sexta-feira, 29 de julho de 2011

Alimentação irregular pode ser o sinal de algum tipo de transtorno

Associada à ideia de perder peso e a insatisfação com a própria imagem, a bulimia pode ser sinal de transtorno alimentar

Autoestima baixa e insatisfação com a própria aparência, podem ser o motivo que leva muitas pessoas a comer o dia todo e de forma desregrada. Estes podem ser sinais de transtorno alimentar, drama cada vez mais comum do que se imagina, principalmente entre adolescentes que querem seguir padrões de beleza impossíveis. Entre os transtornos alimentares está a anorexia, que provoca a recusa em comer. O mais comum, a bulimia, leva o portador a comer em exagero - mas por um processo de culpa - e depois induzir a eliminação do alimento que já está no estômago.

A psicóloga Alessandra Carvalho Abrahão Sallum esclarece que pesquisas em todo o mundo têm demonstrado que a bulimia atinge de 3 a 7% das jovens. Índice que, na avaliação da especialista, é preocupante. “Considerando episódios de bulimia, não a doença instalada, 40% das universitárias têm algum episódio de bulimia por ano. Em algum momento da vida, elas acabam induzindo vômito ou tomando algum remédio para manter o peso”, alerta.

A ocorrência de pelo menos dois episódios de compulsão alimentar por semana, durante três meses, seguida de vômito e de sensação de culpa caracteriza início de processo bulímico. A psicóloga destaca que é fundamental que estes sinais sejam identificados precocemente por familiares ou amigos, para que a pessoa seja encaminhada ao tratamento adequado. “É comum que as pessoas escondam sua situação, isso gera um afastamento social, o que torna mais difícil tratar”, explica Alessandra.

Os hábitos mais evidentes são comer sem parar, especialmente escondido, para depois se trancar no banheiro, para vomitar, ou o consumo de medicamentos laxantes e diuréticos. A psicóloga revela que quem passa muito tempo na academia com excesso de exercícios e pratica dietas severas ou mesmo jejuns, são doentes em potencial.

A especialista afirma ainda que sintomas depressivos também podem ser sinais. “De 20 a 70% das pessoas com bulimia têm depressão. Uma pessoa triste, que não come direito ou esteja fragilizada, precisa ser acompanhada”, destaca Alessandra. Outra dica é fazer exames médicos frequentes, porque um profissional terá condições de detectar desidratação, falta de minerais e vitaminas, anemia e uma possível esofagite, problemas que surgem em casos mais prolongados de bulimia.

Jovens obesas acreditam que ter o corpo magro é ser feliz

Para adolescentes obesas, ser magro é fazer parte da sociedade, ser feliz, bem-sucedido, vencedor. Essa é a conclusão da dissertação de mestrado A representação social de um corpo magro por adolescentes obesas, defendida em maio de 2011 por Dressiane Zanardi Pereira na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, sob orientação de Fernando Lefèvre.
No primeiro semestre de 2010, Dressiane entrevistou individualmente 32 alunas participantes do Programa de Atividades ao Paciente Obeso (Papo), oferecido gratuitamente desde 1996 por uma equipe de profissionais multidisciplinar da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
O Papo tem por objetivo envolver as adolescentes em práticas de atividade física, alimentação adequada e autoconhecimento, além da diminuição do excesso de peso.
As adolescentes passavam por uma seleção antes de serem aceitas no programa. A turma entrevistada pela pesquisadora era composta por garotas entre 13 e 16 anos, com condições sociais e físicas semelhantes. Essa triagem evitaria que alguma delas se sentisse excluída dentro da turma.
A análise dos dados obtidos foi feita com base na metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), desenvolvida por Fernando Lefèvre e Ana Maria Cavalcanti Lefèvre, ambos da FSP, utilizando o software Qualiquantisoft. Para cada resposta de cada pergunta foi elaborado um DSC, um texto escrito como se fosse falado por um único sujeito, mas que contivesse os aspectos mais relevantes e comuns nas respostas de cada uma das adolescentes.
O questionário apresentado às entrevistadas trazia três perguntas abertas. A primeira era “A que se deve o fato de você estar acima do peso?”. A grande maioria das respostas culpavam maus hábitos alimentares e compulsão alimentar devido a emoções negativas.

“Muitas delas diziam que não tinham bons hábitos alimentares em casa e culpavam os pais por isso. É claro que os familiares têm parcela de responsabilidade, mas menos do que elas diziam. A maior responsabilidade é delas mesmas”, afirma Dressiane.
É importante dizer que meninas cujas famílias ajudaram diretamente nas mudanças de comportamento tiveram melhoras muito mais significativas do que aquelas que não tinham tanto apoio. “[A adolescência] é uma fase complicada. Você não faz compras sozinho, não decide tudo o que vai comprar, comer. Elas precisam do apoio dentro de casa para melhorar seus hábitos”, explica.

A segunda pergunta era “O que você espera com o programa Papo?”. Todas as garotas responderam que esperavam emagrecer. Algumas acrescentavam que pretendiam melhorar autoestima e a estética ou melhorar a saúde. “Algumas delas chegavam com comorbidades, por exemplo, colesterol alto. Por isso elas tinham consciência da questão médica”, explica Dressiane.



Passe de mágica

A terceira e última questão era “Se você for bem sucedida com o programa, se acontecerem as coisas que você espera, o que você acha que vai mudar na sua vida?”. A maior parte das respostas dizia que o sucesso no programa aumentaria a aceitação das pessoas, melhoraria a sociabilidade e acabaria com os preconceitos sofridos pela obesidade.
“Elas acreditavam que com o emagrecimento a vida delas melhoraria em vários aspectos. Era como se tudo mudasse num passe de mágica. Mas não é assim que as coisas acontecem”, diz a pesquisadora.

Uma das fontes lidas para o desenvolvimento do trabalho, a psicanalista Maria Rita Kehl, escreveu sobre o corpo na sociedade contemporânea, dizendo que ele foi promovido “ao mais fiel indicador da verdade do sujeito, da qual depende a aceitação e a inclusão social”.

Em outras palavras, um corpo magro possibilita uma melhor interação com as outras pessoas. É justamente essa ideia que aparece nas falas das adolescentes entrevistadas na pesquisa.

Sobre políticas de saúde para a obesidade, Dressiane afirma que na maioria das vezes são ações isoladas, mas sem incentivo. Ela ainda diz que o Brasil passou da subnutrição à obesidade e que é preciso lidar com os problemas biológicos da doença. “O obeso pode ter diabetes, pressão alta, problemas cardíacos. É necessário ter cuidado com essas pessoas”.

Graduada em Têxtil e Moda pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, Dressiane conta que a maior parte dos trabalhos sobre obesidade na área da saúde são epidemiológicos. “Poucos são os trabalhos com viés mais social. Acho que essa é uma das diferenças que consegui trazer da minha graduação para o trabalho na área da saúde”, conclui.




Fonte: RAC

MULHER: CORPO, CONSUMO &; COMUNICAÇÃO: Corpo, beleza e consumo na atualidade

MULHER: CORPO, CONSUMO &; COMUNICAÇÃO: Corpo, beleza e consumo na atualidade

Corpo, beleza e consumo na atualidade




































Um pouco da minha opinião sobre o assunto publicada ontem no Jornal Brasil Economico

