sexta-feira, 30 de outubro de 2009


dando continuidade ao G1

E há também a história de Pirko, um gordinho de meia idade, sem emprego, sem sonhos para o futuro e de quem ninguém gosta – nem a própria mãe, que o batizou com um nome finlandês típico de mulher. Depois de ser dispensado pela namorada grávida na frente dos “amigos” em um bar de strip-tease, o anti-herói de “Quase Elvis” decide partir em busca de suas raízes no interior. Vai visitar a avó e, após uma noite movida a vodka e insultos da velha católica, ela também acaba morrendo e deixando-o sozinho. Bêbado num boteco da cidade onde não conhece ninguém, Pirko decide subir ao palco e fazer a única coisa que sabe fazer bem: imitar o Rei do Rock num karaokê à capela. “E de repente as pessoas gostam dele. Não pelo que ele é, mas por quem ele está imitando”, explica a diretora Petra Revenue. “Para mim é uma sátira de todo o pensamento de que ‘você tem de ser bem-sucedido”. Até o maior fracassado tem uma chance de ser amado fingindo ser uma outra pessoa”, diz.
Pois é isso que uma nova geração de cineastas suecos, com uma dose de comentário social e outra (bem equilibrada) de humor, está fazendo: dando voz aos fracassados. “Acho que por muito tempo o público se acostumou a ver principalmente pessoas bonitas na tela, em especial os protagonistas. Creio que as pessoas estão entediadas com a perfeição, elas querem algo novo”, defende Teresa Fabik, a diretora por trás de “Estrelando Maja”.
VALEU AMOSTRA CULTURAL É UM CAMINHO PARA REFLEXÕES CONTEMPORÂNEAS

O Cinema dá vez aos gordinhos


O SITE G1 DÁ UM GRANDE DESTAQUE AOS FILMES DA MOSTRA DE CINEMA QUE FALAM SOFRE GORDURA. OU SEJA, NÃO SÓ EU QUE ESTUDO ESSA OBSESSÃO SOBRE MAGREZA DA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA. O TEMA MERECE ATENÇÃO. QUEM SABE O CINEMA AJUDE.
Suécia descarta ditadura da beleza e dá vez aos atores gordinhos no cinema
Obesidade e preconceito são tema de 3 filmes em cartaz na Mostra SP.'As pessoas estão entediadas com a perfeição', diz diretora sueca.

Olhando daqui de baixo, a Suécia pode parecer o retrato mais próximo da perfeição – um legítimo país de Primeiro Mundo, onde a democracia é plena, a cultura e os bens de consumo são acessíveis e a população, um exército de modelos de 2 metros de altura, pele branca como a neve e cristalinos olhos azuis. Mas, como revelam alguns filmes que participam da 33ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, nem tudo são flores na terra dos escandinavos. A Suécia também tem gente “feia”, que sofre com a obesidade, o preconceito e a falta de oportunidades.
Como muitos adolescentes no mundo, Rille, o protagonista de “O rei do ping-pong”, é um garoto de 16 anos, que mora em uma cidade do interior e é vítima constante dos valentões da escola por estar muitos quilos acima do peso ideal para a sua idade. Resignado com o fato, ele se conforta em dizer que é o oposto de seu irmão mais novo – um loirinho magricela que faz sucesso com as garotas do colégio – e de seu pai – um mergulhador do Exército mulherengo que não se cansa em narrar seus feitos heróicos a algumas léguas abaixo do mar. Mas Rille, que não tem namorada nem sabe nadar, é também o guardião da chave da sala de ping-pong da escola, um lugar onde as crianças mais novas vão matar o tempo entre as aulas e onde, aí sim, ele é invencível e reina absoluto. “O ping-pong é o esporte mais democrático que existe”, repete o personagem, como um mantra.
Em outra cidadezinha ao norte da Suécia vive Maja. Igualmente rechonchuda e excluída pela “gente bonita” da escola, seu sonho é se transformar em uma grande atriz. Apesar de nunca conseguir o papel principal nas peças de teatro amador, a personagem principal de “Estrelando Maja” tem talento e não se deixa abater facilmente pelas primeiras dificuldades. A vida da garota ameaça mudar quando conhece uma cinegrafista cuja única experiência por trás das câmeras, na verdade, são filmagens de casamentos. Erika, a aspirante a cineasta, se comove com o carisma de Maja e decide fazer um documentário em forma de “reality show” sobre a vida da aspirante a estrela. Durante as filmagens, ela até consegue um papel para Maja num programa de TV de Estocolmo, mas não tem jeito: como diz a própria garota, “todos os papeis que me dão são de personagens gordas, feias e solitárias”.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Aumenta o número de casos de anorexia da 3a. idade


Um estudo médico espanhol, constatou que, em uma década, aumentou os casos de anorexia entre a população com mais de 65 anos. O estudo apresentado no 9º Congresso Nacional de Organização de Idosos , em Sevilha na Espanha , diz que o número aomento de 1,8% para 5%. O aumento acompanha o ritmo das adolescentes. Os casos detectados de jovem entre 13 e 18 anos, subiraram de 2,4% para 7%, no mesmo periodo.
"SÃO TRANSTORNOS PRÓPRIOS DA CIVILIZAÇÃO QUE VIVEMOS E OS IDOSOS ESTÃO EXPOSTOS ÀS MESMAS SITUAÇÕES QUE OUTROS GRUPOS COM BOMBARDEIOS DE PUBLICIDADE E PRESSÃO SOCIAL", disse à BBC Brasil a diretora da Universidade de Transtornos Alimentares do Hospital de Akicante, Taciana Valderde , uma das autoras do estudo.
O mundo precisa de uma cultura do envelhecimento.
"Cada vez há mais pessoas idosas socialmente ativas. A expectativa de vida aumentou e há uma melhora significativa da qualidade de vida, mas também vemos uma grande dificuldade de aceitação de certas limitações e da deteriorização da aparência, o que dá origem a estes graves desajustes emocionais.

Pressão e Solidão
Segundo o estudo 70% das mulheres européias com mais de 65 anos se sentem dsescontenytes com seus aspectos físicos e estariam dispostas a fazer sacrifícios para melhorar. Para os médicos, essas frustrações produzem depressões que podem acabar em perda de atetite ou compulsão alimentar.Quando vivem sozinhos, a vulnerabilidade é pior. O falecimento do conjuge, a distância dos filhos e o início dos processos degenerativos podem facilitar o surgimento dos transtornos alimentares.

Homens
A nutricionista afirmou que tratar o transtorno alimentar dos mais velhos é mais difícil do que o dos jovens por causa das doenças associadas ao envelhecimento. Segundo o estudo, o número de casos de transtornos alimentares é maior do que nos homens, mas a diferebça está diminuindo principalmente pelo aumento da incidência de casos entre os gays.

Considerando as previsões demográficas da ON U que indicam que a Espanha será o país mais velho do mundo em 2050, o presidente da Confederação Espanhola de Organizações de Idosos e do Congresso de Sevilha, José Luis Meler , dissew à BBC que o mundo precisa de uma cultura de envelhecimento.
VAMOS REPENSAR OS VALORES . E O ESTATUDO DO IDOSO

Aumenta o número de cados de anorexia da 3a. idade

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

UM CORPO MAIS QUE CIRURGICO !!!



