terça-feira, 30 de junho de 2009

O que é mulher bonita para cada um????


que é belo pra você? Um cabelo liso e comprido ou curto e repicado? Um corpo magro e musculoso ou mais gordinho? Um bumbum grande e seios pequenos ou o contrário? Viu como é difícil estabelecer um parâmetro estético?
Afirmar que a beleza está nos olhos de quem vê não é um simples chavão - é a mais pura verdade! Se pegarmos o padrão de beleza feminina, veremos que ele varia muito de lugar pra lugar. E, de acordo com essas ''normas'', pode-se medir o grau de atração da mulherada. Assim, a beleza não pode ser dissociada da cultura.
♦ No Japão: cabelos lisos são bonitos. A moça atraente é pequenina, delicada e frágil. Uma mulher com corpo tipo violão é considerada gorda.
♦ Na Mauritânia: o padrão de beleza é bem diferente do nosso. Lá, quanto mais gorda for a mulher, mais linda e sexy ela é considerada - e maior as chances dela arrumar um marido. Se ainda por cima for divorciada, melhor. O fato de ter casado várias vezes significa que ela é desejada por outros homens, o que a torna bem atraente. Ah, estrias também são admiradas.
♦ Em Mianmá (antiga Birmânia): mulheres da tribo Kayan iniciam os rituais de beleza bem novinhas. Aos cinco anos, elas começam a colocar aros metálicos no pescoço e vão completando a espiral em forma de colar conforme vão ficando mais velhas. São as mulheres-girafa. Elas fazem isso pra agradar ao sexo oposto. Ostentar esse look é um sinal de elegância e status.
♦ Na Nova Zelândia: mulheres maoris praticam um ritual sagrado de beleza, a tatuagem. Elas são consideradas mais atraentes quando seus lábios e queixos são tatuados. Uma mulher com a boca azul é considerada ainda mais bonita e desejável.
♦ No sudeste da Etiópia: as mulheres da tribo de Karo exibem com orgulho cicatrizes profundas na barriga. Elas são feitas durante toda a infância. Quando elas fizerem a última cicatriz, significa que estão aptas a casar e ter filhos - um momento de intensa alegria.
♦ Na França: pra uma mulher ser considerada bonita ela precisa ser magra. Em Paris é praticamente impossível encontrar uma roupa para manequim superior a 42. As francesas também acham sexy envelhecer. Mulheres de 60 anos são consideradas lindas.
♦ No Irã: as mulheres são obcecadas por rinoplastia. Tanto que elas exibem os curativos no nariz durante meses, como sinal de status e beleza.
♦ No Brasil: alguém conhece um homem que não goste de mulher com bundão?

quarta-feira, 24 de junho de 2009

CUIDADO BOLINHA... MENINOS OBESOS PODEM SE TORNAR ADULTOS ANOREXOS...





Sempre que falamos de anorexia, vem à nossa cabeça a imagem de uma mulher magricela preocupada de maneira obsessiva em parecer um esqueleto. Só que os homens também sofrem com isso. O mais curioso é que isso costuma acontecer logo com os que foram gordinhos na infância (será que está aí a explicação para o Bolinha ter emagrecido?).
Estudo do Hospital das Clínicas de São Paulo indica que homens entre 14 e 18 anos que foram obesos têm maior tendência a se tornar adultos anoréxicos. Esse resultado foi observado pelo Ambulatório de Transtornos Alimentares da instituição.
Metade dos homens atendidos no Hospital das Clínicas com problemas de anorexia teve obesidade na infância, sendo esse o fator mais comum para o surgimento do distúrbio alimentar na idade adulta. Além disso, apesar dos sintomas da anorexia serem iguais aos das mulheres, os homens têm mais dificuldade para aceitar a doença e, consequentemente, demoram mais para buscar ajuda.
Em outras palavras: se você for um adolescente gordinho, o melhor é continuar exagerando nos lanches ou vai ficar igual ao
Puro-Osso ;)
Fonte:
Destak JornalESTA É A FONTE QUE MERECE TOTAL DESTAQUE!!!http://www.papodegordo.com.br/index.php/2009/06/18/meninos-obesos-podem-se-tornar-adultos-anorexicos/


VAMOS REPENSAR O ASSUNTO. COMENTEM.