BRASIL ECONÔMICO (SP) • COLUNAS • 28/7/2011

SELMA FELERICO
Corpo, beleza e consumo na atualidade

Desde meados do seculo 20 e seu apice no 21, assistese a uma crescente idolatria pela perfeicao estetica e corporal da sociedade, em todas as classes sociais e faixas etarias. O corpo bem definido, sarado e trabalhado representa o dominio sobre a natureza, o simbolo da beleza no imaginario coletivo, tornando-se uma escrita altamente reivindicada e fundamentada no imperativo de se transformar, se modelar e se colocar no mundo. A gordura, flacidez e sedentarismo simbolizam a indisciplina, o descaso.
As pessoas sao culpadas pelo fracasso do proprio fisico. O ideal de perfeicao popularizou-se, principalmente, nos anos 1970. O excesso de exposicao das modelos fotograficas e das manequins, tornando-as celebridades, ditou um novo padrao de beleza para a mulher. Uma beleza a ser alcancada e, por que nao dizer, a ser consumida diariamente pela mulher, juntamente com os produtos e servicos representados por ela.
A beleza significa um empreendimento a ser valorizado da melhor maneira possivel e a merce de seus sentimentos esteticos, gerando novas praticas de consumo. Para muitas e essencial administrar seu corpo, da mesma forma como sao gerenciados seus outros patrimonios e dos quais a perfeicao fisica se aproxima cada vez mais. Os anuncios publicitarios apresentam o discurso de gsucesso h das pessoas que mantem o corpo belo e passam a fazer parte da memoria afetiva do consumidor. Mais do que textos persuasivos, carregados de desejo, o corpo perfeito aparece como algo fundamental para uma nova vida: gleve h, gbem acabada h e gfeliz h. Sao significados facilmente reconhecidos e marcantes, que fazem parte do repertorio coletivo na atualidade.
A midia adquiriu um imenso poder de influencia sobre os individuos, massificou a paixao pela moda e tornou a aparencia uma dimensao essencial na sociedade. A cirurgia plastica, um servico elitizado acessivel somente a famosos e pessoas pertencente a classe A, passou a ser popular. Ha informacoes a respeito do valor das cirurgias ou formas de pagamento em varias pecas publicitarias, sites e ate faixas de rua, cujo parcelamento e plano de estetica sem carencia indicam a popularizacao dos tratamentos e operacoes para esculpir o corpo. A sociedade esta cada vez mais obcecada emser perfeitamente bela e retardar o envelhecimento. Curiosamente, enquanto o discurso publicitario privilegia a exclusividade - a oportunidade de voce ser unico e diferente ao adquirir o produto, as mulheres submetem-se a intervencoes cirurgicas e tratamentos esteticos no intuito de se assemelhar umas com as outras.
O sentimento de pertencimento e mais significativo do que a vontade de se destacar perante os demais.









terça-feira, 26 de julho de 2011

Aplicativo permite simular resultado de cirurgias plásticas.

Acessório foi desenvolvido para promover serviços de clínica americana de estética e permite simular cirurgias plásticas em diversas partes do corpo.




O que você mudaria na sua aparência? A pergunta pode ser respondida na forma de brincadeira para proprietários de iPhones, iPods e iPads.



Para promover seus serviços, a clínica americana de estética Spa Allure Medical desenvolveu um aplicativo, denominado Boost Your Beauty, para aqueles que desejam modificar algo em seus corpos, mas gostariam de verificar o resultado antes de encarar uma cirurgia de fato.
O funcionamento do aplicativo, que está disponível gratuitamente no site iTunes, depende do upload de uma foto da parte do corpo na qual o usuário faria uma transformação. O acesso à ferramenta é proibido para menores.
Agora ficou mais fácil optar por uma cirurgia plástica sem se arrepender depois.
NÃO FALTAVA MAIS NADA....

CRESCE O NÚMERO DE HOMENS COM ANOREXIA



O número de homens sofrendo com transtornos alimentares está crescendo. As informações são da Escola Real de Clínicos Gerais, no Reino Unido. Segundo o Serviço Nacional de Saúde (NHS) do país, nos últimos dez anos, o número de homens internados com distúrbio alimentares na Inglaterra, aumentou em 66%. Há estimativas de que 1,6 milhão de pessoas sofram de distúrbios alimentares no Reino Unido. Sendo que a cada 5 pessoas, uma é do sexo masculino.As estimativas não são exatas porque o Departamento de Saúde só contabiliza o número de internações.

A clínica geral, Claire Gerada, do Royal College acredita que os métodos para o diagnóstico da doença devem mudar, já que a maioria dos testes é voltado para o sexo feminino. O aumento dos transtornos alimentares entre os homens acontece porque eles estão mais preocupados com a auto-imagem. “ Eles estão fazendo mais dietas do que se pensa”. Disse Claire. “Fico preocupada com a entrada dos rapazes na Universidade. A preocupação com a aparência aumenta e pode desencadear os transtornos”



Ben Porter, 20 anos, sofreu com anorexia e bulimia desde os 14 anos de idade.
Depois de muito tempo, Ben marcou uma consulta com um clínico geral. Mas sentiu que eles se preocupavam apenas com as questões físicas e não com o aspecto psicológico da sua doença.
Ben foi colocado em uma lista de espera do Serviço Nacional de Saúde, mas sua situação piorou e ele foi para o tratamento privado.Ele está mostrando sinais de melhora, e conseguiu comer batas fritas pela primeira vez em cinco anos.
Ben diz que as escolas deveriam tratar de questões de confiança e autoestima da mesma maneira para meninos e meninas.
"Anorexia tanto masculina quanto feminina, é um problema grave. Precisa ser tratado não apenas como um distúrbio feminino, mas algo que pode afetar qualquer pessoa". Disse ele

Fonte: BBC News

Modelo demasiado magra obriga marca de roupa a retirar fotografia publicitária

A marca de roupa britânica Topshop viu-se envolvida numa polémica depois de ter publicado uma campanha publicitária com uma modelo que parece extremamente magra numa das imagens

A celeuma foi tão grande que a Topshop se viu obrigada a retirar a fotografia da modelo, assegurando, porém, que tudo não passa de uma fotografia mal conseguida e que a modelo é saudável, não tendo qualquer problema de anorexia.


A modelo em questão tem 18 anos, é australiana e chama-se Codie Young. Na imagem da polémica, para a linha Prim and Proper, a modelo aparece com grandes óculos de sol e uma silhueta que se intui demasiado magra debaixo do vestido azul que enverga.

Após um coro de críticas por parte de indivíduos e associações de apoio a vítimas da anorexia nervosa, a marca de roupa viu-se obrigada a substituir a fotografia por uma outra em que a modelo já parece um pouco mais robusta.
O porta-voz da Topshop, Andrew Leahy, reconheceu que a modelo parecia demasiado magra naquela fotografia em concreto, mas garantiu que Codie Young é perfeitamente saudável e que veste o número 36 (e não o 32, como alguns media tinham avançado). “O vestido que ela tinha posto era o número 38 e talvez por isso pareça mais magra do que na realidade é”, explicou Andrew Leahy. “Eu estive com ela na sessão fotográfica e ela é uma rapariga perfeitamente feliz, saudável e normal”, garantiu ainda o mesmo responsável.
A própria manequim veio igualmente a público explicar que não é anoréctica e que reivindica o direito a ser “naturalmente magra” sem que seja acusada de padecer de doenças.
A jovem já foi capa da edição australiana da “Vogue” e trabalhou para marcas conhecidas como a Calvin Klein, Chanel, Lanvin e a Marc Jacobs, relata o “El País”.
“Sinto-me magoada com estes comentários (...) É muito pouco ético que me acusem de não comer com comentários como ‘parece doente’. Sou naturalmente magra, fui assim a vida toda porque o meu pai é muito alto e a minha mãe magra”, escreveu a adolescente australiana no seu blogue pessoal.
Um dos casos mais dramáticos de uma modelo que sofria de anorexia foi vivido pela francesa Isabelle Caro que chegou a pesar 31 quilos, com 1,64 metros. Morreu da doença, em Novembro de 2010, com 28 anos. Dois meses depois, a mãe da modelo cometeu suicídio.

 

E A SAGA DAS MODELOS CONTINUA... NADA MUDOU EM PLENO SECULO XXI

Atriz de 'Gossip Girl' processa mãe por gastar pensão em plástica

A atriz americana Leighton Meester, protagonista da série Gossip Girl, entrou com um processo contra sua mãe pelo uso indevido de dinheiro que devia ser usado para os cuidados médicos de seu irmão.


Segundo informou nesta segunda-feira (25) a revista americana People, a mãe da atriz, Constance, gastou os US$ 7,5 mil mensais que sua filha enviava para seu irmão para cirurgias plásticas, uso de botox, extensões de cabelo e outras despesas pessoais, enquanto o dinheiro devia ser investido para custear uma série de tratamentos não revelados para Lex, o irmão da atriz.
"Toda esta situação foi realmente dura para Leighton", afirmou uma fonte à publicação. "Sua única preocupação sempre foi cuidar de seu irmão. Sempre teve uma relação muito próxima com ele e com seu pai. É uma menina doce, se preocupa com seu trabalho, seus amigos e sua família", acrescentou. Os pais de Meester são separados e Constance, segundo declarações da atriz, se nega a trabalhar e espera que a "sustente economicamente".