Ângela Bismarchi 14/09/2009 19:52 Atualizado em: 24/09/2009 14:41
Cirurgias e botox para gringo ver
Detentora do recorde brasileiro de cirurgias plásticas – 43 no total –, a modelo Ângela Bismarchi vira personagem em reportagens feitas para jornais, revistas e emissoras de TV estrangeiros. Jéssica Simpson esteve no rio para entrevistá-la
Por Valmir Moratelli

Ângela Bismarchi, a mulher que mais fez cirurgias plásticas no Brasil, segundo o Livro dos Recordes Brasileiros, começa a conquistar fama no exterior. Na quarta-feira (9), ela gravou, na Praia de Ipanema, uma participação na série The Price of Beauty (O Preço da Beleza, em português), apresentada pela cantora Jessica Simpson, na emissora americana VH1. Aos 37 anos e com um minúsculo biquíni que revelava suas curvas já tantas vezes remodeladas no bisturi, Ângela divertia-se com o interesse que desperta nas pessoas. “Não tenho o estereótipo de beleza que os gringos estão acostumados a ver em nossas mulheres. Isso chama a atenção”, disse ela a QUEM, fazendo biquinho com os lábios (preenchidos com botox, naturalmente). Ângela, que, entre lipos e implantes de silicone, já fez até uma covinha no queixo, também está em uma reportagem da edição de setembro da revista Marie Claire inglesa. O

Ângela Bismarchi em três momentos apoteóticos: acima, no Carnaval de 2000; abaixo, no desfile de 2008, orientalizada; e, na página ao lado, dando entrevista título, “The Real Nip/Tuck’s Wives” (“As verdadeiras mulheres de Nip/Tuck”), refere-se ao polêmico seriado americano que trata do lado obscuro das cirurgias estéticas. E, na última semana de agosto, a TV estatal chinesa Xin Hua esteve no Rio especialmente para entrevistá-la. Suas 43 operações a tornaram conhecida. Foram várias trocas de próteses de silicone nos seios, enchimento dos lábios, lipoaspirações, redução dos lábios vaginais, além de alterações nos olhos e no nariz. A última cirurgia, feita em fevereiro deste ano, foi a reconstituição do hímen. Ângela resolveu dar de presente sua “nova virgindade” (a original ela diz que perdeu aos 21 anos) ao atual marido, o cirurgião plástico Wagner de Moraes, com quem vive há cinco anos. O cirurgião é seu segundo marido com a mesma profissão. O primeiro, Ox, morto num assalto em 2002, lhe deu as primeiras de muitas plásticas e o sobrenome. Na entrevista a Jessica Simpson, em Ipanema, ela exaltou seus 70 quilos distribuídos em 1,81 metro de altura, narrando sua rotina diária. “Acordo por volta das 9h, almoço lá pelas 13h e passo a tarde na academia. Segundas, quartas e sextas, malho pernas e glúteos. Terças e quintas, malho braços e tronco. Depois, ainda tenho aulas de canto”, disse. Outras plásticas não estão em discussão no momento, mas isso não significa que ela pretenda abandoná-las. É tudo uma questão de momento. “Dia desses, estava em casa, à noite, quando descobri três celulites na coxa. Falei para o Wagner correr comigo para a clínica. Não ia conseguir dormir com aquelas coisas. Ele ligou para os enfermeiros e mandou todos para lá. Retoquei a coxa e voltei feliz para dormir”, conta ela, às gargalhadas, levantando uma questão: há cirurgia para acabar com celulite? Wagner garante que desenvolveu uma técnica de retirada de pequenas celulites, usando Ângela como cobaia. “É uma picadinha só, tem mostrado eficiência na Ângela”, diz ele.

VALE A PENA O SACRIFICIO


lendo o site da revista de tenis.com.br me deparei com mais um testemunhal de sacrificio , que nos torna mais culpado pela nossa mal forma fisica ...


Mantendo a forma! Ivanovic revela sacrifícios para ter o "corpo mais bonito entre os atletas"Musa sérvia, que já teve o corpo eleito o mais bonito entre os atletas, conta proibição em comer massas e sacrifício com água e suco de laranja9/Outubro/2009
Ivanovic teve o corpo considerado o "mais bonito" do mundo por jornal alemãoA vida de um atleta é cheia de restrições. Ao contrário de uma pessoa ´normal´, não pode sair por ai comendo tudo o que vê pela frente, principalmente se tratando daquelas guloseimas que todos adoram (chocolates, hambúrgueres etc). Com
Ana Ivanovic, não é diferente, e a musa sérvia conta em seu site o que faz para manter um corpo que já foi eleito inclusive o mais "mais belo entre todos as atletas do mundo".

Em seu site oficial, a jovem tenista de 21 anos possui uma sessão exclusiva para responder a perguntas de seus fãs. Quase toda semana, atualiza e responde a algumas delas. E hoje, contou um pouco sobre como faz para manter a forma que impressiona o público masculino em todo o planeta.

Em uma dessas perguntas, um fã questiona o por que de a sérvia afirmar recentemente que não come massas, já que em outras ocasiões havia declarado que "adora frequentar restaurantes italianos". E, sempre atenciosa, a musa responde: "Há um ano atrás meu nutricionista me passou uma dieta de acordo com meu tipo de sangue, e ela inclui não comer nenhum tipo de massa".

Ana contou como faz para manter a formaAssim, como todo atleta,
Ivanovic teve que abrir de mão de um de seus maiores prazeres. Além disso, em outra destas questões, a atual número 11 do mundo dá mais uma mostra dos sacrifícios que costuma fazer para manter a forma, e garante que suas bebidas mais tomadas são "água e suco de laranja". Porém, lamenta: "Apesar de eu preferir batidas de manga e chá verde da Starbucks (rede de cafés norte-americana)".

Todos estes cuidados são tomados para que a bela tenista mantenha sempre o corpo em forma para seguir bem dentro de quadra. Mas claro que para os fãs o que importa mesmo é a questão estética. E uma prova disso é que, no ano passado, o corpo de
Ivanovic foi eleito o mais bonito entre todos os atletas, em votação realizada pelo jornal alemão Die Bild. Mas, garante, tudo com muito esforço!

SERÁ QUE DIARIAMENTE SOMOS ESTIMULADOS A FRUSTRAÇÕES

HOMENS CADA VEZ MAIS VAIDOSOS


AFINAL VALE LER ESTE ARTIGO SOBRE AS OPÇÕES MASCULINAS PARA OBTER UM CORPO ESCULPIDO

FONTE: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=39038&Itemid=157
Silicone ou malhação?
www.segs.com.br - Fonte ou Autoria é : Samantha Feehily
22-Out-2009

A procura pela harmonia com o corpo há algum tempo faz parte do universo masculino. Cada vez mais vaidosos, exigentes e pensando mais longe, eles começam a aliar a academia com a cirurgia plástica para colocação de próteses de silicone com a intenção de aumentar os braços, pernas, peitoral e glúteos.
O homem moderno, está cada vez mais preocupado em fazer parte da nova sociedade onde a busca pela boa aparência, aumento da auto estima e melhor qualidade de vida está cada dia mais intensa. A cirurgia, geralmente, funciona para cobrir déficits específicos de pessoas que não conseguem desenvolver determinada parte do corpo. Por exemplo, o homem se preocupa em ir para a academia malhar, porém apenas as pernas e os braços apresentam resultados, mas o peitoral não.Nesse caso, a pessoa se submete a uma cirurgia para conseguir aumentar essa parte do corpo, já que não consegue o resultado esperado através da malhação. O mesmo acontece com quem desenvolve o peito, mas não a panturrilha, enfim, depende do tipo de corpo de cada pessoa.Após a aplicação da prótese, é possível voltar a fazer musculação e ginástica normalmente, já que através da malhação é possível manter resultados corporais. O cirurgião plástico Mário Warde afirma: “De maneira alguma a cirurgia plástica pode substituir os resultados das atividades físicas, mas uma boa indicação e técnica cirúrgica fazem deste planejamento do contorno corporal satisfatório, dependendo dos objetivos do homem” Mas cuidado! Se exagerar nos pesos, o silicone pode se mover.Para dar aquela turbinada, o cirurgião utiliza um tipo de silicone diferente da prótese mamária das mulheres. A consistência das próteses para contorno muscular tem consistência “de músculo”, seja ela de peitoral, panturrilha ou glúteos. A busca pelo corpo perfeito não pode virar uma obsessão. Porém, é sempre bom se sentir bem com você mesmo. Por isso, como o procedimento é novo, é bom procurar um bom profissional competente que já esteja acostumado com esse tipode cirurgia. “O contorno corporal masculino tem especificidades, e tem que ser tratado de forma diferente do contorno feminino”, finaliza o especialista Mário Warde. Serviço:Dr. Mario Warde - Cirurgião Plástico (Planejamento Clínico e Cirúrgico do Contorno Corporal)

Silicone tem validade?????


