Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Imagem
Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientizaçãoJoão Vítor Marques /Superesportes Tiago Mattar /Superesportes  postado em 08/03/2017 15:22 / atualizado em 08/03/2017 17:18 FACEBOOKGOOGLE+TWITTER Cruzeiro homenageou mulheres e destacou luta por reconhecimento e igualdade no futebol O Cruzeiro virou destaque internacional nesta quarta-feira, 8 de março. Contra o Murici-AL, o clube utilizará camisas com menção a números que expõem a desigualdade e destacam a violência constante sofrida por mulheres. A campanha de marketing ganhou espaço no inglês The Guardian, um dos principais veículos jornalísticos do mundo, e gerou repercussão nas redes sociais.

A diretora institucional da ONG AzMina, que participou ativamente da ação, explicou ao Superesportes como surgiu a ideia e quais são as finalidades da campanha.

“No fim de 2016, procuraram a gente com um esboço da ideia. Refinamos o trabalho e fomos atrás de um time. O Cruzeiro recebeu de braços abertos, se apaixonaram,…

Campanha do Cruzeiro no Dia Internacional da Mulher é finalista em premiação na França

Imagem
A campanha #VamosMudarOsNúmeros, promovida pelo Cruzeiro em parceria com a ONG AzMina no Dia Internacional da Mulher, foi finalista em duas categorias do Cannes Lions 2017, o Festival Internacional de Criatividade, na França.
Ação teve repercussão internacional ao usar os números das camisas dos jogadores do Cruzeiro para apresentar estatísticas que ilustram o difícil cotidiano das mulheres no Brasil
A ação, realizada na partida contra o Murici-AL, em Alagoas, no último dia 8 de março, teve repercussão internacional ao usar os números das camisas dos jogadores do Cruzeiro para apresentar estatísticas que ilustram o difícil cotidiano das mulheres no Brasil. 
A campanha #VamosMudarOsNumeros teve o apoio da Umbro e da Agência New360.
FONTE: http://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/cruzeiro/2017/06/21/noticia_cruzeiro,410047/campanha-do-cruzeiro-no-dia-internacional-da-mulher-e-finalista-em-pre.shtml

Estudo da Viacom desnuda a 'Geração X'

Imagem
31 de Maio de 2017 17h - Atualizado às 17:41
Por Redação Adnews

geracaox
A Viacom International Media Networks divulgou o seu mais novo estudo global: ‘GEN X TODAY’. Nele, os pesquisadores entrevistaram 12 mil adultos em 21 países por meio de um questionário online. Aproximadamente nove mil tinham entre 30 e 49 anos, com uma amostra de 18 a 29 como comparação. Os países incluídos na pesquisa, além do Brasil, foram: Austrália, Bélgica, Colômbia, República Tcheca, Alemanha, Hungria, Indonésia, Itália, Malásia, México, Holanda, Filipinas, Polônia, Romênia, Singapura, África do Sul, Suécia, Tailândia, Reino Unido, Estados Unidos. Além disso, a Viacom capturou mil imagens via álbuns de fotos e conduziu 36 entrevistas pessoais em profundidade em oito países: México, Colômbia, Brasil, Reino Unido, Alemanha, Hungria, África do Sul e Tailândia.

A pesquisa fornece um novo olhar sobre a chamada Geração X – que atualmente representa quase dois bilhões de pessoas em todo o mundo e uma média de ma…

Grupo Abril revela que Geração X é a que mais consome

Imagem
22 de Junho de 2017 11h - Atualizado às 11:22
Por Redação Adnews

Geração x
Qualquer empresa deseja se comunicar diretamente com seu consumidor e, na era digital, o conceito de público alvo é cada vez mais complexo. Nesse momento, muito se fala na geração dos millennials, mas, de acordo com a pesquisa “O X da Questão”, realizada pelo Grupo Abril, a Geração X ainda é aquela que mais consome.

A pesquisa, apresentada hoje, em São Paulo, traz um olhar inédito sobre a Geração X, que representa as pessoas que têm idade aproximadamente entre 35 e 54 anos. O conteúdo foi construído a partir de um levantamento que contou com duas mil respostas, um estudo neurocientífico, além de uma compilação de informações de mercado sobre essa geração que é a que paga a conta na atualidade.

A Geração X representa hoje ¼ da população e é responsável por mais da metade da renda gerada no país. Comparada aos millennials, cuja faixa etária vai de 20 a 34 anos, a renda da Geração X é 56% superior, de acordo com …

Como Cannes estereotipou a mulher nos últimos 10 anos

Imagem
Na média, personagens femininas dos comerciais inscritos no Festival não trabalham, aparecem na cozinha, não são engraçadas e exibem roupas sensuais

Bárbara Sacchitiello 22 de junho de 2017 - 9h38


Campanha “Women Not Objects”, lançada no ano passado, alertava para a objetificação feminina, que foi detectada nos filmes que concorreram em Cannes (Crédito: Reprodução)
A mulher que apareceu estrelando as campanhas publicitárias que concorreram no Festival de Cannes nos últimos 10 anos é sexy, fala pouco, não trabalha, fica quase sempre em casa (sobretudo na cozinha), não parece ser inteligente, não é divertida e usa roupas que revelam muitos detalhes do corpo. Essa combinação de estereótipos foi extraída da conclusão de uma pesquisa desenvolvida pelo Instituto Geena Davis em parceria com a J. Walter Thompson, que contou também com o apoio de um software desenvolvido especialmente pela USC Viterbi School e com o Google, que fez uma varredura nas peças publicitárias que concorreram ao Festiv…

Objetificação Masculina NÃO é a Mesma Coisa que Objetificação Feminina. Entenda

Imagem
October 26, 2016 Pin it Não procede usar a objetificação masculina para desqualificar a luta contra a objetificação feminina. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.  Ontem eu li uma notícia deveras interessante. Dizia ela que as marcas de cerveja querem se distanciar da objetificação feminina em suas propagandas, enfatizando que a gigante Ambev se tornou signatária dos Princípios de Empoderamento das Mulheres da ONU neste ano. Muito que bem! Taí uma notícia que me deixou muito feliz e que vai fazer com que eu preste atenção extra nas propagandas das marcas daqui em diante pra ver se não é só o discurso que está bonito. Afinal, comerciais de cerveja objetificam mulheres há décadas, não só nos ignorando como consumidoras, como promovendo a nossa desumanização. Infelizmente, não sei o que me deu quando vi essa notícia que resolvi cometer o erro amador de ler os comentários. E sem falta,…