A atriz de 25 anos assegura que sua mãe ameaçava processá-la por US$ 3 milhões se ela não aumentasse a ajuda para US$ 10 mil mensais, quantidade que supostamente tinham pactuado em um acordo oral, segundo sua mãe.
Não é a primeira vez que a mãe da atriz tem problemas com a Justiça. No anos 1980 foi declarada culpada de ajudar um narcotraficante a passar contrabando da Jamaica aos EUA. Durante o processo, Constance deu à luz a Leighton em um hospital de Forth Worth (Texas) e pôde cuidar dela durante três meses em um centro de reabilitação antes de retornar a prisão.
Atualmente, a atriz está nos cinemas americanos com o filme Monte Carlo, uma comédia juvenil protagonizada por Selena Gómez.
PARA PENSAR E REFLETIR O QUE FAZEMOS COM NOSSOS CORPOS E COM A SAUDE EM GERAL



segunda-feira, 25 de julho de 2011

O futebol paraguaio recentemente se notabilizou menos pelos bons jogadores que exporta e mais pela geração de musas de recheados decotes que adornam sua torcida. Proliferam em jornais, revistas, sites e TVs de diversos países as imagens de paraguaias exibindo seus dotes físicos - naturais ou devidamente comprados - nos jogos da seleção alvirrubra.

Esta produção em série começou no próprio país, durante a Copa do Mundo de 2010, de carona com o time que brilhou na África do Sul. Tem continuidade neste mês de julho, com mais candidatas a vedetes, na Copa América, na Argentina. Nesta quarta-feira (20), a partir das 21h45, no duelo entre Paraguai e Venezuela pelas semifinais, novo desfile é esperado.
Algumas garotas conseguiram ensaios fotográficos, contratos publicitários, participação frequente em eventos e convites midiáticos. Nos estádios, há quem faça propaganda e quem esteja em busca de oportunidades como essas.
- Salvo as feministas, não houve uma reação social contrária, e isso mostra que existe uma sociedada cúmplice no Paraguai sobre a mercantilização do corpo e da vida das mulheres - analisa, em entrevista a Terra Magazine, María Limpia Díaz, coordenadora nacional do Comitê da América Latina e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (Cladem).
Ela lembra que comportamento semelhante ocorre no Brasil. E critica "o sistema patriarcal unido ao do capitalismo", os "estereótipos que a sociedade global e suas distintas culturas assumem como feminino ou masculino", destacando o "papel preponderante" dos meios de comunicação de massa.
- Estas imagens sexistas não demonstram a heterogeneidade e multiculturalidade das mulheres paraguaias, porque se oferece majoritariamente ao espectador(a) uma representação de mulher, "ideal", que costuma ser "branca, jovem e magra". É uma distorção da realidade, que prejudica a identidade da mulher - avalia a representante do Cladem no Paraguai. - Só contribuem para manter as desigualdades de gênero e injustiças institucionalizadas - acrescenta.



Leia a entrevista completa.
Como foi, no Paraguai, a reação à divulgação internacional de imagens de torcedoras paraguaias em poses sensuais, com chamativos decotes ou seminuas?

María Limpia Díaz - Creio que, na realidade, salvo as feministas, não houve uma reação social contrária, e isso mostra que existe uma sociedada cúmplice no Paraguai sobre a mercantilização do corpo e da vida das mulheres.

Como o Cladem avalia este tipo de exploração da imagem de mulheres paraguaias? Prejudica a população feminina?
O sistema patriarcal unido ao do capitalismo hoje utiliza o corpo das mulheres e as mercantiliza. Isso se acentua e se reproduz através da publicidade, exercendo os meios de comunicação de massa um papel preponderante. Os estereótipos que a sociedade global e suas distintas culturas assumem como feminino ou masculino se manifestam em imagens sexistas que só contribuem para manter as desigualdades de gênero e injustiças institucionalizadas e em nada para fomentar uma imagem pluralista e promotora do respeito à diversidade estética e de gênero existentes nas sociedades paraguaia e latino-americana.
Uma ação importante que o Cladem Brasil teve na luta pela eliminação da discriminação às mulheres foi a denúncia apresentada ao Ministério Público (em 2003) para que adotasse medidas correspondentes a fim de que a empresa Kaiser retirasse de forma imediata todas as publicidades referidas a "Mulher e Cerveja: Especialidades da Casa".
Todos os Estados que firmaram e ratificaram a "Convenção sobre a Eliminação de todas as formas de discriminação contra a Mulher (CEDAW) estão obrigados pelo artigo 2 a tomar todas as medidas para a eliminação da discriminação às mulheres". O Estado deve tomar as medidas adequadas para eliminar o sexismo e a discriminação às mulheres, e a sociedade civil tem que exigir o cumprimento das mesmas, como o fez no caso da empresa Kaiser.
Pode-se criar estigmas negativos sobre a mulher paraguaia?
Estas imagens sexistas não demonstram a heterogeneidade e multiculturalidade das mulheres paraguaias, porque se oferece majoritariamente ao espectador(a) uma representação de mulher, "ideal", que costuma ser "branca, jovem e magra". É uma distorção da realidade, que prejudica a identidade da mulher, que fica subordinada geralmente ao desejo e ao poder do homem.
Este comportamento dificulta a luta pelos direitos das mulheres no Paraguai? Faz retroceder o processo de evolução do papel da mulher?
Do movimento feminista que impulsiona demandas, luta e conquistou avanços historicamente, se fez e avançou muito, entretanto, isso segue nos demonstrando que ainda nos falta muito o que exigir; não se trata de culpas individuais, e sim de um sistema sociocultural, que não nos permitiu ver-nos como o que somos: seres humanos.

Há riscos de esta imagem criada sobre o Paraguai atrair o chamado turismo sexual?
A "coisificação" do corpo das mulheres foi um dos motivos principais de exploração de seus corpos por parte de terceiros e, sendo assim, enquanto seguimos reproduzindo a imagem de mulher "coisa", de "objeto sexual", seguirá havendo este tipo de exploração e escravidão.
Segue sendo uma preocupação e desafio afrontar o turismo sexual e o risco do uso de mulheres e meninas com fins de exploração sexual, que ameaça de forma constante as mulheres no Paraguai.

http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2011/07/20/entidade-musas-paraguaias-prejudicam-identidade-da-mulher/

Polícia investiga morte de mulher que fez cirurgias na Bolívia

Sexta-feira, dia 15 de Julho de 2011 às 10:30hsCampo Grande News
A Polícia Civil de Corumbá investiga a morte de uma mulher de 56 anos que morreu no Aeroporto Internacional de Corumbá.
Eunice Lemos Tavares passou por várias cirurgias plásticas na cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia e estava em um avião equipado com UTI móvel que pousou no aeroporto. A mulher é de Vilhena, em Rondônia
Segundo o site Diário Online, quando a polícia chegou ao aeroporto, Eunice já estava morta. Na aeronave, também estava um médico que não é o responsável pelas cirurgias e a irmã dela. O fato aconteceu no dia 05 deste mês.
Se for comprovada a negligência do médico que realizou os procedimentos, ele será interrogado. A polícia aguarda o resultado do exame necroscópico que esclarecerá a causa da morte.


Priscila Machado, candidata do Rio Grande do Sul, é a grande vencedora do Miss Brasil 2011. Além da faixa e da coroa, ela levou 200 mil reais em contratos de trabalho, um carro, uma viagem a Lisboa e o direito de representar o Brasil no Miss Universo, que vai acontecer em setembro em São Paulo.


As outras quatro finalistas foram Miss Amazonas Tammy Cavalcante (quinta colocada), Miss São Paulo Rafaela Butareli (quarta colocada), Miss Acre Danielle Knidel (terceira colocada) e a Miss Bahia Gabriela Rocha (segunda colocada).

"Acho que a diferença foi a minha preparação. Me preparo há quatro anos", diz a coroada. "Não me considero a mais bela do Brasil, mas a mais preparada para representar o Brasil no Miss Universo."

Com 25 anos, ela é a mais velha das candidatas e já havia tentado o Miss Brasil por duas vezes, uma pelo Rio Grande do Sul e outra pelo Rio de Janeiro. Para se aperfeiçoar fez três plásticas, uma rinoplastia, lipoaspiração e silicone no peito. "Fiz e não tenho vergonha em dizer que fiz plástica. Acho que a mulher que não está se sentindo bem tem que fazer", opina.

Vaias PARA AS plasticas?????

Ao ser declarada Miss Brasil, Priscila recebeu aplausos mas também algumas vaias, principalmente depois que a transmissão ao vivo acabou. O público - até por questões geográficas, o concurso aconteceu na capital paulista - torcia para Miss São Paulo. Rafaela Butareli, aliás, era considerada favorita na internet.