Prótese de silicone tem prazo de validade
Folha de S.Paulo 22/10/2009 12:51 Atualizado em 22/10/2009 10:53
Nenhuma prótese de mama dura para sempre. Embora os especialistas não estipulem um prazo determinado para a troca, toda mulher que colocou silicone nos seios --a cirurgia plástica mais realizada no Brasil-- inevitavelmente vai ter que voltar para a mesa de cirurgia algum dia.
A questão é fazer a troca enquanto é tempo e o prazo de validade da antiga ainda não venceu. Mas não é o que costuma acontecer. Muitas mulheres só procuram o médico quando surge algum problema.
"É um fato constatado na prática clínica e na minha experiência em consultório. Muitas pacientes só procuram o médico quando apresentam algum sintoma, como endurecimento do seio, dor ou assimetria das mamas", observa o cirurgião plástico Alexandre Mendonça Munhoz, do Hospital das Clínicas de São Paulo.
"Isso acontece por vários motivos, como falta de informação ou mesmo negligência."
Nesses casos, na maioria das vezes, as próteses já estão rompidas. Além de trazer danos à saúde, isso torna a cirurgia de reparação mais difícil e os resultados mais limitados.
"Quando a troca é feita no momento certo, a cirurgia é até mais simples do que a primeira colocação, com menos inchaço e dor", diz o cirurgião plástico André Colaneri, de São Paulo.
Foi o que aconteceu com a dona de casa Sandra Regina Ferlin, 54, que colocou o implante em 2003, após a descoberta de um câncer de mama.
Apenas seis anos depois, Sandra começou a sentir as mamas mais duras e rígidas. No consultório, descobriu que teve a chamada contratura da cápsula que envolve a prótese. Há três meses, fez a cirurgia de troca.
Estima-se que as próteses mais antigas, implantadas nos anos 80 ou 90, durem cerca de dez anos. Um estudo americano, feito na Universidade de Birmingham, com pacientes que tinham feito a cirurgia naquela época, constatou que mais da metade das próteses com 10,8 anos, em média, estavam rotas.
Para chegar ao resultado, os autores submeteram 344 mulheres sem nenhum sintoma ao exame de ressonância magnética. "Quanto maior o tempo de prótese, maior a probabilidade de ruptura", diz Munhoz.
As próteses mais antigas duravam menos porque eram mais lisas e o silicone, mais líquido. A cápsula que as envolvia também era mais fina.
"As próteses usadas atualmente têm uma textura na superfície, a camada que as envolve é mais grossa e o silicone é mais gelatinoso", explica José Tariki, presidente a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Por isso duram mais.
Os especialistas estimam que, atualmente, o desgaste da prótese deve acontecer entre entre 15 e 20 anos.
Com o passar do tempo pode haver microvazamentos. Isso pode levar a uma inflamação crônica nos tecidos vizinhos. "Essa infiltração pode até levar à perda de tecidos", alerta a cirurgiã plástica Luciana Pepino, de São Paulo.
Fonte: http://www.circuitomt.com.br/home/materia/32611

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Drunkorexia atinge mulheres de 20 a 40 anos

A drunkorexia é o distúrbio alimentar que leva as pessoas substituirem a alimentação por bebidas alcoólicas. A doença é muito parecida com a anorexia, distúrbio que faz o paciente deixar de se alimentar por acreditar que precisa emagrecer.

As mulheres na faixa de 20 a 40 anos são as mais afetadas pelo problema. O principal sinal para identificar a doença é a recusa de comida em função da bebida alcoólica.

A psicanalista Elizandra Souza explica que a alta ingestão de bebida alcoólica ocorre como uma tentativa de aliviar a vontade de comer.

A drunkorexia está sendo debatida atualmente na novela Viver a Vida, da "Rede Globo", por meio do drama da personagem Renata, interpretada pela atriz Bárbara Paz.

noticia publicada http://www.band.com.br/jornalismo/saude/conteudo.asp?ID=207226

21 DE OUTUBRO, DIA DE AMAR O SEU CORPO! QUE TAL AMA-LO TODOS OS DIAS


AGORA TEMOS O DIA DE AMAR O SEU CORPO. SERÁ QUE NÃO DÁ PARA RESPEITÁ-LO TODOS OS DIAS
um dia para amar o seu corpo
21 out 2009
Em sua 12ª edição, o Love Your Body Day (Dia de Amar o seu Corpo) será celebrado em 21 de outubro de 2009. A proposta é uma blogagem coletiva sobre a beleza de verdade, o amor ao próprio corpo, as distorções midiáticas ou o que você considerar que é adequado para este dia.Desde que li sobre essa proposta, me entusiasmei e comentei no Twitter, convidando quem quisesse aderir à causa para participar da blogagem coletiva do Love Your Body Day. A Marina fez um longo (e excelente) post falando sobre a importância desse dia e as reflexões que ele propõe. A Deborah trouxe algumas dicas para você repensar a maneira como enxerga a beleza e, consequentemente, seu próprio corpo. Já eu, bem ao meu estilo, vou falar da primeira coisa que me vem à cabeça quando penso nessas questões do que é certo ou errado, bonito ou feio, em relação à aparência física: meus joanetes (que eu chamo de minhas joanetes - sim, falo errado! rss). É uma história bastante engraçada.Para quem não sabe, "o joanete é a denominação popular de uma elevação (protuberância) que se forma no osso metatarsiano do primeiro dedo do pé. O conjunto formado pela protuberância, pela deformidade na lateral do dedão, pelo desvio rotacional (dedão roda e fica muito encostado ao segundo dedo) e pelo desvio angular em direção ao segundo dedo é conhecido como hallus valgus" (fonte). Só pela leitura dessa descrição dá para imaginar que é um defeito - tem até cirurgia corretiva!Acontece que eu tenho joanetes desde que me entendo por gente. Não só eu, como minha mãe, minha avó materna e uma boa parcela das pessoas que conheço (há uma predisposição genética). Por isso, quando criança, achava meu pé perfeitamente normal. Fiz balé clássico por algum tempo e sempre escutava que isso podia fazer aparecerem joanetes e que eles doíam. Os meus já estavam lá e não doíam. Logo concluí que "essa tal de joanete" devia ser um calo, ou uma bolha, ou algo do tipo. A definição do Houaiss (bolsa serosa recoberta de derme e de epiderme espessa, desenvolvida na articulação do pé, causada pela compressão do sapato) colaborou ainda mais para meu equívoco. Só na faculdade, morando com outras pessoas, tive a oportunidade de observar pés tidos como "normais". O curioso é que eles me chamaram a atenção justamente porque faltava algo neles. Sim, os joanetes! Aqueles pés não eram normais, eram bizarros. E feios! Sério, acho pés sem joanetes feios - até hoje.A minha concepção de pé ideal já está tão arraigada que nada nesse mundo me faz pensar em um pé sem joanete como um pé desejável. Hoje tenho calos e, eventualmente, meus joanetes doem. Algumas sandálias com tiras ficam estranhas também. Mas a culpa é toda dos sapatos e de seus desenhos mal elaborados, nunca dos meus pés. Meus pézinhos magros, com seus tendões salientes, ossos visíveis e aquele joanete apontando para fora quase como um dedo adicional, são lindos e perfeitos!