sábado, 13 de junho de 2009

DRUNKOREXIA, MAIS UM TIPO DE ANOREXIA???/

LEIA NOTICIA PUBLICADA NA FOLHA ON LINE. TEMOS MAIS PREOCUPAÇÕES COM TRANSTORNOS ALIMENTARES QE IMAGINAMOS. BEBIDA TIRA A FOME. E TUDO POR UM BELO CORPO.
FONTE: http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vEditoria=Sa%FAde&vCod=67342
Mulheres que sofrem de "drunkorexia" trocam comida por álcool 23h59, 11 de junho de 2009
window.google_render_ad();
Aos 11 anos, Sueli (nome fictício) era uma criança bastante ativa. Fazia natação, ginástica rítmica e até se envolvia em competições. Seu peso era o esperado para uma garota de sua idade, mas, mesmo assim, Sueli não queria comer.
"De manhã, minha mãe mandava o lanchinho para a escola, mas eu não comia. No início, ele embolorava dentro da lancheira. Depois, comecei a jogar fora. À noite eu jantava, mas vomitava tudo", conta.
Sueli faz parte do grupo crescente de mulheres que, em algum momento da vida, desenvolverá algum tipo de transtorno alimentar --no caso dela, os 4% que sofrem de anorexia nervosa. O dado é do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (Ambulim/IPq).
Seu drama alimentar se iniciou com uma anorexia com vômitos provocados. Mas não parou por aí. Com o repúdio aos alimentos, veio o uso de álcool e de remédios para emagrecer. "Com 13 anos, comecei a fazer regime. Estava pesando 67 kg para os meus 1,68 m quando comecei a tomar remédio para perder peso."
O álcool e as drogas psicoativas costumam ser usados para aliviar a dor e a ansiedade causadas pela fome, mas o contrário também acontece. Alcoólatras -ou alcoólicos, termo preferido por entidades ligadas ao tema- e dependentes químicos podem desenvolver transtornos alimentares.
Segundo uma pesquisa feita com 80 pacientes do Programa da Mulher Dependente Química (Promud/IPq), 56% das mulheres dependentes de álcool ou de drogas que estavam em tratamento tinham algum tipo de transtorno alimentar.
Dessa porcentagem, 41% tinham transtorno do comer compulsivo, 30% tinham bulimia e 8% eram anoréxicas. Os dados serão apresentados amanhã no 8º Congresso Brasileiro de Transtornos Alimentares e Obesidade pela psicóloga Silvia Brasiliano, coordenadora do Promud. "As mulheres com transtornos alimentares têm oito vezes mais chance de ter um transtorno relacionado ao álcool e a outras drogas", diz.
A droga mais procurada por quem sofre dos transtornos é o álcool, mas são comuns os casos de uso de anfetaminas, cocaína e crack, que também ajudam a aplacar a fome.
As anoréxicas passam a recusar a comida, mas a aceitar o uso dessas substâncias. As compulsivas geralmente tentam substituir a comida por alguma delas, enquanto as bulímicas juntam, à compulsão, formas de compensar a ingestão de calorias, como vomitar ou usar laxantes e diuréticos.
Foi o que fez Sueli para chegar aos 45 kg. "Durante um bom tempo, fiquei à base só de remédio. Passei 21 dias sem comer, só chupava limão. Comecei a ter quedas de pressão. Aí eu comia e vomitava tudo."
No ano que se seguiu, ela teve grandes alterações de peso e entrou no que se chama de "efeito sanfona". Teve que tomar injeção de corticoides para asma e engordou um pouco. "No fim do mesmo ano, estava com 68 kg. Engordei e fiz dieta de novo. Fui para 78 kg. No início do ano seguinte, eu já estava com 53 kg", lembra.
Para a psicanalista Dirce de Sá Freire, coordenadora do curso de especialização "Transtornos alimentares- obesidade, anorexia e bulimia", da PUC-RJ, a chave dos transtornos alimentares e da dependência de drogas é a mesma: a compulsão.
As duas psicólogas concordam que a sociedade moderna tem sua parcela de culpa nos transtornos. "Nossa sociedade é centrada no indivíduo e há enfraquecimento de vínculo social", afirma Brasiliano.
"Isso abre portas para o que chamamos de patologias do desamparo, como a compra e o jogo compulsivos", completa a coordenadora do Promud.
Dirce de Sá, da PUC-RJ, acredita que esse tipo de comportamento esteja ligado à dificuldade de estabelecer e obedecer a limites. "As marcas do nosso tempo são a falta de limites e o excesso. Estamos sempre à beira da transgressão", diz.
A isso soma-se a busca da imagem ideal, inalcançável para a maioria das pessoas.
"A mídia vê a magreza como padrão ouro de beleza. Há um estímulo a viver perigosamente", afirma o psiquiatra Hamer Nastasy Palhares, do Núcleo Einstein de Álcool e Drogas, do hospital Albert Einstein.
"Drunkorexia"
Musas da música pop como Amy Winehouse e Britney Spears, que frequentemente combinam o uso de álcool e drogas com pouca ou nenhuma comida, costumam influenciar as jovens.
Elas foram a inspiração para o transtorno que vai virar assunto da próxima novela das oito, a "drunkorexia" (em inglês) ou "ebriorexia" (em espanhol). Os nomes não são científicos, mas, segundo Palhares, podem ajudar a esclarecer o problema. "Não é um termo oficial, mas tem um apelo didático. Ajuda as pessoas a identificar que têm um problema", diz.
Embora seja novidade para alguns, os termos já são comuns em blogs de adolescentes. Depois das páginas que encorajavam a anorexia e a bulimia, o assunto da vez é a "drunkorexia".
Ágata (também nome fictício), 19, é um exemplo. Ela e uma amiga criaram uma comunidade no site de relacionamento Orkut para contar suas experiências.
Para não ingerir muitas calorias, Ágata costuma pular refeições e fazer jejum nos dias de festa ou de happy hour. "Evito comer, até para não pesar o estômago, para poder beber à vontade e sentir que minha roupa continua agradável", conta a estudante.
Casos como o de Ágata podem não parecer alarmantes, mas é tênue a linha que os separa da doença. "O divisor de águas é quando a pessoa passa a consumir o álcool a ponto de se envolver em problemas como atrasar no trabalho, provocar uma pequena batida de carro ou restringir a alimentação exageradamente", explica Brasiliano, do Promud.
Antes de frequentar bares ou festas, Ágata teve um "princípio de anorexia". Na época, ela tinha um fotolog onde exibia suas fotos e comunicava os avanços de sua dieta. Com o tempo, porém, a jovem desistiu da ideia e voltou a ganhar peso. "Recuperei todos os sofridos quilos que emagreci", conta.
"De 20% a 30% dos casos de aneroxia envolvem o uso de substâncias psicoativas. É comum haver dieta bastante restritiva e uso de álcool", afirma o psiquiatra Palhares.
Ele lembra que a prática, no entanto, é um péssimo negócio. "Um grama de álcool tem sete calorias, o que é quase o dobro do valor calórico de um um grama de açúcar."
Embora os transtornos alimentares atinjam principalmente as mulheres, eles não são mais problemas exclusivos delas. "Entre 10% e 15% dos anoréxicos são homens. Não é mais uma doença de gênero como se acreditava", diz a psicóloga Dirce de Sá.
Consequências
Ao se deparar com uma página similar à de Ágata na internet, Sueli não se conteve e enviou uma resposta à garota. "Resumi meu histórico para ela e espero que sirva para alguma coisa", diz.
Depois de conviver 25 anos com os transtornos alimentares e a dependência química, entrar em coma alcoólico e tentar o suicídio, ela vê no corpo os efeitos dessa combinação. Sofre de refluxo, hipertensão e problemas intestinais.
Atualmente, Sueli tenta manter sua compulsão sob controle, mas sem ilusões. "Não é fácil, é um problema para a vida inteira", reflete.
Fonte: Folha Online