A própria Adriane Galisteu, apresentadora do concurso, ficou surpresa com a escolha. "Eu também fui perguntar para os jurados o que tinha acontecido e, segundo eles, ela era a mais preparada, que não é só beleza, tem que ter postura. Ela tem total condições no Miss Universo", opina a loira, que gostou da potiguar Daliana. "Eu gostei da do Rio Grande do Norte e minha mãe da Bahia, mas é o que eu falei: tem que ter postura."
E AS PLASTICAS REINAM SOLTAS NO MUNDO DA BELEZA????????????????



domingo, 24 de julho de 2011

Silicone é a plástica campeã entre as candidatas ao Miss Brasil 2011


Hoje, para ser Miss Brasil, não é mais necessário ter os clássicos 90-60-90 centímetros de quadril, cintura e busto. As medidas, segundo a assessoria do concurso, não têm um padrão rígido, a candidata precisa apenas ser proporcional. Apesar da folga na fita métrica, as misses não descansam em sua busca de corpo e rosto perfeitos e se submetem a cirurgias plásticas quando necessário. E, para elas, quase sempre é necessário.




"Para ser miss tem que se sentir bem. Se você achar que deve fazer mil plásticas, ser transformada, então faça. Se você quiser vir de cara lavada, está ótimo também", opina a Miss Rio Grande do Sul Priscila Machado, que já fez lipoaspiração, silicone e rinoplastia.



Cerca de 95% das meninas que concorrem ao Miss Brasil 2011 fizeram algum tipo de plástica, segundo a equipe médica que acompanha as candidatas. A intervenção campeã é o silicone - das 27 candidatas apenas 10 não tem a prótese mamária. Anastácia Duarte, a Miss Ceará, por exemplo, quando trabalhava como modelo era feliz com suas imperfeições, mas, para o concurso de beleza, fez uma "reconstrução total", botou peito e operou a aba do nariz. "Jamais pensei em colocar silicone. Mas para ficar mais competitiva, eu achei interessante colocar", conta a cearense, hoje com 300 ml.

Outras já tinham a prótese muito antes de Outras já tinham a prótese muito antes de pensar em ser miss. "Coloquei silicone com 17 anos porque tinha 1,80 e nada de peito", conta Daliane Menezes, a Miss Rio Grande do Norte, que botou discretos de 215 ml. Mas se dependesse de agentes e palpiteiros, Daliane não tinha parado só nos seios. "Disseram que quando eu sorria parecia que estava chorando, que minha boca era torta, que a bochecha era grande, que eu tinha que raspar meu osso, diminuir o queixo. Eu disse tchau e benção", conta, bem humorada, a potiguar que brecou aqueles que queriam transformá-la num Frankestein.




Mesmo as meninas que nunca entraram na faca, não descartam a possibilidade. "Me falaram para eu fazer queixo, silicone, lipo, mas eu sou natural mesmo. Faria, se precisasse, mexeria na orelha", conta a Miss Alagoas Stefanie Carvalho. Rafaela Butareli, a Miss São Paulo, também tem tudo original de fábrica, mas pensa em turbinar. "Nunca fiz plástica, mas eu faria. Tenho vontade de colocar silicone, mas não é algo que eu vá fazer correndo para o concurso. A medicina está aí para ser usada."

Disponivel em http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1668133-9798,00-SILICONE+E+A+PLASTICA+CAMPEA+ENTRE+AS+CANDIDATAS+AO+MISS+BRASIL.html

acesso em 24 de julho
E O CONSUMO CORPORAL CONTINUA A TODO VAPOR, OU MELHOR SILICONE






Homens buscam cada vez mais cuidados estéticos

23/07/2011 - 09:10



Vaidade masculina chama atenção do mercado e incentiva lançamento de produtos cosméticos especialmente formulados para eles.
Foi-se o tempo em que a preocupação para evitar os sinais do tempo era apenas feminina. É cada vez maior o número de homens que se cuidam para manter a aparência jovial e saudável. Nas clínicas de cirurgia plástica, por exemplo, eles já representam 30% da procura por intervenções. Todo esse crescimento vem chamando a atenção também da indústria cosmética, que tem lançado produtos exclusivamente para o público masculino.
Além de lotar academias de ginástica em busca de um corpo perfeito, os homens têm cuidado mais da saúde, buscado orientações sobre educação alimentar e, claro, procurado evitar as rugas e sinais de envelhecimento da pele. Os motivos são variados, desde exigências de um mercado de trabalho mais competitivo, o aumento da expectativa de vida e mesmo os jogos de sedução. “A procura por cosméticos para o público masculino está grande, especialmente com a proximidade do Dia dos Pais”, afirma Ana Maria Gusmão, diretora da Sotareli Cosméticos, empresa especializada em cosméticos de tratamento.

 
E O CONSUMO ABRIU MAIS UMA PORTA PARA NOVAS PRÁTICAS COMPORTAMENTAIS

Adolescentes fazem mais cirurgias plásticas

No país campeão em cirurgias plásticas, é preocupante o número de adolescentes que procuram os consultórios em busca de uma nova aparência. As operações precoces são cada vez mais comuns.
As soluções que parecem mágicas seduzem cada vez mais adolescentes no país. Eles já respondem por 8% das pessoas que passam pelas mesas cirúrgicas, o que faz com que os médicos desempenhem também um novo papel.
Desde que o jovem seja saudável, não há idade mínima para a intervenção cirúrgica. Cada caso deve ser avaliado de forma separada e, diante de um pedido do filho, os especialistas sugerem aos pais que ele passe por uma avaliação psicológica para desvendar a origem desse desejo de transformação.

Lipo e Belza caminham juntas??????????????






Beleza pura

A Miss Brasil 2010, Débora Lyra, fez uma lipoaspiração após receber críticas sobre seu peso. Por conta disso, ela aparecerá mais magra no palco do concurso Miss Brasil 2011, hoje à noite, em São Paulo, quando deverá entregar a faixa de miss para a vencedora. A disputa será transmitida pela Band, com apresentação de Adriane Galisteu.

O Dr. Robert Rey, protagonista do programa Dr. Hollywood, da RedeTV!, adaptação do reality norte-americano Dr. 90210, será jurado do Miss Brasil deste ano. O cirurgião plástico chegou ontem no país e se encaminhou para sua agência, a Ten Management, para acertar os últimos detalhes da sua participação no evento.
“Quando o assunto é mulher bonita e estética estou certo que escolherei a mais bonita de todas, estou acostumado a tratar com beleza”, afirmou o médico.




DISPONIVEL; http://www.parana-online.com.br/colunistas/207/87018/ acesso em 24 de julho

ENFIMA TRAÇOS NATURAIS NÃO FAZEM A BELEZA FEMININA. SÃO APERFEICOADOS COM COMPRADOS EM CLÍNICAS E INTERVENÇÕES CIRURGICAS

terça-feira, 19 de julho de 2011

Cássia Kiss detona colegas globais que exageram no botox

Cássia Kiss não poupou palavras ao criticar a mulherada da Globo que se acaba no botox.
Em entrevista à revista Veja, a atriz comentou que é contra cirurgia plástica e outros procedimentos estéticos.
- Detesto plásticas e botox. Odeio também quem faz. É lamentável ver como minhas colegas de profissão ficam horrorosas.
Uma atriz de O Astro, que é uma das campeãs de botox na TV, ficou incomodada com a declaração de Cássia Kiss. Vai ver ela achou que era indireta...
Ainda bem que Cássia Kiss não citou ninguém de outras emissoras, senão Amaury Jr. e Eliana também poderiam se sentir ofendidos.
No ar em Morde & Assopra, Cássia praticamente tem carregado a novela nas costas. Ela e sua interpretação impecável estão roubando a cena na trama.

http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=6&idnot=57460
NEM MESMO AS ESTRELAS GLOBAIS SUPORTAM TANTO BOTOX NA HUMANIDADE

