápsula protetora vai se tornando menos resistente.

Fernanda Sayão

Má qualidade: por conta do silicone industrial a protese
da marca PIP rompe com maior facilidade.
Anvisa divulga diretrizes
Na última quinta-feira, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou uma série de diretrizes e orientações sobre a retirada e substituição das próteses que só serão realizadas tanto pelo SUS quanto pelos planos de saúde diante de rompimento dos implantes. A agência informa que todas as pacientes com histórico de câncer serão submetidas à troca em cirurgia reparadora da mama. Porém, nos demais casos - ou seja, pacientes sem diagnóstico ou histórico de câncer de mama - os resultados dos exames físicos e de imagem é que indicarão a necessidade ou não de troca dos implantes mamários.
A agência ainda acrescenta que o procedimento de troca na rede pública deverá ser realizado, a princípio, pelo serviço de referência onde o procedimento inicial ocorreu. Em caráter excepcional, os pacientes que estiverem distantes do médico ou do estabelecimento que realizaram o implante poderão procurar um serviço de saúde ou um Centro de Especialidades do SUS mais próximo para avaliação e o devido encaminhamento. Na saúde suplementar, as operadoras de planos de saúde indicarão os serviços da rede credenciada, cooperada ou referenciada. O órgão comunicou que as diretrizes estarão sujeitas a alterações de acordo com nota técnica ou novas evidências.
A Anvisa orienta as pacientes que não conhecem o fabricante ou que não possuem mais o cartão que identifica a prótese utilizada no procedimento cirúrgico a procurarem se certificar da marca das próteses utilizadas. Se for detectado que se trata do silicone da PIP ou Rofil, exames para verificação de ruptura com o cirurgião responsável pelo procedimento deverão ser realizados. Caso a paciente não encontre o responsável pelo implante, deverá procurar o hospital onde a cirurgia foi feita e solicitar as informações do prontuário médico (disponível aos pacientes por até 20 anos).



Sem finalidade estética

Em Volta Redonda, a operadora de planos de saúde Unimed informou que apoia qualquer decisão tomada e que comprovadamente representam benefícios em saúde e qualidade de vida das pessoas, mas frisa que somente as mulheres com próteses de silicone das marcas PIP ou Rofil rompidas poderão fazer a retirada do implante com os custos cobertos pelos planos de saúde. No entanto, a colocação de um novo implante só terá cobertura das operadoras para mulheres que haviam se submetido a uma cirurgia de reconstrução da mama, indicada em casos de lesões traumáticas ou tumores, portanto, sem finalidade estética.
- A nossa única preocupação é que qualquer ampliação de cobertura dos planos de saúde leva ao aumento dos custos com a assistência médica, sem contrapartida financeira. Isso pode resultar em riscos para a atividade - disse Luiz Paulo Tostes Coimbra, presidente da Unimed Volta Redonda.
Procura por procedimento é grande na região

De acordo com o cirurgião plástico Ozório Chaves a procura por pacientes para fazer a cirurgia de aumento dos seios aumentou bastante nos últimos cinco anos - superando a lipoaspiração, antes classificada como o procedimento mais comum - e atualmente é equivalente a um terço de todos os procedimentos cirúrgicos que ele realiza. O médico ainda afirma que somente após o caso dos implantes adulterados as pacientes passaram a questionar mais sobre a procedência do silicone.



- Há alguns anos atrás o implante de silicone mamário representava apenas 20% dos meus procedimentos cirúrgicos. Hoje em dia é uma cirurgia muito procurada, pois são raras as complicações, as cicatrizes são pequenas e resultado estético é muito bonito. Sem contar que a anestesia é local e muitas vezes a mulher não precisa sequer ficar internada. E a recuperação é moderada, sem repouso absoluto e com duas semanas, normalmente, a paciente está voltando as suas rotinas diárias - falou.
O cirurgião afirma que hoje a variedade da idade das mulheres que o procuram para o procedimento é muito grande. São pacientes de 15 a mais de 60 anos. O médico afirma que o ideal é que a mulher já tenha atingido a maturidade. Chaves acrescenta que a idade mais comum é por volta dos 20 anos, e aconselha as mulheres que desejam engravidar logo a terminar a gestação para depois fazer o implante, pois durante e depois da gravidez os seios da mulher sofrem alterações. O especialista ainda esclareceu uma dúvida que aflige muitas mulheres na hora de optar pelo procedimento: a relação do câncer com as próteses de silicone.
- Essa teoria caiu por terra. A utilização de próteses de silicone foi proibida nos Estados Unidos em 1991 e, consequentemente, houve algumas limitações aqui no Brasil, pois não havia nenhum estudo que mostrasse a relação do câncer de mama com as próteses. Mas ao longo dos anos foram divulgados vários trabalhos mostrando que a incidência do câncer em mulheres com e sem o implante era a mesma. Para se ter uma idéia, a investigação do câncer se dá da mesma forma. A mulher coloca a prótese e continua essa investigação como antes. A única diferença é que a paciente tem que alertar a pessoa que for fazer o exame sobre a prótese durante a mamografia, já que a técnica utilizada é diferente - explicou. Ainda não foi encontrada relação entre o rompimento das próteses PIP ou Rofil e a incidência de câncer