DEIXO CLARO, NÃO É PREGUIÇA DE ESCREVER, MAS AS NOTICIAIS SÃO TÃO BEM ESCRITAS QUE VALE A PENA REPRODUZI-LAS E DISCUTÍT-LAS. PENSEM... ESCREVAM E DIVULGUEM ESTAS NOTÍCIAS. OBRIGADA
SALVEM AS MULHERES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

MULHER É TRATADA COMO MÓVEL!!!!!!


'NÃO SOU FEMINISTA. MAS NOS DIAS DE HOJE , NÃO DÁ PARA ACREDITAR, QUE EXISTEM OPINIÕES COMO ESSA....


VEJA A NOTICIA PUBLICADA NO JB ONLINE




Mundo árabe trata mulher como um móvel', diz Kadafi
Agência ANSA
ROMA - O líder líbio, Muammar Kadafi, disse hoje em Roma que o mundo árabe enxerga a mulher como "um móvel, do qual pode-se desfazer sempre que quiser, sem que se pergunte o porquê".
Ao falar diante de 700 mulheres no Auditório da Música, Kadafi discorreu sobre as condições de vida às quais são submetidas as mulheres em diferentes partes do mundo.
Ele defendeu a necessidade de "uma revolução feminina, que deve ser construída sobre o fundamento de uma revolução cultural".
Kadafi disse que há "mulheres muito grandes na história da Itália", dentre as quais citou a escritora Matilde Serao (1856-1927), a primeira a fundar e dirigir um jornal no país. O governante citou também a atriz Claudia Cardinale, hoje com 70 anos.
O encontro com as mulheres foi um pedido feito pelo líder líbio ao governo da Itália. A ministra de Igualdade de Oportunidades, Mara Carfagna, participou.
Kadafi chegou à Itália na quarta-feira, dando início a sua primeira visita ao país desde que tomou o poder, há 40 anos. Entre 1911 e 1943, a Líbia foi uma colônia italiana, mas atualmente os dois países mantêm relações muito próximas, sobretudo no âmbito comercial.
Em 2007, quando esteve em paris, Kadafi também falou a uma plateia feminina de mil pessoas. Na ocasião, ele disse que queria "salvar as mulheres europeias".
15:53 - 12/06/2009