Tratamentos estéticos carecem de estudos científicos sobre eficácia e segurança


O presidente da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica Estética, Felmont Eaves, diz que cirurgias plásticas e tratamentos estéticos ainda não podem ser confirmados como eficazes e seguros, conforme publicado no "Estadão".Apesar da grande procura por eles, principalmente em sites de compras coletivas, ainda existem dúvidas e muitos casos de insucesso.
Técnicas como carboxiterapia, mesoterapia e lipoaspiração a laser são famosas entre as mulheres que procuram tratamento para as suas medidas a mais, mas é preciso tomar cuidado.
"O que escutamos nos encontros médicos é: Tenho feito assim com meus pacientes e eles gostam'. Mas isso não é ciência de qualidade", diz Eaves, que preza por estudos mais consistentes nesta área. O presidente também ressalta que "muitas dessas novas tecnologias são um problema, pois as empresas começam a vendê-las antes mesmo de estudá-las".
A lipoaspiração a laser promete recuperação mais rápida que a convencional, mas foram encontrados apenas dois estudos sobre a comparação entre as duas técnicas, sendo apenas um deles favorável à lipo a laser.
Sobre a carboxiterapia, apenas um estudo foi encontrado.
A mesoterapia foi a técnica da qual mais se controu informações, que consistiam em relatos de casos.
O cirurgião plástico Eduardo Lange avalia que grande parte das técnicas estéticas para a perda de gorduras, normalmente diminui a retenção de água, a paciente perde medidas e fica com a impressão de que emagreceu. "Além disso, pedem que as pacientes façam regime e drenagem linfática", afirma.

http://www.sidneyrezende.com/noticia/138052+tratamentos+esteticos+carecem+de+estudos+cientificos+sobre+eficacia+e+seguranca
acesso em 19 de julho
CUIDADO NOSSOS CORPOS MERECEM RESPEITO


A Doença do Consumismo

Daniel Piza - O Estado de S.Paulo


Folheio um livro que minha filha de 9 anos pediu para comprar, indicado por uma coleguinha, Monster High, de Lili Harrison (sim, título em inglês, editora brasileira ID), e me espanto com o número de grifes citado por página. É uma história de meninas numa cidade que estaria sendo ocupada por monstros, algo assim. Quando um carro passa em velocidade, não é isso que lemos, mas que "um utilitário esportivo verde, BMW, passou em velocidade". Se um menino monta barraca no acampamento, somos informados de que se trata de "uma barraca cáqui da Giga Tent". Se uma bolsa é apoiada, ficamos sabendo que ela também é verde, afinal a dona leu que "o verde é o novo preto" em alguma matéria ou anúncio (quando, obviamente, se pode distinguir uma do outro nas revistas). Celebridades como Shakira, Beyoncé e Feist são enumeradas. Um figurino pode ser "punk-gracinha"; um móvel, "Calvin Klein cor de berinjela"; a echarpe, "cor de fúcsia". Celulares tocam e posts tuítam o tempo todo, qualquer pessoa com mais de 30 é "velha" e a protagonista, uma adolescente que se chama Melody e fez cirurgia plástica no nariz.

Mas pulo para o final do livro e Melody diz a um amigo que "quando temos aparência diferente e as pessoas gostam de nós do mesmo jeito, sabemos que é pelos motivos certos" - ou seja, não por serem bonitas ou estilosas, prontas para "roubar o namorado delas". Depois de 380 páginas, portanto, eis a lição: "Quero que as pessoas parem de ter tanto medo das diferenças umas das outras". Bem, isso é no mínimo desonesto: se os gostos não dependem das aparências, por que insuflar de tal modo o frenesi consumista dos leitores mirins? Não é muito diferente de um seriado de TV como Pretty Little Liars, que interessa às espectadoras muito menos pelas questões existenciais do que pelos figurinos e penteados que as bonitinhas desfilam. Na escola da minha filha, há alunas que comemoram o aniversário ganhando dos pais um passeio de limusine e que não têm uma ou duas bonecas de determinada marca americana, mas 17 delas, e ainda organizam festas exclusivas para as coleguinhas que tenham a tal boneca.

O mundo da publicidade e da moda vive de alimentar esse consumismo, claro, e não por acaso ele é dirigido cada vez mais ao mundo infanto-juvenil, apostando em crianças mimadas que vão pressionar os pais a ter o que as outras têm, o que significa que dão pouco valor ao que já têm. Também não é por acaso que adultos se comportam cada vez mais como adolescentes tardios, como garotos de bermuda que não levam a vida a sério e mal sabem articular frases banais. E para eles os estilistas criam, ou melhor, copiam camisetas com estampas de araras ou coisas do gênero; vi outro dia na TV, por sinal, um deles usando uma camiseta com desenhos que imitam aquelas infames roupas de marinheiro que antigamente os pais impunham a crianças que não tinham poder de escolha... Será que, de tanto serem tratados com propagandas "Custa apenas R$ 99,99" (nunca dizem "cem"), os cidadãos se acostumaram a ser enganados? Isso explica também a cultura do Photoshop, que transforma celebridades em deusas de cera.

Essa infantilização do consumo tem muitas consequências visíveis em nosso tempo, como a ansiedade, que faz as pessoas cada vez buscarem mais muletas emocionais para a tal autoestima (de pílulas a plásticas, de vícios a fobias, de superstições a religiões), inclusive depositando grande expectativa em relacionamentos mais virtuais que reais. Há também o que já chamei de patrulha das aparências, em que uma pessoa exibir barriguinha ou ruga é algo condenado com sarros ou olhares, levando especialmente as mulheres a injeções e aspirações que só as deixam piores, para não falar das roupas de perua ou anacrônicas. Talvez mais sério ainda, cria uma exigência financeira que apenas uma minoria pode bancar; a maioria fica devendo ao banco mesmo, comprando objetos e carros em parcelas absurdas. Por fim, o convívio inteligente é afetado, aquele que pede cultura, maturidade, simplicidade e senso de ironia. Como as grifes, as opiniões são iguais, compradas na mesma gôndola mental.

PARA LER E REFLETIR SOBRE O ASSUNTO.
SOMOS NÓS ADULTOS OS RESPONSÁVEIS POR NOSSAS CRIANÇAS

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Dia do Homem é forma de chamar atenção para cuidados com saúde

O que acontece com os maridos, namorados e afins, quando uma data importante como o Dia Internacional das Mulheres é esquecida? As moças ficam chateadas, fazem chantagem e reclamam que não dão a elas o devido valor. Mas alguém se lembra do Dia Internacional dos Homens?

Apesar de pouca gente saber e de não existirem grandes comemorações, eles também têm um dia em que são lembrados. No Brasil, este dia é exatamente hoje, 15 de julho. Mundialmente, a data comemorativa é o dia 19 de novembro, tendo inclusive o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU).


Publicado em: 15/07/2011 09:30:33

Dia do Homem é forma de chamar atenção para cuidados com saúde
Homens estão mais antenados com a moda, mais preocupados com o visual e com a estética. Não gostam de ficar acima do peso ou de perder os cabelos. Esta sexta-feira (15) é o Dia do Homem. Ninguém sabe ao certo por que esse foi o dia escolhido, mas é uma forma de chamar a atenção para os cuidados com a saúde.

Um dia só para eles? Eles também merecem ser reconhecidos”, diz uma mulher. “Como tem o Dia Internacional da Mulher, tem de ter o Dia Internacional do Homem. Todos os direitos são iguais, afirma um homem.



Na casa do professor Juliano de Lima Lara, os direitos e deveres são iguais. “Tenho amigos que perguntam: ‘Você lava a louça?’ Eu falo: ‘Sim. Qual o problema?’. E eles dizem: ‘Sei lá. Meio estranho’.



Os homens estão mais modernos. “Antes ele tinha de esconder, ser meio machista, ser durão, rígido. Hoje não. Isso para mim é muito positivo”, contou a psicóloga Margarida Dutra de Morais.



Igor não esconde a vaidade. Ele faz a unhas e mais. Ontem mesmo tirei a sobrancelha no salão, confessou.



Depois do casamento, o técnico em eletrônica Claudio Piovesani ficou mais preocupado com a aparência. O homem da caverna não penteava o cabelo, não se cuidava, isso é uma evolução. Minha mulher, por exemplo, gosta que eu me depile, contou o técnico.



É verdade. Os homens estão, sim, mais antenados com a moda, mais preocupados com o visual e com a estética. Não gostam de ficar acima do peso. Perder os cabelos, então, é um desespero. Mas uma coisa que apavora ainda mais os homens é a visita ao médico.



O Dia do Homem foi criado justamente para incentivar os cuidados com a saúde. Se eles fogem do consultório, o médico vai para praça pública. Em Sorocaba, interior de São Paulo, o atendimento é realizado em um ônibus azul. A cada dia, 60 pacientes fazem o exame de próstata. Tem de criar coragem e ver o que dá”, conta um homem. “Não tenho vergonha de fazer. Eu até incentivo as pessoas. É chato, mas tem de fazer”, afirmou o agricultor Juraci Menck.

