quarta-feira, 27 de abril de 2011

O vinho e as mulheres

Publicado em 26.04.2011, às 11h38
Por Amanda Loyo



Nicole-Barbe Ponsardin, conhecida como a viúva Cliquot, foi uma das responsáveis pela melhoria e divulgação do Champagne
Estou abrindo uma “brecha” na série de vinhos americanos para falar sobre o interesse das mulheres pelo mundo dos vinhos, um universo conhecidamente masculino.
Realmente, as mulheres têm se interessado não apenas em degustar o vinho, como também em aprender sobre este mundo tão rico em cultura, história e, claro, detalhes. A prova disto foi o curso que ministrei, em março, no Club du Vin, em homenagem a elas. Foram duas turmas e não deu para quem quis! O interesse das mulheres foi tanto que despertou até a curiosidade da imprensa, com a TV Jornal e a Globo preparando matérias sobre o assunto.
E as perguntas que me fizeram foram: Por que as mulheres estão se interessando tanto pelos vinhos? Quais são os vinhos que mais agradam as mulheres? E muitas outras.

E quais são os vinhos que mais agradam as mulheres? Vários! Depende muito do estilo de cada uma
Bom, não é de hoje que temos mulheres inseridas neste mundo masculino. Uma das grandes responsáveis pela melhoria e pela divulgação do Champagne, no mundo inteiro, foi Nicole-Barbe Ponsardin, conhecida como a viúva Cliquot, uma grande mulher que fez história no século 19 e continua fazendo até hoje.
Outras mulheres fazem história, como Jancis Robinson, uma das maiores autoridades no mundo do vinho, atualmente. Master of Wine , crítica de vinhos, escritora (livros, sites, revistas)... estas são apenas algumas de suas façanhas.
Filipa Pato e Susana Balbo são exemplos de renomadas enólogas, responsáveis pela elaboração de grandes vinhos, em Portugal e na Argentina, respectivamente. Um dos grandes vinhos chilenos, o Clos Apalta (eleito o melhor vinho de 2008 pela Wine Spectator), é elaborarado também por uma mulher, Andrea León. Aliás, todo o time de enólogos da Casa Lapostolle é formado de mulheres.
Eu, Amanda Loyo, não deixo de ser um exemplo de mulheres adentrando o mundo dos vinhos, levando conhecimento e incentivo a várias pessoas, homens e mulheres. Outras sommeliers que atuam aqui e em outras partes do Brasil são Fabiana Gonçalves (autora do blog Escrivinhos), com quem já tive oportunidade de degustar várias taças de vinhos; Lis Cereja, que comanda a loja (e bistrô) de vinhos Saint VinSaint e autora do livro “Superdicas para entender de vinho” e com quem tive uma boa conversa logo que voltei para o Brasil; e Alexandra Corvo, que comanda a Escola de Vinho “Ciclo das Vinhas” e colunista da Contigo (já assinou também a coluna online da Veja São Paulo); dentre outras inúmeras e talentosas mulheres que estão espalhadas no Brasil e mundo afora fazendo com que as pessoas tenham acesso a bons vinhos e que possam, cada vez mais, aprender e entender sobre este mundo cheio de nuances, mistérios e aromas.
Não sei dizer o que fez com que as mulheres passassem a se interessar por um assunto que apenas os homens costumavam falar (e se gabar!). Acho que quisemos nos libertar! Chegar num restaurante e escolher o que queremos beber, entrar numa loja e saber identificar um bom vinho, poder oferecer um jantar e escolher o melhor vinho para acompanhar o cardápio da noite... Uma série de motivos!
E quais são os vinhos que mais agradam as mulheres? Vários! Depende muito do estilo (e do paladar, principalmente) da mulher. Algumas preferem os mais suaves, outras já gostam de vinhos robustos, tânicos, complexos. Entretanto, no geral, as mulheres gostam bastante de espumantes leves e refrescantes; de alguns vinhos brancos como Sauvignon Blanc, Chardonnay, Riesling, Chenin Blanc...; e tintos mais macios, como aqueles das uvas Merlot, Carmenère, Grenache, Pinot Noir... Um bom vinho alentejano e, claro, os vinhos com muita intensidade de fruta, como os do Douro, ou um saboroso Malbec argentino, e ainda, um Zinfandel.
Geralmente, os vinhos com muita madeira, muito tanino, ou aromas intensamente herbáceos não agradam tanto o delicado paladar feminino.
Agora, nossos queridos maridos, namorados e amigos já sabem, mais ou menos, o que nos agrada e podem, da próxima vez, escolher um vinho que iremos apreciar tanto quanto eles.
Queria agradecer a todas as mulheres que compareceram ao curso “Mulheres Enófilas” e, claro, às leitoras desta coluna e dizer-lhes que continuem degustando e aprendendo sobre este mundo fascinante, que é o mundo dos vinhos.

Disponivel em: http://ne10.uol.com.br/coluna/enogourmet/noticia/2011/04/26/o-vinho-e-as-mulheres-268402.php acesso em 27 de abril de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...