MISS CIRURGIA PLASTICA HUNGRIA

Não faltava mais nada, eis a noticia publicada no dia 22 de outubro no site Jornal da Noticia
http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Gente/Interior.aspx?content_id=1386815#
O triunfo da beleza postiça
2009-10-11
CATARINA FERREIRA
Concurso de Miss Cirurgia Plástica Hungria.
A hospedeira húngara de 22 anos fez este ano uma operação de aumento do peito na Hungria. A intervenção valeu-lhe a distinção da maior beleza falsa no seu país.
Budapeste recebeu, anteontem, o concurso de Miss Cirurgia Plástica Hungria, o que dizem ser uma antecâmara para um concurso internacional. As regras eram simples: ser húngara, ter mais de 18 anos e uma operação plástica feita no país (quem a tivesse feito no estrangeiro não podia participar). As aplicações de botox ou tratamentos abrasivos na pele não eram suficientes, a mudança tinha de ser efectiva.
Depois de várias semifinais, o júri elegeu a jovem Réka Urbán. A hospedeira cumpre este ano 23 anos e pôs implantes mamários há uns meses. A intervenção valeu-lhe o título de Miss Cirurgia Plástica Hungria, porque alegadamente "conjuga a beleza, a naturalidade e o bom gosto", contrariando a ideia de que o postiço tem de ser de mau gosto e exagerado. O prémio foi um apartamento no centro de Budapeste.
A cada modelo estava associado um cirurgião, a manobra de marketing terá sido igualmente proveitosa, ou até mesmo superior, para a doutora Mária Czeglédi, responsável pelas novas medidas 87-63-87 de Reka. Diâmetros distribuídos por 1,75 metros e com o peso de 47 quilos, segundo dados da organização.
Em segundo e terceiro lugar ficaram Edina Kulcsar e Alexandra Horvath, com uma operação ao nariz e um facelift feitos em 2008 e 2009, respectivamente.
Segundo a organização do concurso, o evento serviu para desmistificar a cirurgia plástica num país onde é vista com "maus olhos". A prova serviu também como vingança das aspirantes a misses impedidas de entrar nos concursos por terem sido operadas.
A polémica começou em 2004 quando a chinesa Yang Yuan foi expulsa do concurso de Miss Intercontinental por ter gasto aproximadamente 14 mil euros em cirurgias plásticas.
O júri alegou que ela não era "uma beleza natural, mas uma beleza construída pelo homem" e expulsou-a.
Os chineses, descontentes com o facto, promoveram o primeiro concurso internacional Miss Cirurgia Plástica, em 2004, mas não teve grande expressão.
Mais expressão teve o concurso que fazem todos os anos de Miss Feia, cujo prémio é uma intervenção no valor de 17 mil euros, aproximadamente, em que reconstroem a cara de quem ganha a prova. Quem sabe poderá ir de concurso em concurso e ganhar o Miss Cirurgia Plástica quando se volte a realizar.
Na Hungria como na China, os concursos de beleza são fenómenos recentes, porque eram considerados pelos regimes comunistas iniciativas de burgueses e práticas capitalistas decadentes.
Mas os tempos são outros. Actulamente, a Hungria é considerada como um dos destinos mais recomendados para o turismo hospitalar, dado as cirurgias serem muito mais baratas do que noutros países europeus. A China é das nações que mais dinheiro gasta em intervenções estéticas, aproximadamente 2, 4 mil milhões de euros por ano.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

NEM AS NOIVAS ESCAPAM DAS METARFORFOSES ESTÉTICAS



‘Dia da noiva’ começa um ano antes e inclui até cirurgia plástica em SP
Valor dos tratamentos estéticos reunidos pode chegar a mais de R$ 20 mil. Redução de medidas e depilação definitiva estão entre as opções.
Juliana Cardilli Do G1, em São Paulo
Tamanho da letra
A-
A+
Foto: Juliana Cardilli/G1
O tratamento com o laser starlux, que retira manchas e vasos da pele do rosto, é uma das opções para as noivas (Foto: Juliana Cardilli/G1)
Quem quer casar em grande estilo em São Paulo já sabe que os preparativos para a data precisam começar alguns anos antes do grande dia – as igrejas e bufês mais disputados exigem reserva com antecedência de até três anos. Na parte do visual da noiva, a maior preocupação normalmente é o vestido, que os especialistas recomendam que seja visto um ano antes. Agora, elas aproveitam os preparativos e estendem o tradicional ‘dia da noiva’ para mais de um ano antes, com direito a cirurgias plásticas e tratamentos estéticos que juntos podem custar mais de R$ 20 mil. “Quando a noiva começa a pensar no vestido, ela olha para o espelho e começa a escolher o que quer fazer para o corpo dela. Quando ela presta atenção, já vai procurar uma clínica. Tudo nos casamentos é feito com muita antecedência, o mesmo acontece com os tratamentos”, explica a esteticista Simone Spada, da Clínica Sani Corpus, na Zona norte de São Paulo. Segundo Simone, o ideal é procurar uma clínica um ano antes, para que os profissionais vejam quais tratamentos podem ser feitos e quantas sessões serão necessárias. Alguns procedimentos, como a depilação a laser, exigem uma antecedência de 10 meses – são quatro sessões, com intervalo de dois meses entre cada uma. Outros tratamentos procurados fazem a retirada de manchas e vasos da pele do rosto, diminuem medidas, dissolvem gordura e eliminam a celulite.

Família reunida
Se não bastassem tantas intervenções, há noivas ainda mais ousadas, que aproveitam a empolgação do casamento para fazer cirurgias plásticas – as mais procuradas são a chamada lipo light e implantes de silicone. “A lipo light é com anestesia local, a mulher vai para casa no mesmo dia. Muitas noivas procuram”, conta Simone. Em outros casos, a família se empolga, e mães, tias, irmãs e até pais resolvem também passar pelos tratamentos. É o caso da comerciante Juliana Amaral de Oliveira, de 26 anos, com casamento marcado para fevereiro de 2010. Ela, que já era cliente da Sani Corpus, resolveu reforçar os tratamentos antes do casamento e acabou arrastando a família junto. “Minha mãe, meu pai e até meu irmão também já fizeram procedimentos”, contou. A jovem já passou por sessões de carboxiterapia, que ajuda a diminuir a flacidez, a celulite e a gordura localizada, está tomando um medicamento para espinhas e até colocou aparelho nos dentes, que já foi retirado. “Eu trabalho muito, é sempre corrido, acabava não fazendo tudo. Agora que vou casar, resolvi me cuidar mais, fazer tratamentos legais para ficar mais bonita”.




Mais uma sobre a ditadura da beleza


Modelo da Ralph Lauren diz que foi demitida por estar gorda
A briga entre a ditadura da magreza e a chamada beleza “real” no mundo da moda continua. Filippa Hamilton, uma modelo que ficou conhecida após ter o corpo desfigurado pelo Photoshop em uma campanha da Ralph Lauren, declarou que foi demitida da marca porque estava “gorda”.
Segundo o jornal New York Daily News, a jovem de 23 anos trabalhava há sete para a marca americana. Filippa disse que seu contrato foi finalizado em abril sob a alegação de que ela havia engordado muito e não cabia mais nas roupas da Ralph Lauren.
A propaganda em que a modelo parecia magra demais foi exibida somente no Japão, mas a Ralph Lauren a retirou após a polêmica em torno da imagem da jovem, além de fazer um pedido formal de desculpas.
Apesar disso, a Ralph Lauren nega que tenha demitido Filippa por seu suposto excesso de peso, declarando que a modelo era incapaz “de cumprir com as obrigações de seu contrato”. A marca não especifica quais obrigações.
Gordinhas
Na semana passada, a revista americana “Glamour” e a alemã “Brigitte” anunciaram que iriam estampar em suas capas modelos mais próximas do “real”. Tudo para reconquistar as leitoras que se distanciaram por sempre se depararem com um padrão de beleza distante do seu dia a dia.
Em meio a essa polêmica, um grupo de parlamentares franceses colocou em discussão um projeto de lei para limitar o uso abusivo do Photoshop. Sob a proposta, toda imagem modificada que for publicada no país em anúncios, notícias ou embalagens de produtos deverá trazer um aviso. Quem descumprir a regra estaria sujeito a uma multa de US$ 55 mil ou até 50% do custo da campanha.
Por Redação Yahoo! Brasil
Mon Dieu! Como ela ficou horrorosa na foto retocada no Photoshop! Concordo com o projeto de lei francesa, boa parte das fotos (principalmente nas revistas de dieta) são “retocadas” no Photoshop, passando “aquela” imagem para os leitores, como se fossem “aquela” perfeição, enquanto na verdade não são como aparecem, o pior é que influênciam tantas pessoas, principalmente as mulheres

terça-feira, 13 de outubro de 2009

MANIFESTO METONÍMICO MODERADO


O TEXTO ABAIXO MERECE DESTAQUE, POIS FOI ESCRITO POR JOVENS E LINDAS ALUNAS QUE ESTÃO TERMINANDO O TCC DE PROPAGANDA E PUBLICIDADE NA FAAP. PORTANTO NÃO PODEMOS DIZER QUE AS OPINIÕES DESSE BLOG SÃO EMITIDAS SEMPRE POR ESTA QUARENTONA QUE ESCREVE...

VALE RESSALTAR QUE O GRUPO É COMPOSTO POR 5 JOVENS MULHERES: KARINE, GABI, LARA, LIA E MONIQUE, E UM GRANDE RAPAZ : GIANFRACESCO, QUE JUNTO COM AS MENINAS BUSCA UMA COMUNICAÇÃO MAIS ÉTICA PARA AS MULHERES. TENHO MUITO ORGULHO DE TRABALHAR COM VOCÊS.