Leia mais: http://diariodovale.uol.com.br/noticias/4,51747,Silicone%20adulterado%20pode%20virar%20bomba%20relogio.html#ixzz1kAy8V8oI
Fonte: http://diariodovale.uol.com.br/noticias/4,51747,Silicone%20adulterado%20pode%20virar%20bomba%20relogio.html#axzz1kAuiSCsn acesso em 22 de janeiro

Estresse provoca ganho de peso e afeta beleza da mulher



Médico destaca importância dos exercícios e diz que não há remédio para curar doença
..O estresse causado pela correria do dia a dia, sobretudo nas grandes cidades brasileiras, provoca ansiedade entre as mulheres, o que se reflete em ganho de peso e prejuízo à beleza feminina, explica o endocrinologista do Grupo Hospitalar Conceição, ligado ao Ministério da Saúde, Airton Golbert.
O estresse gera sentimentos como angústia, nervosismo, ansiedade e pressa, que são adicionados à rotina das mulheres. Essa conjunção de fatores pode provocar uma série de problemas no corpo feminino de acordo com o médico.
- A ansiedade, principalmente para as pessoas que têm uma tendência para engordar, acaba fazendo com que as pessoas comam mais. E como nos hábitos de vida moderna, cada vez a gente faz menos exercício físico, se a gente comer mais e não gastar calorias, nós acabamos acumulando isso sob forma de gordura e vamos aumentar de peso. Então, essa é uma das grandes consequências do estresse do dia a dia.

Em entrevista à rádio do Ministério da Saúde, o endocrinologista explica que, quando a mulher notar distúrbios relacionados ao estresse, é preciso reavaliar as tarefas diárias e consultar a opinião de um especialista.

- Essas mulheres, em primeiro lugar devem consultar um médico, acho que isso é importante. Fazer uma avaliação médica, e se for o caso, se causado simplesmente por estresse, aí nós temos que reavaliar como é que está funcionando a vida das pessoas.

De acordo com o especialista, não existe um medicamento capaz de curar o estresse. A melhor alternativa é diminuir o ritmo das atividades profissionais diárias e tentar se divertir quando houver um tempo livre.
http://noticias.r7.com/saude/noticias/estresse-provoca-ganho-de-peso-e-afeta-beleza-da-mulher-20120121.html
vamos viver mais e se preocupar menos

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Cirurgia de redução de mama tem maior taxa de complicações em mulheres mais velhas .

Márcia Wirth  .

Infecções são mais comuns em mulheres acima de 50 anos



Complicações após cirurgias de redução de mama, particularmente infecções, são mais comuns em mulheres com mais de 50 anos, relata um estudo publicado no Plastic and Reconstructive Surgery, jornal médico oficial da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos.



A taxa de complicações aumenta em mulheres mais velhas, provavelmente refletindo as alterações relacionadas à idade e aos baixos níveis hormonais, diz Michele A. Shermak, a responsável pelo trabalho, a pesquisadora do Instituto Médico Johns Hopkins, em Baltimore. E acima dos 50 anos, mais problemas são registrados após a cirurgia de redução de mama.



Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores avaliaram 1.192 mulheres submetidas à cirurgia de redução de mama entre 1999-2009. Os pesquisadores avaliaram as taxas e os tipos de complicações em três diferentes grupos etários: mulheres com menos de 40 anos, 40 a 50, e mais de 50.



Na análise, mesmo após o controle de outras condições médicas, a taxa de infecção foi 2,7 vezes maior para mulheres com mais de 50 anos, comparada com o grupo sub-40. Mulheres acima de 50 anos também tendem a ter uma taxa mais elevada de problemas de cicatrização, levando a uma maior taxa de repetição da cirurgia para remover as áreas de pele morta, chamada desbridamento.



Declínio dos níveis hormonais



“Estudos anteriores identificaram vários fatores de risco para o aparecimento das complicações, após a cirurgia de redução de mama, incluindo a obesidade, uma extensa redução de mama e o tabagismo. O novo estudo é o primeiro a concentrar-se especificamente sobre a idade como um fator de risco”, observa o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.