Em pleno século 21, eles ainda querem ser tradicionais. Naquele tempo a gente só cortava o cabelo e fazia a barba”, diz um senhor. “Eu sou conservador. Homem é como diz o ditado: com ‘H’ maiúsculo”, lembra outro senhor.

 

PARABENS A TODOS... EM ESPECIAL AOS MEUS MENINOS: Wilson (o pai) e Pedro (o filho) e eu a mãe claro, né?


O que as marcas ainda não sabem sobre o novo consumidor masculino

O homem mudou e as empresas precisam oferecer produtos e serviços que respondam a esses novos hábitos

Por Sylvia de Sá, do Mundo do Marketing
15/07/2011

sylvia@mundodomarketing.com.br


Talvez pouca gente saiba, mas hoje é o Dia do Homem. A data não tem uma origem exata, mas se junta a outros momentos que vêm ganhando importância para o varejo no calendário comercial, como o próprio Dia da Mulher. Ainda que tímido, o aumento da popularidade do 15 de julho no Brasil é um dos indicativos de que o shopper masculino mudou e que este consumidor representa um cliente em potencial para as marcas.

O que antes era desnecessário para o consumidor masculino, hoje ganha outro significado. As características que serviam como padrão para a masculinidade estão se transformando e também modificando o mercado em movimentos sutis. Um dos exemplos mais explícitos é o setor de cosméticos. Você já parou para pensar na quantidade de novos produtos específicos para os cuidados dos homens que estreiam nas gôndolas e prateleiras dos pontos de venda?



Na Unilever, a Rexona oferece 11 versões de desodorantes, enquanto a Axe possui sete. Já a Gillette, da Procter & Gamble, trabalha uma linha extensa de produtos para o cuidado da pele masculina. Hoje, a marca oferece um esfoliante e um sabonete líquido, indicados para antes do barbear, 11 variações de cremes e géis e seis opções de pós-barba. Em relação às lâminas, são nada menos do que 17 versões, para todos os gostos. Você conseguiria pensar em tanta opção no tempo do seu avô? Sem falar que o portfólio da Gillette inclui ainda 20 tipos de desodorantes.
Potencial pouco explorado

Mas o aquecimento do mercado de cosméticos, higiene e beleza não se resume ao barbear. Está muito ligado à quebra de paradigmas. Mais do que nunca, os homens estão vaidosos e preocupados com a estética, a saúde e uma vida mais longa. Os padrões também mudaram. “Há 10 anos, o homem chegava ao posto de gasolina e obrigatoriamente saia do carro para fiscalizar tudo. Hoje, ele fica no carro, porque este não é mais um padrão de masculinidade”, explica Fábio Mariano Borges, professor na Pós-Graduação em Ciências do Consumo Aplicado da ESPM e especialista em comportamento do consumidor, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Ainda que as mudanças estejam cada vez mais explícitas, poucas são as empresas que realmente exploram o potencial de consumo do homem. Mesmo no mercado de cosméticos, é difícil ver produtos que fujam do tradicional combo “desodorante+creme de barbear+loção pós-barba+perfume”. Segundo uma pesquisa da Nielsen, do total de produtos de higiene e beleza consumidos no Brasil, 37% são masculinos. O valor gasto pelos homens, no entanto, ainda é muito baixo. No geral, o ticket médio da cesta é de R$ 298,00 anuais, mas apenas R$ 27,00 respondem por itens para homens.
“O desafio é desenvolver produtos apropriados para que o ticket de compras aumente. É importante também ressaltar os atributos e educar o consumidor sobre o diferencial dos produtos, para que ele vá mais vezes ao ponto de venda”, acredita Jefferson Rodrigo, da Nielsen, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Feito para homem

A Feito Brasil nadou contra a maré e resolveu pensar nos atributos necessários para envolver os homens de forma diferenciada. Criada há sete anos, a marca vende exclusivamente pela internet e entrega para todo o país. Hoje, o portfólio da empresa especializada em cosméticos conta com cerca de 15 produtos específicos para o cuidado masculino, que chegam a representar até 45% do faturamento mensal. Quando o assunto é o ticket médio, os homens se equiparam às mulheres, gastando cerca de R$ 150,00 a cada compra.

A novidade mais recente da Feito Brasil é a linha Homem Urbano, com cinco produtos que vão além do convencional. Além do shampoo capilar e corporal, a Homem Urbano oferece hidratante fluido corporal, creme hidratante para as mãos, pomada capilar finalizadora e sabonete em barra. O desenvolvimento é resultado de pesquisas sobre as necessidades e características masculinas.

“O hidratante corporal masculino Revigore-se fica no topo dos mais vendidos, sempre no primeiro ou no segundo lugar. As características do homem, tanto do corpo quanto do cabelo, são diferentes da mulher. Fazemos uma triagem de matéria-prima com foco no efeito. O homem gosta de refrescância e um produto versátil, como um shampoo que pode ser usado no cabelo e no corpo”, ressalta Lena Peron, Diretora e Criadora da marca Feito Brasil, em entrevista ao portal.

Necessidades além dos cosméticos

Definitivamente, as transformações do comportamento masculino são uma vantagem para as marcas que estiverem dispostas a entender esse novo homem a fundo e oferecer o que ele quer. “O homem termina de consumir e já compra mais porque tem medo de ficar sem o produto. Ele faz às vezes o que a mulher não faz, que é adquirir duas ou três unidades do mesmo item de uma vez. O homem é muito fiel”, afirma Lena.
Mesmo com uma gama de possibilidades a ser explorada, o sortimento de produtos e serviços no Brasil com foco neste consumidor ainda é superficial. Com exceção dos setores de moda e cosméticos, poucos segmentos investem em novas possibilidades para um homem que já não é mais o mesmo. Cabe às marcas educar e mostrar a este consumidor que elas têm o que ele talvez nem imaginasse que precisava.
“Não adianta esperar o cliente ir ao ponto de venda. Essa é uma percepção de Marketing arcaica, que ficou no século XX. É função da empresa desenvolver novos mercados, uma vez que há movimentos comportamentais que já respondem por isso. Em Nova York, por exemplo, há uma empresa que orienta pais solteiros sobre como receber o filho ou que alimentação servir. O mercado enxerga muito o novo consumidor masculino restrito a cosméticos, quando há muitas outras necessidades”, explica o especialista em comportamento do consumo da ESPM.

Mais sobre o assunto: Grifes de Luxo investem no homem, que compra até bolsa

terça-feira, 12 de julho de 2011

Risco de anorexia nervosa pode estar ligado a estações do ano

A anorexia nervosa pode ter causas ligadas a estação do ano em que a vítima do distúrbio nasceu. Segundo estudo publicado por cientistas ingleses, bebês que nasceram na primavera tem levemente mais chances de desenvolver a doença, e os nascidos no outono têm os menores riscos.
Além disso, os cientistas responsáveis pela pesquisa sugerem que a temperatura, a exposição ao sol, nível de vitamina D, infecções ou a dieta da mãe também teriam forte influência.\Outros pesquisadores, contudo, dizem que o efeito é muito baixo e que a anorexia nervosa pode ter muitas causas.
O estudo atual analisou dados de pesquisas anteriores com 1.293 pessoas com anorexia. Os pesquisadores verificaram que havia “um excesso de nascidos entre março e junho que sofriam de anorexia nervosa” – na verdade, a cada sete casos esperados, haviam oito. O número de casos sempre ultrapassava a expectativa. Já nos meses entre setembro e outubro, a frequência era menor.
“Estudos anteriores mostraram que distúrbios mentais, como a esquizofrenia, transtorno bipolar e depressão profunda, são mais comuns entre pessoas que nasceram na primavera, então essa relação com a anorexia não é uma grande surpresa”, disse um dos autores, Lahiru Handunnetthi. “Entretanto, nosso estudo só oferece evidências de uma associação. Agora, precisamos de mais pesquisa para identificar quais fatores colocam a população em risco”, disse.
“Anorexia é um problema multifacetado, complexo e multivariado”, disse a pesquisadora da Terence Dovey. Segundo ela, o estudo mostra apenas um aspecto da condução. “Será que deveríamos concentrar os estudos naqueles nascidos no inverno? Não, nós não deveríamos. Isto pode deixar uma margem muito grande de erro e a diferença potencial entre os nascidos em cada estação é muito pequena”, disse ela. [BBC]
http://hypescience.com/risco-de-anorexia-nervosa-pode-estar-ligado-a-estacoes-do-ano/

Plastica acessível a todos

A cada ano, são realizadas cerca de 21 mil intervenções no Ceará. A facilidade do pagamento é um dos atrativos
Se antes era preciso até vender o carro próprio para fazer uma cirurgia plástica, hoje, com as facilidades de pagamento e a concorrência do mercado em ascensão, fica bem mais fácil estar bela (o). Assim, ficar com as medidas certas não é mais só luxo de celebridades.