Manifesto Metonímico Moderado

Bunda, peito, cabelo, bocas...

Toda a vez que ligamos a TV encontramos pedaços de mulheres em comerciais. É tudo muito físico, corporal. Se não são partes do corpo da mulher, são os clichês: a mãe neurótica, a workaholic sem família, a intelectual, a sexy bebedora de cerveja, e por aí vai. São milhares os estereótipos que substituem a mulher na comunicação. Sim, SUBSTITUEM. Ou alguém reconhece uma mulher de verdade nesses comerciais? Podemos dizer, então, que há um vício metonímico na publicidade: a mania de criar relações, nem sempre perfeitas, entre o substituto e substituído. Não somos contra a metonímia, longe disso. Acreditamos no uso desse elemento de retórica que nos permite tantas formas de falar do mesmo tema, mas acreditamos que deve ser empregado com moderação na comunicação. Com mais cuidado ainda quando se fala de mulher. Sabemos que ela pode ser muitas e todas ao mesmo tempo. Porém, não é uma parte, é o todo. A cabeça e o corpo que andam juntos, com vontades e ações. Então, quando for falar com e para a mulher, use a metonímia com moderação!

1. QUEBRE OS PARADIGMAS
A comunicação atual se acomodou no uso de estereótipos. Chegou a hora de mudar, inove.

2. PROCURE OS ARQUÉTIPOS
Os estereótipos são duros e moldados com opiniões alheias. Use sua opinião e transcenda o pensamento comum.

3. FUJA DO FRANKESTEIN
Não acreditamos na representação frankesteriana feminina. Trabalhe a mulher como um todo, e não somente por seus atributos e partes.

4. RELACIONE-SE
A mulher valoriza o relacionamento em tudo na vida. Seja verdadeiro, prático e relevante.

5. SEM CONVERSAS COR-DE-ROSA
Busque o humor e a inteligência. A mulher adora rir, até de si mesma.

6. OUÇA MAIS
Pare para ouvir o que a mulher tem a dizer sobre sua vida e seu universo. Pesquise mais!

7. SURPREENDA
Ouça e aprenda, mas entregue muito mais do que ela espera.

8. FAÇA ALIADOS
Saiba como e quando recorrer à metonímia. Faça dela sua aliada, e não um inimigo.

Autoria: Gabriela Neves e Karine Akopian

Grupo: Gabriela Neves, Gianfranco Tropi Somma, Karine Akopian, Lara Daniela Gebrin, Lia Cattassini, Monique Marinho

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Cinturinha de Photoshop


Quando é que os amplamente usados retoques em computador para aprimorar uma imagem de mulher passam dos limites? Quando a cabeça dela fica mais larga que os quadris - basta conferir na foto da modelo franco-sueca FILIPPA HAMILTON, 23. Contratada da Ralph Lauren desde os 16 anos, a já esbelta Filippa (cintura oficial: 60 centímetros) encolheu tanto num anúncio recente que virou aberração. A primeira reação da Ralph Lauren foi ameaçar com processo os blogs que reproduziram a foto. A segunda foi cancelar o anúncio e pedir desculpas pela "imagem muito distorcida do corpo feminino". Será que na próxima vai dar uma engordadinha na modelo?

QUE BOM QUE OS BLOGS ESTÃO SENDO LIDOS E FORMANDO OPINIÃO.

FONTE: http://veja.abril.com.br/141009/gente.shtml

sábado, 10 de outubro de 2009

HOMENS SE RENDEM AO BOTOX


Os homens se renderam ao botox. Segundo a Allergan, que produz o medicamento à base de toxina botulínica, das 2,5 milhões de aplicações da droga no Brasil em 2008, 8% foram em pessoas do sexo masculino. Especialistas ouvidos pelo "Jornal da Tarde" dizem que a proporção é maior. O presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Estética (Regional São Paulo), o dermatologista Valcinir Bedin, diz que 25% de seus pacientes são homens. Há 15 anos ele aplica a droga nos pacientes e em si mesmo. A dermatologista Lígia Kogos, apontada como a “profetisa do botox”, por ser a principal aplicadora da toxina na América Latina, diz que a proporção se aproxima dos 40% em sua clínica. “No começo, o botox era utilizado pelas mulheres, mas foi crescendo entre os homens”, recorda Lígia. “Há poucos anos eles eram 28%, 30%, chegaram a 35% e se aproximam de 40%.”
Especial sobre cirurgia plásticaDez hábitos que acabam com celulite O pedido é quase sempre o mesmo: suavizar as marcas de expressão entre as sobrancelhas. “Querem corrigir a aparência de ‘braveza’ ou cansaço”, diz Bedin. O que os incomoda, segundo o dermatologista, é o fato de parecerem estar zangados ou cansados sem que isso esteja ocorrendo de verdade. Um pouquinho de botox na região eleva as sobrancelhas e os deixa com a feição mais alegre e bem disposta. Lígia e Bedin dizem que os homens se preocupam mais em ter uma boa aparência no ambiente de trabalho do que em satisfazer vaidades estéticas. “Esses homens, a maioria acima dos 40 anos, viajam muito, estão estressados e têm sempre de conhecer pessoas novas e, por isso, precisam aparentar boa disposição.” Outro motivo é o receio com a entrada dos mais jovens - cheios de energia - no mercado de trabalho. E por que exatamente o botox? Lígia é certeira na explicação: ao contrário das cirurgias plásticas, a aplicação de botox vai ao encontro da objetividade buscada pelos homens. “Cirurgias são mais imprevisíveis e podem ter complicações. O botox é rápido e o resultado alcançado, o esperado.” Mas, no fundo, embaixo de tudo isso, claro que existe vaidade. “O homem quer ficar com aparência melhor, mas também quer ficar bonito”, afirma Bedin. As informações são do "Jornal da Tarde".

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

ANOREXIA E ALCOOL ... UM PERIGO!!!!


