sexta-feira, 18 de março de 2011

A primeira habilitação feminina



Duquesa d’Uzés ganhou também intimação por excesso de velocidade
Texto: Adriana Bernardino Sharada
Foto: Paula Korosue/reprodução

(Março, Mês Internacional da Mulher) – A Duquesa Anne d’Uzès foi a primeira mulher da história a ter habilitação para dirigir, isso em 1898. Dois meses depois, a duquesa foi convidada a se apresentar no tribunal. A francesa entrava para a história também por ser a primeira mulher a receber uma multa por excesso de velocidade. Ela acelerava pelas ruas parisienses a cerca de 40 km/h, duas vezes mais que o permitido.

A habilitação foi um marco, mas não a única grande ousadia da Duquesa, considerada uma das mulheres mais originais de seu tempo. Anne era escultora, escritora, fundou o primeiro clube feminino do automóvel da França, foi vice-presidente do grupo de mulheres do aeroclube francês, defendia os direitos das mulheres, apoiava obras de caridade e 17 dias antes de morrer, em 1933, ainda teve disposição para caçar um veado.
De gênio forte, conta-se que, certa vez, Anne foi convidada para um banquete. Um criado a informou, entretanto, que o lugar que ela ocuparia na mesa não era digno de sua importância. Indignada, não compareceu ao jantar, dizendo-se, por meio de um bilhete, “preocupada com a sorte da Europa”
No Brasil, as pioneiras em conquistar a habilitação foram Maria José Pereira Barbosa Lima e Rosa Helena Schorling. “Elas aprenderam a dirigir muito cedo, aos 12 anos, no automóvel do pai, um Opel 1895, com direção do lado direito e câmbio e freio do lado de fora”, conta Elisa Asinelli do Nascimento, diretora da Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA).
De acordo com Elisa, a relação da mulher com o automóvel só aconteceu porque as primeiras mulheres conseguiram enfrentar mitos e preconceitos. “Esta transição se dá no final do século XIX, iniciando na Europa e conquistando adeptas nos Estados Unidos”.
A coragem se estendeu às mulheres do início do século XX, que avançaram também em competições.
Graças à coragem dessas mulheres, a crescente participação feminina pode ser constatada em todas as áreas do segmento automobilístico, da criação de um veículo à consumidora final.

________________

O site WebMotors orgulha-se e apoia a presença feminina ao volante, presença que transforma olhares, revoluciona padrões, impõe cuidados e, com sutileza, conquista espaço e abre caminho


Disponivel: http://www.webmotors.com.br/wmpublicador/atras-do-volante-conteudo.vxlpub?hnid=45274
Acesso em 18 de março.
Para divulgar , e olha que nem morro de amores por direção e automóveis. Para quem me conhece prefiro meus anéis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...