Além das classes A e B, as C e D, por exemplo, também entraram na onda do bisturi. As filas de espera nos programas de residentes do Instituto Doutor José Frota (IJF), no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), no Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e até na Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza revelam a adesão deste público.

No Ceará, conforme mais recente pesquisa da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), são cerca de 21 mil intervenções realizadas por ano no Estado e mais de 629 mil no País, uma média de 58 por dia.

O presidente da regional Ceará da SBCP, Francisco José Fontenele Bezerra, confirma este cenário de popularização entre as classes menos favorecidas. "Qualquer pessoa hoje, programando-se consegue fazer uma plástica. Junta um pouco mais de dinheiro e pronto. Entretanto, os médicos devem priorizar a segurança. Nada de exageros e descuidos. Plástica é coisa séria. Tem que ser feita com responsabilidade", afirma.

Economia
A operadora de caixa, Fernanda Barbosa, 20, nem cabe em si de tanta alegria. O sorriso se vê de longe. Passando pela Avenida Francisco Sá, na Barra do Ceará, Fernanda viu a publicidade dos sonhos pintada no muro do Hospital Distrital Fernandes Távora: facilidade de pagamento e preços acessíveis que cabem no bolso. Vai realizar aumento mamário com prótese e ficar toda "siliconada". Ela passou dois anos juntando dinheiro. "Acho meu seio muito pequeno. Mal me sentia mulher. Vou passar no cartão de crédito e já estou me programando para fazer outra", diz a jovem.

O cirurgião plástico, Davi Pontes, diz que o grande diferencial do trabalho feito no Hospital Fernandes Távora é a qualidade do serviço e a acessibilidade do preço aliada à comodidade de estar no bairro de modo mais descentralizado. "Cada vez mais jovens de classes variadas têm nos procurado. A população busca se prevenir, cuidar da beleza desde cedo", afirma o médico que realiza cerca de 18 procedimentos por mês, a maioria lipoaspiração e colocação de prótese. O especialista ressalta que não há diferença no atendimento na Barra do Ceará e na sua clínica da Aldeota.

O cirurgião plástico, Eduardo Furlani, ajuda os mais pobres operando na Santa Casa de Misericórdia. Atende quem deseja fazer ajuste e tem vergonha do nariz avantajado. Como vantagem, reduz em 75% o valor, não cobra nada pelo seu trabalho. Somente pela equipe médica e pelo hospital. "Já operamos umas 50 pessoas, todas carentes, necessitadas de ficar belas e com mais autoestima".

A auxiliar de laboratório, Maria do Socorro Bispo, 32, eliminou os defeitos do nariz operando na Santa Casa com preço bem em conta. "Dei uma entrada e paguei em sete vezes o valor de R$ 2.240. Fiquei muito satisfeita e feliz", diz.

Atendimento
"Já operamos 50 pessoas na Santa Casa, todas carentes e necessitadas de ficar mais belas"
Eduardo FurlaniCirurgião plástico da Santa Casa de Misericórdia
INSTITUTO DR. JOSÉ FROTA
Disponível em: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1008787 acesso em 12 de julho

Inverno:Estação do Bisturi

Mais uma vitima da Ditadura da Magreza????

July 8, 2011 by
Fonte: O Dia
Belo Horizonte (MG) – Uma mulher morreu na manhã desta quinta-feira após realizar uma cirurgia de lipoaspiração em uma clínica médica na Savassi, região centro-sul de Belo Horizonte. Revoltados, os familiares chegaram a quebrar os equipamentos do consultório e a Polícia Militar teve que ser acionada. Após o registro da ocorrência, médico e anestesista que realizaram a operação foram ouvidos e liberados.
Matéria do MGTV

De acordo com o genro da vítima, Diego Costa, 21 anos, a funcionária pública Kátia Maciel de Oliveira, 39 anos, realizou a cirurgia de abdominoplastia na noite desta quarta-feira na clínica Dr. Joshemar Heringuer. Hoje, pela manhã, ela teria ligado para os familiares para que eles fossem buscá-la. Mas, quando chegaram ao local, ela estava morta.
“Quando cheguei na clínica de manhã, vi uma ambulância do Samu e como sabia que ela era a única paciente na clínica, entrei em desespero”, disse o genro. Segundo Diego, o cirurgião responsável pela operação, doutor Joshemar Heringuer, deixou a clínica chorando. “Ele saiu chorando, pediu desculpas e disse que não era culpa dele”.
O genro disse ainda, que a vítima apresentava um corte no supercílio relacionado, pelo médico, com a queda sofrida após ela ter tido uma parada cardíaca. O advogado do médico, José Veríssimo, explicou que a paciente sofreu uma embolia pulmonar, que culminou em uma parada cardíaca. “A cirurgia ocorreu normalmente, ela recebeu visita da família de madrugada. Depois foi ao banheiro três vezes, na terceira caiu e sofreu uma parada cardíaca”, disse o advogado.
Segundo os familiares, Kátia pegou cerca de R$ 9 mil reais pela cirurgia. Ela deixou duas filhas, de 11 e 18 anos. O laudo do Instituto Médico Lega (IML) com o motivo da morte da vítima deve ser divulgado em 30 dias. Para o advogado do médico, o caso foi uma fatalidade. “Isso poderia ter acontecido em qualquer hospital do mundo”, disse. A família da vítima, no entanto, informou que pretende entrar na Justiça contra a clínica.
Disponivel em: http://aceveda.com.br/blog/?p=34581 acesso em 12 de julho

sexta-feira, 8 de julho de 2011

PSICOLOGIA QUESTIONA A DITADURA DA MODA



Marjorie Vicente cursou a faculdade de psicologia, mas não se deu por satisfeita. Paralelamente, estudou a imagem corporal através da moda. Após a formação acadêmica, passou uma temporada no exterior aprimorando os conhecimentos em Consultoria de Imagem, fazendo o planejamento de Branding sobre Psicologia de Imagem e participando de Workshops e Curso de Extensão em Distúrbios Alimentares.

Hoje, a ideia central de seu trabalho é lidar com o conflito entre a imagem real e a imagem desejada. A profissional utiliza ferramentas como a Empatia, Aceitação Incondicional Positiva e Congruência (Abordagem Centrada na Pessoa), e atua como uma “parceira” na exploração do auto-conceito e dos desejos mais íntimos de seus clientes, muitas vezes, revelados só para o espelho.


P: Por que fala-se tanto em valorização da imagem ?

R: Cada vez mais a sociedade atual dá importância ao uso de imagens na comunicação, propagandas, rótulos de produtos. Em tudo o que consumimos e acreditamos percebe-se o conceito da Psicologia de Imagem. Hoje, a aparência é propulsora de êxitos e fracassos. A publicidade, por exemplo, incentiva as vantagens de um “corpo ideal”; empresas se preocupam com a mensagem passada pelos seus colaboradores através da linguagem não verbal e seres humanos se submetem a uma verdadeira ditadura em busca de uma beleza que sequer existe. Na contramão do avanço da independência feminina, a ditadura da beleza continua aprisionando as mulheres do século 21, tornando-as vulneráveis a cada capa de revista, dieta da moda, novos métodos para promover o rejuvenescimento, enfim, vale tudo para alcançar o padrão estabelecido.
P: Dê-nos um exemplo real dessa ditadura da beleza ?
R:. Um exemplo recente é Cristiana Oliveira, que já chegou a pesar 105 kg na adolescência, e saltou dos 61kg para os 76kg nos últimos meses para dar vida à “Araci”, uma detenta barra pesada e homossexual, na atual novela “Insensato Coração”, da Rede Globo. Ao invés da admiração pela dedicação e entrega à personagem, ela ouviu críticas. As pessoas comentavam que ela tinha “embagulhado”. A atriz confessa que já se submeteu à ditadura da magreza e chegou a pesar 55kg. Era elogiada nas ruas, mas quando chegava em casa e passava fome, chorava sozinha. Com o tempo, encontrou seu equilíbrio nos 61kg.
P: Você defende uma revolução contra a beleza ?
R: Defendo uma busca pelo que é se sentir bem de forma individual. Acho injusto que mulheres - que hoje não mais dependem de uma muleta emocional e que arriscam casamentos, empregos e o que mais for necessário em busca da própria felicidade - ainda se sintam escravizadas por algo tão íntimo e pessoal, o padrão de seu próprio corpo. Está mais do que na hora de ponderar o limite do saudável e entender a real motivação para esse tipo de atitude.