Os resultados sugerem um aumento da taxa de infecções e possivelmente outras complicações após a cirurgia de redução de mama em mulheres acima de 50 anos. O aumento do risco está provavelmente relacionado com o declínio hormonal típico da idade.



Ainda segundo os pesquisadores, as infecções tendem a ser menos comuns em mulheres que estavam fazendo terapia de reposição hormonal. Ao passo que a taxa de infecção apareceu mais elevada em mulheres que tinham sido submetidas à histerectomia ou ooforectomia (remoção dos ovários), procedimentos que levam a quedas acentuadas nos níveis hormonais.



“Os novos resultados sugerem que a idade pode agir como um ‘fator de confusão’ na avaliação do risco de complicações, após a cirurgia de redução de mama, especialmente em mulheres acima de 50 anos. Os níveis hormonais podem justificar uma atenção especial para este grupo”, defende Ruben Penteado.



Indicação da mamoplastia redutora



Muito além de ser apenas uma preocupação estética, muitas mulheres procuram a cirurgia por uma questão de saúde. O excesso de peso das mamas pode causar dores nas costas e até mesmo problemas de coluna. Há ainda aquelas que sofrem com assaduras na parte inferior do seio e com dores e machucados constantes nos ombros por causa da alça do sutiã.



“A cirurgia de redução de mama, também chamada de mamoplastia redutora, é altamente eficaz no alívio dos sintomas relacionados ao excesso de peso das mamas, tais como dor nos ombros, nas costas e no pescoço, problemas de postura e de compressão de alça do sutiã”, afirma o cirurgião plástico.



Segundo Ruben Penteado, que é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, quando o tamanho dos seios não agrada e incomoda, a paciente não deve se preocupar em estabelecer um novo tamanho desejado para os seios. "É papel do médico fazer simulações para que a paciente indique como gostaria que os seios ficassem e, na cirurgia, buscar este resultado. O que mais importa não é o quanto se deve tirar, e sim como será o resultado final. Tudo é pensado para proporcionar harmonia ao biotipo da paciente. Muitas vezes, temos de tirar quantidades diferentes de tecidos dos seios", explica o médico.



Entre as mulheres, há uma grande preocupação quanto à cicatriz deixada pela operação. Novamente, isso dependerá da técnica usada pelo médico, do tipo de mama e da quantidade de tecido a ser retirado. É possível deixar cicatrizes bem discretas, mas os especialistas alertam que a técnica empregada varia de caso para caso. "Usamos técnicas diferentes, já que as mamas das mulheres não são iguais. Sempre escolhemos a técnica que corrija a mama da melhor forma e tenha a menor cicatriz possível. Quanto mais glândula e pele tiverem de ser retiradas, maior será a cicatriz", explica Ruben Penteado.



Uma técnica muito utilizada é a que deixa uma cicatriz em torno da auréola, chamada periareolar. Em boa parte dos casos, a mama tem de ser suspendida e a auréola muda de posição. As cicatrizes podem ser ainda em forma de "T" invertido, na parte inferior da mama ou em formato de "L" e "I" .



“É importante saber que as cicatrizes passam por diversas fases de transformação até atingirem seu estado final. Então, é preciso controlar a ansiedade. Em geral, apenas depois de um ano pode-se observar o aspecto definitivo da cicatriz, quando ela se tornará mais clara e menos consistente”, informa o cirurgião plástico.

Bolsa-silicone”: mais uma estratégia para “enrolar eleitores resilientes”


Tomara que depois da “bolsa-silicone”, iniciativa através da qual o Governo Federal vai bancar a troca dos “silicones bichados” que foram usados pelas “dondocas”, com a intenção estética de “turbinar os seios”, dona Dilma, usando da prerrogativa de que é facílimo fazer “bondades” com dinheiro público (sabe aquele negócio de "dar bom-dia com o chapéu alheio"???), não tome gosto pela coisa e passe a obrigar os órgãos de saúde pública a financiar outras “perfumarias terapêuticas”, criando a “bolsa-implante de cabelo”, “bolsa-lipoaspiração”, “bolsa-lifting”, “bolsa-botox”, “bolsa-cirurgia de restauração de virgindade”, “bolsa-implante peniano”, “bolsa-cirurgia de reconstrução das pregas anais” e, quem sabe, até mesmo uma “bolsa-pílula azul”.



Na verdade, com essa “conversa mole” de vantagens para um “povinho ávido de levar vantagem em tudo”, tal como tem demonstrado ser o brasileiro médio, o governo petista tem se comportado exatamente como faziam os antigos coronéis nordestino, que trocavam o poder que exerciam sobre seus “vassalos”, por algumas “falaciosas vantagens”, a maioria das quais já eram direito do pobre coitado, mas que o “manda-chuva” manipulava cinicamente, partindo do princípio de “criar dificuldades para vender facilidades”.