VALE REPRODUZIR ESTE ARTIGO PUBLICADO NO SITE YAHOO


Anorexia e álcool, uma parceria quase mortal
Qui, 08 Out, 02h06


Por Giuliana Reginatto
São Paulo, 08 (AE) - Beber para aliviar a fome, inibida pelos enjoos vivenciados durante a bebedeira. E comer cada vez menos, para que o escape alcoólico não pese sobre a balança. Essa é a rotina das vítimas de transtornos alimentares (TAs) que apresentam junto com eles algum grau de dependência em relação ao álcool - quadro de comorbidade popularmente chamado de 'drunkorexia' (do inglês: drunk, que significa bêbado) ou anorexia alcoólica. O termo não é científico, mas já circula livremente pela internet e pelos consultórios médicos.
O termo já entrou na vida dos brasileiros através da novela "Viver a Vida", da TV Globo. Na trama de Manoel Carlos, a atriz Bárbara Paz é quem dá rosto às meninas que se refugiam no álcool para controlar o peso. "No Brasil ainda não há um núcleo especializado em 'drunkorexia', mas nos EUA o problema é mais difundido. Existem aqui, porém, centros de tratamento para anorexia ou para alcoolismo. Frequentei alguns como ouvinte, escutei histórias e conheci algumas garotas que sofriam de 'drunkorexia' sem conhecer o termo. São mulheres que não quererem engordar, mas quererem estar de bom humor. O álcool dá esse falso bem-estar momentâneo", conta Bárbara.
Para a atriz, a associação entre magreza e abuso de álcool adquiriu um perigoso ar de glamour. "Para entender isso, foquei no que estava próximo, como os bares, a noite paulistana e a academia de ginástica com suas mulheres magras. Ouvi várias vezes a frase: ' sou drunkoréxica',dita sempre em um tom de felicidade. Essa expressão virou quase uma gíria, com a garota querendo dizer que é 'magra e feliz'. Veja a cantora Amy Winehouse e outras famosas. Elas ficam ainda mais famosas por passarem meses em clínicas de reabilitação. Parece uma moda. E muitas garotas querem ser como elas", diz.
Não acaso, até o visual de Renata foi inspirado na cantora inglesa, com direito a cabelo volumoso no topo da cabeça. O mundo de Renata, personagem de Bárbara, também é cheio de purpurina. "Ela quer ser modelo, é uma atriz iniciante que vive próxima ao mundo da moda. Está doente e não sabe, não consegue focar na faculdade ou no trabalho, não é feliz com seu corpo porque acha que está acima do peso. Para cobrir os vazios ela bebe, mas sem se alimentar direito para não engordar. As coisas vão piorar porque essa situação vai desgastar ainda mais o relacionamento amoroso da Renata. No começo, ela bebe só um pouco, para saciar a fome. E sem que ela perceba a doença começa a aparecer. É aí que acaba o glamour e o brilho disso."
A fictícia Renata e também as moças de verdade que têm algum transtorno alimentar (como anorexia, bulimia e compulsão periódica) e se entregam aos drinques não são só alcoólatras. No estômago vazio, sobretudo o feminino, uma mera lata de cerveja é capaz de provocar sinais de embriaguez. "A mulher, por aspectos fisiológicos, absorve o álcool em velocidade 50% maior se comparada ao homem pois tem mais gordura e menos água no corpo para diluir o álcool", diz a médica Camila Magalhães Silveira, coordenadora do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa).
Segundo Camila, nas mulheres a produção de uma enzima que ajuda a metabolizar o álcool (aldeído desidrogenase) tende a ser reduzida, o que torna a bebida ainda mais agressiva para elas. "Estima-se que um homem leve oito anos para ficar dependente do álcool, prazo que cai para até cinco anos entre as mulheres. Muitas anoréxica bebem para amenizar a dor e a angústia de não poder comer. Assim, embora a 'drunkorexia' não seja um termo científico, é considerada uma variação da anorexia."
Na avaliação da profissional, a ligação entre regime e abuso de álcool se explica pela falsa crença de que ele não engorda. Os drinques são, contudo, mais calóricos que muita guloseima: 1 grama de álcool fornece 7 calorias, enquanto que o açúcar, praguejado nos regimes, contém 4 calorias por grama. "Pacientes com transtorno alimentar acreditam que a bebida ajuda a controlar a fome pois provoca uma irritação na mucosa gástrica, levando a náuseas. Essa irritação estimula a produção de leptina, substância que atua na sensação de saciedade", diz Camila.
Coordenadora do Programa de Assistência à Mulher Dependente Química (Promud), serviço vinculado ao Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Silvia Brasiliano conduziu um estudo para investigar a prevalência de TA em dependentes químicas. "Constatei que 34% das pacientes tinham esses transtornos. Nos EUA, estudos mostram que mulheres com TA têm oito vezes mais chance do que as outras mulheres de desenvolver um problema ligado ao álcool. A hipótese mais aceita para explicar essa relação é uma possível falha no controle dos impulsos, que se manifesta ora no consumo abusivo de álcool, ora no descontrole alimentar", analisa.
De acordo com Silvia, tentar suprimir a fome por meio do álcool é um mecanismo com efeito ilusório. "À medida que o corpo vai ficando resistente ao álcool, é preciso beber cada vez mais para se ter o mesmo efeito de antes. E isso acaba provocando ganho de peso", analisa. Ela lembra também que os primeiros sinais do quadro costumam surgir já na adolescência. "O consumo de álcool tem aumentado entre as adolescentes de 15 a 18 anos, e a expectativa é que esse índice se equipare aos números masculinos.
Nessa fase também são comuns alguns desvios alimentares, sobretudo métodos compensatórios muito rígidos, que no futuro podem evoluir para um TA. Há meninas que jejuam por um dia porque comeram uma batata frita, por exemplo."
Na opinião da psiquiatra Analice Gigliotti, presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead), bebida alcoólica e transtorno alimentar formam uma dupla explosiva. "É uma bomba-relógio. Anorexia e consumo de drogas, inclusive o álcool, são os dois distúrbios mentais que mais matam no mundo. E esses dois problemas se potencializam quando concomitantes no paciente, já que ambos diminuem a imunidade da pessoa", esclarece.
A psicóloga Fátima Vasques, do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares (Ambulim) do Hospital das Clínicas da FMUSP, lembra que todas as drogas, e não só o álcool, estão relacionadas a distúrbios alimentares. E diz que faltam estudos sobre o tema no País. "O que temos são números americanos, que indicam que até 33% das bulímicas enfrentam problemas com o álcool.Nesses casos, é usado por facilitar os vômitos, episódios que caracterizam a doença", diz. "Entre anoréxicas também é frequente a cocaína, que emagrece por cortar a fome", completa.

não seria exagero???


ESTA É O TIPO DE MATERIA +CAPA QUE LEVA AS MULHERES A SEREM MAGRAS DE QUALQUER JEITO...

Adriane Galisteu, 36 anos, conta à revista Corpo a Corpo de outubro que está satisfeita com seu corpo magro e com seus seios pequenos. Para manter os 56 quilos, ela corre e come pouco.
Acho lindo o corpo das garotas marombadas, mas prefiro ter seios mínimos e ser magra. No dia em que eu passar em frente a uma construção e ouvir 'gostosa' dos operários, vou fazer dieta na mesma hora", diz a apresentadora.
Colecionadora de biquínis desde a década de 80, Galisteu conta que tem mais de mil modelos e que nunca combina a parte de cima com a debaixo. Mas para a capa da Corpo a Corpo, ela abriu uma exceção. A apresentadora aparece com uma peça azul piscina. Galisteu também posou com um maiô do acervo pessoal, comprado durante uma viagem à Africa do Sul.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

CRESCE A PROCURA DE CIRURGIAS PLÁSTICAS PELOS ADOLESCENTES.

ESTA NOTÍCIA PREOCUPA.... E FOI PUBLICADA NO SITE : WWW.ESTETICACURSOS.COM
Especialistas afirmam que 13% dos adolescentes já procuram por cirurgias plásticas no Brasil

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Nos últimos anos, a busca por um corpo ou rosto perfeito tem aumentado significativamente. Hoje em dia, é difícil encontrar alguém que não tenha vaidade e se preocupe em se sentir bem esteticamente. No entanto, esta busca faz com que cresça também o número de pessoas que procuram cirurgias plásticas, sendo que os jovens vêm se destacando entre este público.De acordo com dados da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica), entre setembro de 2007 e agosto de 2008, foram realizadas aproximadamente 629 mil plásticas estéticas em todo o país, todas por profissionais especializados. E as plásticas em jovens com idades entre 14 e18 anos representam, pelo menos, 13% desse total.Isto indica que mais de 100 mil jovens se submeteram a algum tipo de intervenção
estética no período analisado. E entre os procedimentos mais procurados por eles destacam-se: rinoplastia (plástica no nariz), mamoplastia redutora (diminuição das mamas), mamoplastia de aumento (prótese de silicone), lipoaspiração, otoplastia (correção de orelhas de abano) e a ginecomastia (correção do volume das mamas masculinas).Os especialistas da SBCP explicam que entre os motivos que levam ao aumento da procura dos jovens pela cirurgia plástica está a valorização excessiva da estética, com a ilusão de que o jovem tem de se enquadrar aos padrões estéticos predominantes na sociedade, e o desenvolvimento de novas técnicas que fazem com que a recuperação e o ato cirúrgico sejam mais seguros.Sendo assim, os especialistas recomendam que os adolescentes que têm interesse em fazer cirurgia plástica procurem um cirurgião para detectar suas reais motivações e explicar todos os passos da cirurgia (internação, anestesia, cicatrizes, medicamentos, repouso pós-operatório e os resultados esperados), bem como as possíveis complicações associadas ao procedimento.Além disso, é importante ressaltar que a opção pela plástica deve ser decidida pelo paciente, juntamente à orientação do médico, e com o consentimento dos pais. A cirurgia é indicada apenas se o jovem não consegue conviver com o problema, se o problema interfere em sua autoestima, ou se ele não conseguiu resolver o que o incomoda por outros métodos.Fonte: Assessoria de Imprensa - Portal Educação

LIVRO SOBRE O RETRATO DA MULHER NA MIDIA .