ANOREXIA GANHA ESPAÇO NO VERÃO


Noticia publicada no JOrnal DN PORTUGAL....



AlimentaçãoVerão e exames aumentam anorexia e bulimia
por ANA BELA FERREIRAHoje

Especialistas ouvidos pelo DN alertam para possível aumento de casos nesta altura do ano. Dietas por mensagem é a nova moda.
O Verão e a época de exames são duas fases do ano em que os especialistas aconselham os pais a estar atentos ao comportamento alimentar dos filhos. Isto porque há mais condições para novos casos de anorexia e bulimia. "É uma altura do ano que pode ser mais problemática e exige mais atenção dos pais e professores", reconhece a nutricionista Alexandra Bento.
As jovens adolescentes são as que mais sofrem de anorexia e bulimia nervosas. Por isso, a fase dos exames é uma das mais críticas já que "os rituais de alimentação podem ser escondidos debaixo do estudo intenso", alerta a presidente da Associação Portuguesa dos Nutricionistas.
Por seu lado, o psiquiatra Daniel Sampaio entende que o Verão pode um factor de risco, porque "as pessoas preocupam-se mais com o corpo e fazem mais dietas". No entanto, sublinha que "a dieta não provoca anorexia, embora seja perigosa nas raparigas que têm um peso normal e têm antecedentes de distúrbios alimentares".
Já a endocrinologista Isabel do Carmo acredita que podem surgir mais casos de bulimia do que anorexia nesta época do ano. "Os últimos dados mostram que em Portugal o risco de bulimia nervosa é dez vezes superior ao de anorexia", explica a especialista.
Posição contrária tem o nutricionista João Breda, que considera não estar provada a maior incidência de anorexia e bulimia no Verão. O coordenador da Plataforma contra a Obesidade, da Direcção-Geral da Saúde, lembra a importância "de se fazer uma alimentação saudável". E alerta: "As restrições loucas são sempre de evitar porque criam uma má relação com os alimentos, podendo desencadear um comportamento mais arriscado."
A última tendência entre as jovens é a troca de dietas através de mensagens escritas de telemóvel. Uma moda criticada por Isabel do Carmo. "Essas dietas que cabem num texto de mensagem são mesmo erradas", alerta a especialista.
Daniel Sampaio lembra que "não se deve fazer dietas sem a supervisão de um médico ou nutricionista". Apesar do risco, Isabel do Carmo acredita que "quando as jovens têm uma personalidade saudável abandonam estes projectos ao fim de alguns dias".
Os blogues e páginas da Internet que incentivam à anorexia e bulimia também preocupam os especialistas. Isabel do Carmo considera "muito preocupante" as informações que circulam na Internet e sugere "um controlo descontraído" por parte dos pais. Uma forma é "colocar o computador na sala de estar", limitando assim os acessos dos mais novos, indica. Também Alexandra Bento aconselha os pais a "estar mais atentos". Embora admita que "a Internet não é fácil de controlar".
O grande perigo é a tentação para imitar os comportamentos descritos nas páginas da Internet que defendem o ideal de ser magro a qualquer preço.

VALE O SEU COMENTÁRIO. POIS DEPOIS DO INVERNO NO BRASIL JÁ VEM A FEBRE DE SER BELA NA PRIMAVERA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 9 de junho de 2009

Até nossos personagens em quadrinho tem que ser magros??????

A Monica se transformou em outra Monica. Ela revela ser sensual, magra e preocupada mais com questões amorosas. Dessa maneira conquistou o amor e admiração do Cebola , que ao invés de planejar com o Cascão alguma estripulia contra a amiga, fica impotente ao vê-la tão corajosa diante das situações que enfrenta
Luluzinha e Bolinha : Magros e adolescentes?
Na Nova versão em mangás dos personagens , Luluzinha terá mais ou menos 15 anos. Fica esbelta e perde os cachinhos. Bolinha também ficará magro!!!!
A SAGA CONTINUA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
DÊ SUA OPINIÃO

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...