Isso que os nazipetralhas fazem hoje em dia com o resiliente eleitorado brasileiro não passa de uma antiga estratégia de dominação das massas, que inclusive foi “didaticamente” explicada pela dupla Zé Dantas e Luiz Gonzaga, no ano de 1953, quando compuseram o baião “Vozes da Seca”, em cujos versos pode ser pinçado a seguinte pérola da sabedoria popular: “Mas dotô uma esmola / A um home qui é são / Ou lhe mata de vergonha / Ou vicia o cidadão”.



(FONTE -> www.ex-vermelho.blogspot.com/)
http://www.brasilwiki.com.br/noticia.php?id_noticia=48908 acesso em 19 de janeiro
De sua opinião. O assunto merece uma reflexão

Tatuagens no pescoço - Mulheres e Homens

TATUAGEM NO PESCOÇO
Atualmente, as tatuagens são muito comuns e tem se tornado um vício cada vez maior, principalmente entre os jovens. As mulheres costumam ser mais responsáveis em assuntos ligados aos cuidados com o
corpo e a importância da aparência para conseguir um emprego por exemplo. Já os homens normalmente não ligam muito para isso, por esse motivo são os que mais fazem tatuagens pelo corpo. As tatuagens femininas são na sua maioria discretas e pequenas. As tattos escolhidas pelos homens são geralmente maiores e bem chamativas

A tatuagem no pescoço ou na nuca é muito comum, principalmente entre as mulheres por ser um local discreto e que pode ser coberto pelo cabelo com facilidade. Além de ser charmoso, o pescoço é muito delicado e pede desenhos mais meigos como borboletas, maçã, cereja, pimenta, flores, estrelas e corações. Símbolos e tatuagens escritas também são muito comuns nessa área do corpo. Algumas famosas como a cantora Sandy possui uma frase em latim no pescoço “Omnia Vincit Amor” que significa o amor vence tudo e a cantora Claudia Leitte apresenta duas borboletas que para ela é a marca de um novo começo na sua vida
Normalmente as pessoas fazem a tatuagem para marcar alguma lembrança, sentimento ou pessoa especial. Há aqueles que tatuam apenas por individualidade e como forma de expressão. A questão é que cada um apresenta um motivo particular para fazer a tatuagem. Existem casais ou amigos que tatuam a nuca com o mesmo desenho para simbolizar o sentimento entre eles. O interessante não é seguir a moda à risca e fazer as tatuagens do momento, mas sim desenhar no corpo aquilo que está totalmente ligado a você e está de acordo com seus gostos e estilo.
Entre os homens as tatuagens tribais, maoris, de caveira, dragões e cobras. As tattos masculinas normalmente são grandes com traços escuros e grossos e apresentam grande contraste com a pele. Há muitas tatuagens originais que podem ser elaboradas no corpo masculino, como um desenho que comece no pescoço e desça pelas costas. Os traços simétricos e assimétricos sem muito sentido e com uma estética muito marcante são os mais procurados pelo público masculino.
fONTE: http://www.noticiaki.com/tatuagens-no-pescoco-masculina-e-feminina.html ACESSO EM 19 DE JANEIR0
ESCOLHA A SUA, OPINE EPASSE PARA OUTROS CORPOS

Cirurgia plástica, antes do casamento?!

Por mais que os tempos tenham mudado, o casamento ainda é o grande dia da mulher e do homem. Mesmo gerando aquele trabalho incrível e inúmeras preocupações, no dia do evento os noivos querem estar impecáveis. É aí que entra aquela vontade de realizar cirurgias plásticas antes do casamento.




Segundo Antonio Graziosi, membro da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS) e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, as cirurgias mais procuradas pelas noivas são implante de prótese nas mamas (mastoplastia de aumento) e lipoaspiração. Já em relação aos noivos, é lipoaspiração. E eles não têm medo de ousar, segundo Graziosi, por geralmente serem jovens, entre 20 e 30 anos, é a primeira cirurgia plástica.



O especialista explica que o aumento na procura pelo procedimento por pessoas prestes a casar vem crescendo devido a três principais fatores. “Primeiro, o aspecto social, todos querem sair bem em fotos e estarem belos. Segundo, a divulgação da cirurgia plástica e a maior quantidade de informação. Terceiro, a crescente segurança da cirurgia plástica”.

No entanto, Graziosi observa uma situação interessante, “O maior percentual de cirurgias relacionadas a casamentos são realizadas nos pais das noivas” comenta. As mais procuradas são de face, em especial nas pálpebras (blefaroplastia).