MULHER DE PAPEL” ANALISA A REPRESENTAÇÃO FEMININA NA IMPRENSA
Existe mulher de verdade nas revistas femininas? Como a mídia impressa vem mostrando a adolescente, a adulta e a mulher madura? Quais modelos são mais frequentes? Uma extensa pesquisa da jornalista
Dulcília Buitoni revela que a imagem da mulher na imprensa feminina brasileira é refletida segundo as conveniências da sociedade. O resultado desse minucioso trabalho está em seu livro Mulher de papel – A representação da mulher pela imprensa feminina brasileira, lançamento da Summus Editorial. Nessa clássica obra do jornalismo, a autora analisa a representação feminina na mídia impressa, destacando padrões e tendências em mais de 150 anos de páginas dedicadas à mulher.
A segunda edição – revista, atualizada e ampliada – chega quase trinta anos depois da publicação do primeiro livro, com mais dois capítulos redigidos para completar a linha do tempo da imprensa feminina brasileira. A obra aborda desde a mocinha casadoira e pouco alfabetizada de 1880 até a celebridade siliconada de 2001, mostrando como meninas, jovens e adultas estiveram e estão sob a influência poderosa da mídia impressa especializada. “Passadas algumas décadas, continuo a procurar mulheres de verdade nas revistas femininas, embora saiba que publicidade e consumo lidam principalmente com mitologias”, revela a autora.
Fruto de uma tese de doutorado desenvolvida em 1980, o livro traz um levantamento histórico, incluindo informações e imagens a respeito dos diversos periódicos para mulheres na imprensa brasileira. “Trata-se de uma amostragem representativa, servindo para dar uma ideia bem concreta do que se fazia no século passado até chegar a nossos dias”, afirma Dulcília, que pesquisou a iconografia da área durante quase dois anos para compor um livro de abordagem histórica pioneira.

REVISTA ALEMÃ BRIGITTE DECIDE USAR MODELOS REIAS

Revista alemã elimina modelos de suas páginas
Brigitte optou por usar “mulheres reais” em sessões de fotos
A revista feminina mais popular da Alemanha está eliminando modelos profissionais de suas páginas e subistituindo-as por imagens de mulheres da “vida real”.No que parece ser uma última tentativa de eliminar as modelos “tamanho zero”, as editoras da revista Brigitte disseram que, no futuro, usarão somente mulheres com “medidas normais”– A partir de 2010, nós não vamos mais trabalhar com modelos profissionais – disse Andreas Lebert, editor-chefe, que acrescentou que está cansado de retocar fotos de modelos abaixo do peso que em nada se parecem com mulheres normais.– Durante anos nós tivemos que usar Photoshop para engordar as meninas – disse. – Especialmente nas coxas e no decote. Mas isso é perturbador e perverso, e o que isso tem a ver com nossa leitora real?Ele acrescentou que a medida é uma resposta a reclamações de leitoras que disseram que não se identificavam com as mulheres representadas nos editorias de moda e “não mais queriam ver ossos salientes”.– Hoje as modelos pesam cerca de 23% menos que as mulheres normais – disse Lebert. – Todo o mercado de modelos é anoréxico.Brigitte, que é o título feminina mais vendido na Alemanha, com mais de 700 mil cópias, oferece aos leitores um cardápio de fitness, estilo de vida, receita e sexo, que tende a atrair mulheres mais jovens em ascensão profissional.Lebert disse que a revista iria convocar as mulheres alemãs a se oferecerem para ser modelos de matérias de moda e maquiagem.Nós estamos procurando por mulheres que tenham sua própria identidade, seja ela estudante de 18 anos, presidente de empresa, artista ou jogadora de futebol – disse ele, acrescentando que quer uma mistura entre mulheres com alguma notoriedade e as completamente desconhecidas, e que vai procurar por políticas e atrizes interessadas em ser modelos.Críticos acusam Brigitte de aplicar uma estratégia de redução de custos em uma época de queda nas vendas de revistas, e de disfarçá-la de uma campanha para atrair novos leitores, mas Lebert insistiu que as “mulheres comuns” serão pagas com a mesma quantia que a revista pagaria às agências de modelos.Ninguém, até o momento, foi designado para a nova iniciativa, mas Lebert já está prospectando. Ele irá convidar a chanceler Angela Merkel. Enquanto seu senso de moda tem sido por vezes questionado, ela está nas manchetes todos os anos com suas escolhas de vestido de gala no festival Wagner, em Bayreuth, e recentemente ispirou as roupas de uma Barbie.Outras celebridades podem incluir a indiscutivelmente mais bem-sucedida jogadora de tênis de todos os tempos, Steffi Graf, ou a outra popular ministra, mãe de sete filhos, Ursula von der Leyen.Comentaristas alemãs dizem que a medida da Brigittes foi claramente inspirada pela editora da Vogue britânica Alexandra Schulman, quye recentemente apelou às maiores grifes de moda para que acabassem com a cultura do “tamanho zero”.Dois anos atrás, a Espanha introduziu uma lei proibindo modelos que fossem magras demais nas passarelas.Agências de modelo reagiram com cetisismo ao plano da Brigitte.Louisa von Minckwitz, dona da agência Louisa Models em Munique e Hamburgo, onde as modelos têm que usar tamanho 36, com tendência para o 34, disse que entende a raiva quanto às modelos abaixo do peso, mas duvidou que os leitores realmente queiram comprar uma revista para ver mulheres comuns.Em 2006, uma série de modelos, incluindo as irmãs uruguaias Luisel e Eliana Ramos, morreram depois de fazerem dietas extremas. O Conselho de Designers de Moda dos EUA recomendou que modelos de passarela deveriam ter pelo menos 16 anos, a Espanha vetou da Semana da Moda de Madri a participação de modelos com um IMC abaixo de 18,5, e a Itália proibiu mulheres magérrimas de participar dos eventos de moda de Milão.Uma folga para o "tamanho zero"– Em janeiro de 2007, os manequins das vitrines espanholas foram aumentados para tamanho 36, seguindo um acordo entre as redes de varejo como Zara e Mango e o ministro da Saúde do país.– Em abril de 2008, deputados franceses, líderes da indústria da moda e anunciantes assinaram um acordo voluntário para promover imagens corporais mais saudáveis.– Em setembro de 2009, a revista americana Glamour foi aplaudida depois de publicar uma foto da modelo “tamanho grande” Lizzie Miller sem retoques.
Revista alemã vai trocar modelos por mulheres 'comuns'
A ação tem o objetivo de combater o padrão de beleza favorável às magérrimas
Agência Estado
Texto:


A revista feminina mais popular da Alemanha anunciou hoje que vai retirar modelos profissionais de suas páginas em favor das "mulheres reais" numa tentativa de combater um padrão prejudicial de beleza magra que, segundo afirma, isolou suas leitoras.
O editor-chefe da revista bimestral "Brigitte" disse que, a partir do próximo ano, a revista vai apresentar uma mistura de mulheres famosas e leitoras em fotografias de editoriais de beleza, moda e boa forma.
Andreas Lebert disse que a medida é uma resposta às leitoras que, cada vez mais dizem estar cansadas de ver "ossos protuberantes" de modelos que pesam bem menos que a média das mulheres.
Em Hamburgo, onde a revista é publicada, Lebert disse que a revista irá mostrar mulheres que têm uma identidade, "a estudante de 18 anos, a diretora da comissão, a música, a jogadora de futebol".

cuidado cirurgias plásticas nem sempre são maravilhosas


NO SITE MAGRAEMERGENTE.COM.BR, ENCONTREI ESTE ARTIGO SOBRE CIRIRGIAS QUE DERAM ERRADO E VALE LER TAMBÉM OUTROS ARTIGOS SOBRE O TEMA....