P: Explique como é o trabalho de Psicologia da Imagem ?
R: Ele aborda diversos nichos e aspectos em torno da imagem: seja para promover consultoria a uma imagem pública ou corporativa, auxiliar com os conflitos existentes entre a imagem real e aquela desejada, estimular estilos e personalidades a partir de estudos da imagem corporal no meio da Moda ou trabalhar transtornos alimentares. A Psicologia de Imagem, a partir da Abordagem Centrada na Pessoa, é baseada nos valores que carrego para minha vida: a empatia, congruência e aceitação positiva incondicional. Ou seja, a partir de um trabalho que está dentro da linha Humanista da Psicologia, a proposta é aceitar os clientes incondicionalmente nesta relação e, ao lado deles, buscar o equilíbrio entre as imagens real e a desejada. Ou nos casos de pessoas que sofrem com as distorções de imagem, equilibrar o que é a imagem real e aquela percebida pelo cliente.

P: Você se posiciona contra moda e tendência ?
R: Não sou contrária a essas influências, mas acredito que a aplicabilidade do modismo pode ser consciente e equilibrada. As premissas que geram o aceitamento total e integral do próximo sempre deveriam fazer parte de nossas relações. Isso permitiria que as pessoas revelassem seus verdadeiros “eus” mais facilmente.

P: Como analisa o comportamento brasileiro de consumo do século 21 ?

R: Ele se encaixa no modelo de consumo emocional, que visa não apenas o que é útil, mas sim, o que vai além dos aspectos funcionais e satisfaz os desejos, mexe com as emoções. O que se percebe é a busca pela identidade e diferenciação através das aquisições. O consumidor brasileiro deseja diferenciar-se através do que possui e sentir-se membro pertencente de um grupo restrito. Por este motivo, o conhecimento sobre todo tipo de comportamento é extremamente importante para o marketing das grandes marcas. É preciso estar antenado com o que acontece nas ruas, nos shoppings, no trabalho, nas academias, nos parques etc, pois, em cada produto que exibe, o consumidor deseja expressar o seu estilo de vida. Ele se revela através das escolhas, até mesmo das que pareçam banais à primeira vista.

P: Como funciona o atendimento em casos de transtornos alimentares?
R: Meu atendimento na Clínica Montenegro de Cirurgia Plástica é dinâmico e de mobilidade ímpar. Em casos como distúrbios alimentares, por exemplo, gosto de entender o mundo do cliente por completo, inclusive acompanhando-o em atividades do dia a dia, como rotinas de exercícios ou compras ao supermercado. Preciso saber “que emoção” está sendo ingerida. Costumo dizer que os transtornos alimentares são formas ineficazes de lidar com problemas reais.


P: Quais outras atividades você desenvolve ?
R: Além do atendimento clínico, também presto consultoria em agências de modelo, realizo projetos direcionados aos artistas, celebridades e demais pessoas públicas, desenvolvo planos de Psicologia de Imagem para o meio corporativo e faço consultoria de estilo personalizada.

P: Como se processa trabalho de consultoria de imagem ?
R: Ele vai além de uma análise de combinações de peças e tendências. Abrange um estudo de hábitos e comportamentos que acabam definindo estilo e personalidade. Além de pensar que tipo de mensagem estamos passando, devemos refletir sobre o “lifestyle” adotado e o grau de satisfação relacionado a isto. Uma de minhas clientes, por exemplo, percebeu que seu closet estava repleto de opções de roupas para o trabalho. E que, nos finais de semana, usava apenas peças de ginástica. Essa constatação a fez pensar nas reclamações dos filhos e do companheiro que ela só dava atenção à vida profissional. Até mesmo seu closet refletia essa prioridade!
P: Você também oferece atendimento clínico ?
R: Sim. Trabalho com todas as questões que despertam o conflito com a imagem: os transtornos alimentares, as cirurgias estéticas, a dismorfofobia, o pré e o pós das cirurgias bariátricas, o bullying, entre outros. Esse tipo de atendimento é extremamente importante para a sociedade que criamos hoje. A ideia de um “corpo ideal” leva a uma ditadura desnecessária. Em tais casos, o trabalho da Psicologia de Imagem é evidenciar o limite do que é saudável e entender a real motivação para mudanças.

P: Como funciona a Consultoria de Imagem Corporativa ?

R: Para os profissionais, costumo destacar que a importância da imagem não é evidente apenas em suas vestimentas e apresentação inicial em uma entrevista, mas em todos os dias dentro de uma corporação. Sob este ponto de vista, inovo propondo uma Consultoria de Imagem Laboral, voltada ao entendimento da importância da imagem profissional; adequação do vestuário de acordo com o ramo de atividades, valores e cultura da empresa; estudo de cores baseado na mensagem implícita adequada para o meio profissional; considerações sobre estampas e acessórios; e por fim, o que é ou não apropriado para o “casual day”.


P: Como é seu trabalho em agências de moda ?

R: Nesse setor, exploro questões importantes para as modelos: o uso da imagem pública, a importância do estilo e dos padrões estéticos que essa profissão exige. Os encontros, normalmente, são realizados na própria agência e o projeto é realizado de forma exclusiva, respeitando a ideia de que cada caso é um caso. Procuro desenvolver com as modelos caminhos equilibrados

disponivel:http://www.modosemodas.com.br/interna.php?id=185 acesso em 8 de junho

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Vídeo: a menina de Santa Eleita miss mundo mirim Natália Stangherlin tem rotina de estrela



por silvia.medeiros@diariosm.com.br



Uma minibeldade brasileira, gaúcha de Santa Maria, de seis anos, cabelos loiros, rosto delicado e olhos azuis, é a nova Little Miss World (Pequena Miss Mundo). Ou melhor, ainda é, porque foi reeleita. Natália Stangherlin disputou o título entre 6 e 9 deste mês, com outras seis candidatas, no Equador. Ficou com ela também a conquista na categoria Melhor Traje Típico.






Assista à entrevista de Natália:
http://www.clicrbs.com.br/especial/br/donna/19,0,2614916,Video-a-menina-de-Santa-Maria-eleita-miss-mundo-mirim.html
Como o Mini Miss Brasil 2009 só será realizado no dia 29 de agosto, Natália, que ainda não passou a faixa, representou o país no concurso internacional. O Brasil não poderia deixar de mandar a sua candidata. Às pressas, a mãe da Little Miss, Daniela Stangherlin, organizou os trajes, as malas e rumou para o Equador com a filha.
— O vestido de gala ela já teria para passar a faixa. Mas e o traje típico? A estilista Wanita Miorin fez em dois dias. Estávamos entre dois temas: Carmen Miranda e Amazônia. Enfrentamos uma certa dificuldade na busca de materiais. Ficou realmente lindo — comenta a mãe.
No ano passado, o traje de Natália, que era uma referência às praias do Brasil. Pedras, pele de onça, penas e folhas cortadas a laser fazem parte do figurino de 2009. Natália, que também desfilou com os trajes de banho e de gala, dessa vez já se mostrava mais atenta ao que estava acontecendo.

— No ano passado, ela entendia menos essa questão do "quem vai ganhar". A Natália achou uma menina bonitinha, a da Colômbia, e me perguntou: "Mãe, tu acha que eu ou aquela ali vai ganhar?". Disse a ela que eu era suspeita para falar — conta Daniela.

Uma rotina de estrela
Natália chegou a Porto Alegre na manhã de segunda-feira. Ela foi reconhecida por diversas pessoas e posou para muitas fotos. Na tarde de ontem, Daniela e Natália só estavam esperando a visita do fotógrafo do Internacional. Ele iria entregar à gaúcha um pôster especial, com várias fotos dela em um jogo do colorado. Ela é torcedora fanática do Inter. Depois disso, as duas iriam para Santa Maria.
Mas, na semana que vem, ela vai viajar de novo. Em São Paulo, Natália deve participar ao vivo de alguns programas e fazer fotos para propagandas. Em uma delas, a gaúcha vai estar ao lado da atriz de Caminho das Índias, Karina Ferrari, a Anusha.

Disponivel em:
http://www.clicrbs.com.br/especial/br/donna/19,0,2614916,Video-a-menina-de-Santa-Maria-eleita-miss-mundo-mirim.html acesso em 4 de julho






ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...