Mas será que é um bom negócio incluir cirurgia plástica no pacote de casamento? A assessora de eventos, Karyn Paiva dos Santos explica que é raro que as noivas que ela assessora “cheguem aos finalmentes” quanto à cirurgia plástica, “Há, sim, a imensa preocupação com aparência e sair bem em fotos, mas elas acabam se preocupando com isso muito em cima da hora”.



Graziosi recomenda fazer a cirurgia, tanto de implante de prótese de mama quanto lipoaspiração, entre outras, com o mínimo de três meses de antecedência. Mas Karym também chama a atenção para questões práticas, “Os três meses devem ser de recuperação e obediência às recomendações médicas, No entanto, antes do casamento, a mulher não para de se preocupar com os preparativos”.



Para a assessora, um ano ou seis meses de antecedência é o ideal e as maiores preocupações são nariz, orelha e culote. Na impossibilidade de fazer a cirurgia, a assessoria de casamento pode ajudar, tratando as fotos ou auxiliando na escolha do vestido “O vestido bem escolhido disfarça muitas ‘gordurinhas’” finaliza.



(Colaborou: Nathália Blanco)

Fonte: http://www.reporterdiario.com.br/Noticia/327871/cirurgia-plastica-antes-do-casamento-sera/ acesso em 19 de janeiro
 
ENFIM UNIDOS ATÉ ESTETICAMENTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Retorno da propaganda às ruas de SP deve demorar


Por Adriana Mattos
De São Paulo

O retorno da publicidade em parte do mobiliário urbano em São Paulo, cinco anos após o início da Lei Cidade Limpa, deve aquecer o segmento de mídia exterior no país, com expectativa de um encarecimento no custo desses espaços para os anunciantes. No entanto, não há previsões no mercado de que a exploração desses locais aconteça a tempo do início da Copa do Mundo de 2014 ou mesmo das Olimpíadas em 2016 - que acontece no Rio de Janeiro, mas também afeta o mercado paulista.

A Prefeitura de São Paulo sancionou em outubro a lei que autoriza concessão de dois espaços públicos na cidade, relógios de rua e abrigos de ônibus. Isso está em discussão desde 2007. São mil relógios e 7,5 mil abrigos, que devem somar investimentos da concessionária de, no mínimo, R$ 686 milhões. A empresa que ganhar a concessão irá construir, administrar e manter as novas estruturas, que irão receber material publicitário - a verba com propaganda irá para a concessionária.



A questão é que entidades do setor de mídia exterior e empresas da área não acreditam que antes de 2014 esses espaços já estejam liberados para negociação com anunciantes. "Na melhor das hipóteses, passada a publicação do edital, que deve sair em março, será mais um ano e meio a dois anos para começar a instalar os relógios. Para os abrigos de ônibus vai demorar mais", diz José Roberto Fogaça, diretor do Sindicato das Empresas de Publicidade Exterior do Estado de São Paulo.

Para Selma Felerico, coordenadora da pós-graduação em comunicação da ESPM, esse processo pode se acelerar por iniciativa da concessionária. "Mesmo assim, a possibilidade de esses espaços estarem disponíveis para propaganda na Copa das Confederações, em 2013, é muito pequena". A SP Obras informa que o prazo estimado para a instalação total será de 2 a 6 anos, mas "esse é um dos critérios de julgamento e o proponente ganha pontos pela antecipação dos prazos", informa em nota.

O Valor apurou que quatro empresas podem entrar na concorrência pela concessão - a francesa JCDecaux, as americanas CBS e Clear Channel e a espanhola Cemusa. No Brasil, como esse é um segmento altamente pulverizado, a possibilidade maior é a formação de um consórcio de grupos para disputar a licitação.

Por causa da Lei Cidade Limpa, que impede propagandas em outdoor, cartazes e painéis em prédios, esses dois espaços públicos (relógios e abrigos de ônibus) se tornaram os únicos na cidade para exposição de material publicitário em ambiente externo em São Paulo. "Eles vão se tornar o grande filão da mídia exterior na cidade e devem ficar mais caros. Mas não dá para ter uma previsão de quando isso fica pronto porque há uma questão que abre espaço para interrupção do processo licitatório", disse Luiz Valente, presidente da Central de Outdoor.