Como escolher o seu cirurgião plástico:
O termo “Plastica” vem do Grego “Plastikos” que significa moldar, dar forma… É isso o que a Cirurgia Plástica procura – dar nova forma aos tecidos. A especialidade, que é única, abrange uma ampla gama de procedimentos que visam a reparação de defeitos e imperfeições congênitos ou adquiridos, melhorando as funções e a aparência do corpo humano.
Seja qual for o tipo de cirurgia plástica que você esteja procurando, um dos fatores mais importantes para o seu sucesso está na escolha do seu cirurgião.PRIMEIRO PASSO: LEVANTAMENTO DE NOMES
Para encontrar o seu cirurgião, a primeira etapa é elaborar uma lista de bons candidatos. O Brasil é hoje uma das melhores escolas do mundo em Cirurgia Plástica e existem profissionais qualificados não apenas em grandes centros, mas também espalhados pelo interior dos diversos estados. Como encontra-los? São várias são as fontes possíveis, portanto procure utiliza-las com sabedoria:
Amigos. Se você conhece alguém que já foi submetido a um procedimento igual ou semelhante àquele que está procurando, converse com ele e tome algumas informações. Mas não se decida baseado na experiência de apenas um amigo. Todo paciente é único, e toda cirurgia também: seus resultados podem ser diferentes daqueles do seu amigo.
Médicos. Seu médico de família ou conhecido poderá recomendar-lhe um cirurgião plástico. Pergunte a ele quantos de seus pacientes foram indicados a este cirurgião, e quais foram as impressões de retorno deles.
Hospitais e Planos de Saúde. É possível ainda procurar instituições de saúde bem conceituados em sua região e solicitar os nomes dos profissionais por eles credenciados.Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. O Diretório de Membros da SBCP é uma excelente fonte de nomes. Através da internet você poderá realizar a pesquisa por nomes ou por cidades, encontrando cirurgiões e conhecendo suas categorias de filiação na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Esta listagem poderá ainda ser apresentada ao seu médico de confiança, para que ele dê as suas referências.Diretórios Especiais. Uma outra possibilidade é utilizar publicações oficiais conhecidas como “Guias de Especialidades”, que eventualmente são editados e disponibilizados por conselhos de classe e associações de médicos em nível nacional, estadual e regional. Procure informar-se da existência de tal documento em sua própria área.
Propaganda Paga. Você poderá encontrar muitos nomes de médicos nas páginas amarelas, jornais, revistas e outras formas de divulgação na mídia. Tenha sempre em mente que tais inserções são orientadas pelo próprio cirurgião, e por si só, não necessariamente qualificam o profissional.SEGUNDO PASSO: VERIFICAÇÃO DAS CREDENCIAIS
Quando estiver de posse de uma lista com alguns médicos, você poderá começar a verificar as suas credenciais. Apesar de referências curriculares não serem garantia para o sucesso de uma intervenção, elas com certeza aumentam muito a possibilidade de sucesso.
Abaixo estão listadas as informações relevantes que você deverá obter nas diversas fontes já citadas, e no próprio consulório ou clínica de cada cirurgião.
Formação. Mais importante que a faculdade de medicina é o tipo de formação específica em Cirurgia Plástica que o seu candidato a cirurgião tenha cursado. Ele completou o programa oficial de algum serviço credenciado para ensino da especialidade? Quantos anos de treinamento intensivo em todas as áreas da cirurgia plástica este programa incluiu? Embora muitos profissionais concentrem a sua clínica em alguns tipos de procedimentos mais realizados, a formação eclética e uma visão ampla da especialidade conferem melhores habilidades ao profissional, seja qual for sua área preferencial de atuação.
Título de Especialista. Muitas pessoas utilizam o termo “Especialista”, mas você sabe exatamente o que ele significa e quais os caminhos para um médico ser assim considerado?
A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é o órgão oficial da Associação Médica Brasileira responsável pelo processo da formação de especialistas no Brasil. Quando você escolhe um cirurgião membro da SBCP, pode ter a certeza de que ele é graduado por uma faculdade de medicina reconhecida e completou no mínimo mais cinco anos de residência médica regular, sendo dois em Cirurgia Geral e três em Cirurgia Plástica.
Dessa forma, o cirurgião estará classificado como Membro Aspirante e reúne condições e pré-requisitos para então prestar a prova para obtenção do Título de Especialista, expedido pela entidade e que envolve exames escritos e orais, alem de avaliação curricular. Somente apartir daí, se aprovado, o médico é considerado um Especialista em Cirurgia Plástica, passando a ocupar a categoria de Membro Associado.
Após um intervalo mínimo de dois anos, o cirurgião pode ainda se submeter ao concurso para Membro Titular da SBCP, que constitui a categoria mais elevada da entidade e envolve a apresentação de trabalho científico para uma banca examinadora com uma rigorosa avaliação curricular do candidato.Não deixe de certificar-se se os nomes de sua lista se enquadram nestes conceitos.
Credenciamento Hospitalar. Mesmo que sua cirurgia seja realizada em clínica ou hospital próprio do cirurgião, é importante que você se certifique de que ele está credenciado para tal procedimento em algum outro hospital de boa reputação. Isso significa que ele foi aprovado pelas normas regimentais do corpo clínico daquela instituição. Ligue para os hospitais e informe-se.
Experiência. Embora não exista um número “mágico” (de tempo ou de procedimentos) que defina “experiência”, você deverá se sentir confiante com o fato de seu cirurgião estar bem familiarizado e atualizado com o procedimento em que você está interessado. Você poderá indagar aos cirurgiões da sua lista se eles realizam este procedimento com muita freqüência ou esporadicamente.
Sociedades Profissionais. Os médicos podem fazer parte de muitas sociedades profissionais de maior ou menor importância, mas lembre-se de que a SBCP é a única a conferir o Título de Especialista. Se um cirurgião mencionar ser membro de alguma sociedade em particular, tome nota do nome e telefone para se informar de quais são os requisitos para esta filiação. Algumas destas sociedades mantêm vinculo científico com a SBCP dentro dos princípios éticos necessários, e contribuem para uma educação continuada dos especialistas em áreas específicas através de publicações, simpósios e congressos.

VALE REPASSAR PARA OS DEMAIS E PRINCIPALMENTE REFLETIR SOBRE O ASSUNTO.


sexta-feira, 2 de outubro de 2009

TV Cultura exige hoje filme sobre a estética do corpo


Desenho do Corpo
TV Cultura exibe documentário sobre estética feminina
Nesta sexta-feira (2), DOCTV IV da TV Cultura exibe o documentário Desenho do Corpo. O filme traça um percurso sobre a construção e o ideal de
beleza do corpo feminino no imaginário da sociedade ocidental, marcada por aspectos culturais relacionados ao consumo.
O documentário relaciona, por meio da arte, desenho, pintura, dança, fotografia e, principalmente, as instituições sociais, a busca por esse padrão da beleza feminina atual, que conserva os critérios estéticos relacionados à juventude e ao corpo esbelto.
O documentário Desenho do
Corpo será exibido a partir das 22h40.

Fonte: site o Fuxico

O CORPO FEMININO NO CINEMA


Como o corpo feminino é mostrado no cinema
É o livro que a professora Ana Mery Sehbe De Carli está lançando, em que relaciona o corpo da mulher à sétima arte, onde aponta e classifica sutis diferenças. Chamado O corpo no cinema: variações do feminino (Educs, R$ 45, 232 págs.), o estudo mapea-se categorias para o corpo feminino usando o cinema como suporte e representação.
Foram selecionados 32 filmes para a pesquisa. Todos eles são do circuito comercial com bons indicadores de audiência, têm distribuição ampla através do cinema e de locadoras, possuem protagonistas reconhecidas pela beleza e pela popularidade do papel interpretado, descrevem histórias ou contextos que apresentem crise de paradigmas, são filmes inovadores, polêmicos, também estimulam o estudo das transformações socioculturais. Essas películas foram realizados no período de 1930 a 2005. Diario Gaúcho
O corpo foi classificado como:
♦ Corpo fatal: aciona o arquivo mental de estrelas estonteantes e malvadas como Greta Garbo, Rita Hayworth, e as atualizações Sharon Stone e Madonna.

♦ Corpo erótico: abriga o perfil da pin-up, ou seja, a mulher bela sensual, ingênua, uma iniciativa planejada de desculpabilizar a beleza, a sensualidade e os seculares mistérios ameaçadores da sexualidade feminina. As telas são para Marilyn Monroe, Jane Fonda, Brigitte Bardot.

♦ Corpo emergente: dedica-se a outras preocupações, não se fala do excesso ou da purificação da sexualidade, mas de direitos à realização pessoal, à profissão, à ambição. Não são as gostosas, mas as inteligentes como Meryl Streep em KramerX Kramer e, ainda, Diane Keaton, inseparável de Annie Hall.

♦ Corpo híbrido: é a mistura de duas naturezas diferentes compondo espécies terceiras, quartas, quintas, que deverão mudar nossas pré-concepções de beleza e forma. Transsexuais, transgenéticos e biocibernéticos são os corpos híbridos em desfile, incorporando travestis, aliens, andróides, replicantes e robôs.

♦ Corpo voador: é o corpo em processo de aprimoramento continuo.
Mais uma bela entre tantas categorizações do corpo.

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...