O que acontece é que existe um fator de análise subjetiva dos projetos de criação dos novos equipamentos. A Prefeitura deve decidir qual o melhor projeto - e em audiência pública na última sexta-feira, já deu exemplos de instalações bem avaliadas na sua análise. Mas essa avaliação tem critérios que podem ser questionados. "O problema é que, se uma empresa achar que as ideias de seu projeto são melhores, ela pode entrar com recurso para que isso seja revisto. Aí fica um vai e vem que não acaba", diz Fogaça.

http://www.valor.com.br/empresas/1204056/retorno-da-propaganda-ruas-de-sp-deve-demorar

DE SUA OPINIÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

'Comportadas', grifes evangélicas lucram com público segmentado

Peças 'direcionadas' evitam decotes, transparências e saias curtas.



'É preciso conhecer o público alvo', aconselha especialista.



Em meio ao competitivo mercado da moda, a confecção de Fabrício Guimarães Pais tem visto sua produção crescer cerca de 20% a cada ano. O segredo do empresário foi encontrar o público certo.




“Depois que mudamos para moda evangélica, nosso faturamento aumentou de forma considerável”, diz Pais, diretor da Kauly Moda Evangélica, instalada no Brás, tradicional centro de compras da capital paulista, e que hoje fabrica 30 mil peças por mês e lança de 100 a 200 modelos diferentes em cada coleção.


Assim como Pais, empresários do ramo de confecção têm investido cada vez mais na moda evangélica, atendendo à mulher que antes tinha de procurar em lojas não especializadas roupas que correspondessem ao estilo exigido pela maioria das igrejas: mais comportado, porém, não menos sofisticado.




"A gente conseguiu achar esse mercado, que é um mercado inovador, que muita gente procurava essa moda, mas que quase ninguém fabricava. Um pouco, acho, por medo. (...) Todo mundo tem um pouco de medo de fazer um foco só, direcionado, e a roupa não vender. No nosso caso, poderia ter dado tudo errado”, conta Pais.



Nas mãos dessas confecções brasileiras, o que poderia ser encarado como limitação se transforma em estímulo para criar peças cada vez mais modernas, sem deixar de obedecer às regras de vestimenta dos evangélicos, que, embora tenham algumas variações, dependendo da igreja, vetam calças, decotes e transparências. De acordo com os dados mais recentes do IBGE, com base no Censo de 2000, a população de evangélicos do país era de 26,18 milhões

Outros empresários viram na necessidade da própria família uma oportunidade de negócio. Sabendo que a principal queixa das mulheres era encontrar roupas adequadas às exigências, mas com estilo, Laerte de Oliveira Tolentino entrou no ramo de moda evangélica e viu sua equipe crescer de 20 para 250 funcionários diretos e indiretos em dez anos. Dono das grifes de moda evangélica Applausos e Via Toletino, de Maringá, no interior do Paraná, o empresário agora tem planos de expandir seus negócios, melhorando seus pontos de venda, que hoje estão mais concentrados nas regiões Sul e Sudeste, e na qualidade dos produtos

A necessidade de segmentação vem se intensificando nos últimos anos. As mulheres evangélicas tinham muita dificuldade para conseguir roupas no estilo que precisavam e desejavam, porque a mulher evangélica também quer ficar bonita, na moda, quer frequentar os cultos bem vestidas. Ser vaidosa não é negativo”, diz Selma Felerico, coordenadora da pós-graduação na área de Comunicação da ESPM, especializada em estudos sobre o público feminino
acesso 17 de janeiro de 2012

Irã reprime venda de Barbies para 'preservar moral islâmica'

Lojistas foram obrigados a retirar as Barbies e substituí-las por Saras, bonecas que usam trajes típicos islâmicos


Boneca Barbie com colar de diamantes





A polícia da moralidade do Irã está reprimindo a venda de bonecas Barbie para proteger o público do que qualifica como uma cultura ocidental perniciosa que destroi os valores islâmicos, informaram lojistas nesta segunda-feira.


Enquanto o Ocidente impõe as sanções mais duras contra o Irã e a tensão aumenta por causa de seu programa nuclear, dentro do país a proibição à Barbie é parte do que o governo chama de "guerra leve" contra influências culturais decadentes.



"Há cerca de três semanas eles (a polícia da moralidade) vieram até a minha loja e pediram que eu retirasse todas as Barbies", disse um comerciante de uma loja de brinquedos no norte de Teerã.



Os governantes religiosos do Irã primeiro declararam em 1996 que a Barbie, fabricada pela empresa norte-americana Mattel Inc, não era islâmica, citando "consequências sociais e culturais destrutivas". Apesar da proibição, até recentemente a boneca era vendida abertamente nas lojas de Teerã.



A nova ordem, divulgada há cerca de três semanas, obrigou os lojistas a esconderem a boneca loira de pernas longas e seios grandes por trás de outros brinquedos, a fim de continuar atendendo à demanda popular e, ao mesmo tempo, evitar o fechamento do estabelecimento pela polícia.



Uma série de bonecas oficialmente aprovadas, lançada em 2002 para conter a procura por Barbies, não teve sucesso, disseram os negociantes à Reuters.



As bonecas chamadas de Sara e o boneco Dara chegaram às lojas usando vários trajes tradicionais, com Sara respeitando totalmente a regra que todas as mulheres no Irã devem obedecer em público, cobrindo seu cabelo e usando roupas largas.



"Minha filha prefere as Barbies. Ela diz que Sara e Dara são feios e gordos", disse Farnaz, uma mãe de 38 anos, acrescentando que não conseguiu encontrar DVDs com desenhos da Barbie e que lhe disseram que a venda deles também havia sido proibida.



Mostrando uma boneca coberta por um longo véu negro, um lojista de Teerã de 40 anos disse: "Nós ainda vendemos as Barbies, mas de forma discreta, e colocamos essas na vitrine para fazer a polícia pensar que só vendemos esse tipo de boneca".



O Irã trava uma batalha para evitar que a cultura ocidental penetre no país desde que a revolução islâmica derrubou em 1979 o rei apoiado pelo Ocidente, em 1979, impondo códigos de vestimenta islâmica, proibindo a música ocidental e a televisão estrangeira por satélite.

Em outra reação ao Ocidente, os iranianos em breve poderão comprar versões de brinquedo do avião espião norte-americano que o país capturou em dezembro, disse a mídia iraniana.
Modelos do Sentinel RQ-170 - exibido na televisão pelo Exército iraniano depois de ser derrubado perto da fronteira afegã - serão fabricados em várias cores, segundo a mídia local.




segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Próteses da PIP eram 50% mais barata



Carla Guedes

A Londrina e Maringá compraram 461 próteses mamárias da marca Poly Implant Protheses (PIP). A Vigilância Sanitária Estadual acredita que ao menos 2.084 implantes foram comercializados no Paraná. As próteses da PIP estão no centro de um escândalo desde que testes mostraram que têm alta chances de romper e que foram fabricadas com silicone industrial, favorecendo inflamações nos tecidos do corpo. O Brasil importou 34.631 unidades da marca, das quais 24.534 foram vendidas. A França recomendou que 30 mil mulheres removam as próteses .




O SUS fará a cirurgia de troca dos implantes sem custo, desde que não seja por motivo estético. O cirurgião plástico Paulo Padovez diz que não há razão para pânico. "É um caso isolado de uma empresa e todas as mulheres com implantes mamários de outras marcas devem continuar a se sentir seguras", tranquiliza. A primeira cirurgia de prótese de silicone nos seios foi feita na década de 60.



Fotos/Douglas Marçal



De lá para cá, a qualidade dos implantes evoluiu muito. "Antes dos anos 80, o silicone era líquido. Já hoje, é um gel que, em caso de ruptura, não vaza", destacou. Para o médico, o episódio envolvendo a PIP só reforça a importância de se optar por marcas consagradas. "O médico tem que investigar a origem da prótese. As da PIP surgiram no Brasil em 2009 pela metade do preço das outras".

"As próteses da PIP apareceram no Brasil em 2009 pela metade do preço das outras e chamaram a atenção pelo preço. Por isso, tudo o que é muito barato tem que desconfiar. É igual gasolina".

O DIÁRIO - O problema com as próteses de silicone da PIP deixaram as pacientes preocupadas?

PAULO PADOVEZ - Nesses dias sim, mas nunca estiveram preocupadas. É uma questão antiga, de 2010. Segundo a Anvisa, a comercialização e a distribuição das próteses da PIP foram suspensas em abril de 2010. É importante dizer que toda prótese de silicone pode romper, mas o índice de ruptura é muito baixo, em torno de 1% a 2%. Essa prótese da PIP começou a romper mais, com índice de 15% a 20%. Percebendo o que estava acontecendo, começaram a fazer pesquisas. Descobriu-se que eles (a empresa fabricante) apresentaram para registro uma prótese, mas fabricavam outra, com o silicone industrial. É o mesmo de uma indústria apresentar para registro um remédio com uma substância, mas fabricar e distribuir um que contenha farinha. É importante dizer que as mulheres não devem entrar em pânico porque foi um caso isolado em apenas uma marca.



As próteses da PIP devem ser removidas?

Recomenda-se que as mulheres portadoras de implantes dessa marca façam avaliação médica para decidir o que será feito. O melhor é fazer um ultrassom e discutir o que a paciente quer fazer. Em caso de não rompimento do implante, a mulher deve ter acompanhamento e fazer exames a cada seis meses.



Como as próteses dessa marca entraram no Brasil?



Elas apareceram no Brasil em um congresso em 2009. Era uma prótese que apareceu pela metade do preço das outras e chamou a atenção por causa disso. Mas em um ano, começaram a surgir os problemas e a comercialização foi proibida. Por isso, tudo o que é muito barato tem que desconfiar. É igual gasolina, quando está muito barato, você desconfia. Digo isso porque as próteses de silicone mantêm mais ou menos um preço.



Qual a diferença do silicone dos implantes da PIP e das demais marcas?

Segundo os testes, havia comprometimento na resistência do envoltório da prótese. Além disso, o silicone que preenchia o implante não era médico, e sim industrial. Foi por isso que elas foram retiradas do mercado. Todas as mulheres com implantes mamários de outras marcas devem continuar a se sentir seguras.



O que deve mudar daqui para frente quando se fala em cirurgia para prótese de silicone nos seios?



As pacientes têm ligado no consultório perguntando se usamos a prótese francesa da PIP. Eu nunca usei e nunca vi essa prótese. Acho que daqui para frente, profissionais e pacientes devem usar marcas de próteses consagradas. Temos que tomar cuidado com as novidades porque aparecem várias marcas novas de próteses. Outro dia, um representante ofereceu uma prótese que era baratinha. Disse que era de fabricação francesa, mas a matéria-prima era chinesa. O médico tem que investigar a origem da prótese. O que esse episódio traz é o seguinte: reforça mais as marcas tradicionais com 20 anos de mercado.



O que acontece quando o implante de silicone rompe?
Há alteração na forma (do seio) e ele murcha um pouco. O silicone não vaza porque o corpo forma uma cápsula de fibrose em volta da prótese. Quando há vazamento, acontece uma alteração estética, mas é muito raro, apesar de toda prótese ter índice de ruptura. O silicone das próteses fabricadas após os anos 80 é chamado gel coesivo. O conteúdo fica retido naquela cápsula e não causa nenhum dano. As próteses dos anos 70 eram preenchidas com silicone líquido e murchavam de uma só vez quando rompiam.



O que contribui para a ruptura do implante?
Traumatismos, como acidentes de trânsito, esportes agressivos e de contato. Pode haver ruptura até na compressão para fazer a mamografia. A mulher que tem a prótese deve informar antes do exame.

A cirurgia para implante de silicone nos seios é um procedimento antigo?

Começou a ser feita na década de 60, entre 1963 e 1964. E de lá para cá a qualidade da prótese foi melhorando. Hoje, junto com a lipoaspiração, é a cirurgia plástica mais procurada.

O que a mulher deve analisar antes de fazer a cirurgia?
Ela tem que estar preparada emocionalmente. Como o silicone é muito procurado, às vezes a mulher pensa que colocando as próteses a vida dela vai mudar. É claro que existe melhora na autoestima, o que é visto em todas as pacientes. Você vai na praia e vê que a maioria das mulheres têm silicone. É uma cirurgia rápida e com resultado bom. As contraindicações são raras. A recuperação também é rápida e ela deve apenas evitar exercício físico, dirigir e movimentar os braços principalmente nos primeiros 15 dias.

O procedimento é procurado por qual faixa etária?

Dos 18 aos 35 anos. Na faixa mais jovem, elas procuram o silicone porque querem ter mamas mais bonitas e maiores. E na mulher que já teve filhos e já amamentou é para recuperar o tamanho dos seis após a amamentação.

"As mulheres não querem mais exagero e hoje estão procurando próteses que  deixam a mama mais bonita. Há alguns anos, o tamanho chegava fácil a 400 ml. Agora, fica na faixa dos 300  a 320 ml’’
Fabricantes das próteses dizem que o tamanho dos implantes aumentou nos últimos 10 anos.
Aumentou mesmo, só que agora estabilizou. Na época da Feiticeira, que tinha mama muito grande, o pessoal queria daquele jeito. Agora, as mulheres não querem mais exagero e hoje em dia estão procurando próteses que deixam a mama mais bonita. Alguns anos atrás, o tamanho das próteses chegava fácil a 400 mililitros. Já hoje, fica na faixa de 300 a 320 mililitros. As pessoas estão mais conscientes e querem uma mama mais bonita, maior, mas sem exagero para não cair no vulgar.

Como é feita a escolha da prótese?
Geralmente, as marcas têm volumes diferentes e trabalhamos com o tipo de mama que a paciente tem. Cada marca tem um padrão. Orientamos também que a mama muito grande começa a ficar muito lateralizada e parece que a mulher engordou, mas nem é isso que ela procura. A escolha da prótese depende do tipo físico da paciente, da altura, largura do tórax, volume da mama, do tipo de pele e um pouco do desejo de cada paciente.

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...