quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Saiba como a cirurgia plastica influencia a amamentação

Fonte: http://www.corposaun.com/saiba-como-a-cirurgia-plastica-interfere-na-amamentacao/11688/ acesso em 20 de outubro de 2010

Ao submeterem-se a uma cirurgia plástica de mama – implante de silicone, redução ou suspensão –, poucas mulheres se atentam para o fato de poderem prejudicar a amamentação. Mas a ansiedade motivada pelas cobranças estéticas da atualidade em conquistar um novo visual, pode levá-las a cometer um erro, caso ainda estejam em idade reprodutiva e com planos de ter filhos. Isso porque alguns procedimentos podem interferir seriamente no aleitamento de seus futuros bebês.


De acordo com o cirurgião plástico que atua no Centro Especializado em Cirurgias Minimamente Invasivas (CECMI), dr. Luiz Philipe Molina, ao contrário do que acontecia até pouco tempo atrás, a maioria das mulheres que procuram essas intervenções cirúrgicas são jovens e ainda não têm filhos. Sendo assim, é importante que ela verifique com o seu médico as implicações que podem ocorrer. “Em alguns casos, a produção de leite é diminuída, sendo necessária a complementação alimentar, o que pode contribuir para a criança substituir o peito pela mamadeira. Em outros, ocorre até a impossibilidade de aleitamento”, afirma o especialista.
Por isso, o cirurgião deve avaliar questões que podem descartar a cirurgia plástica de mama, como idade da paciente e se ela pretende ser mãe. Em contraponto, existem fatores que efetivam uma indicação: por exemplo, a jovem que tem problemas na coluna causados por mamas muito grades.



Dr. Molina explica que o comprometimento da amamentação pode ocorrer porque a estrutura da mama é formada basicamente por tecido adiposo, glândula e ductos (ramificações) mamários, responsáveis pela produção e, respectivamente, por conduzir o leite até o mamilo. Quando é realizado algum tipo de procedimento cirúrgico, essa estrutura sofre alterações ou é lesada.


A redução mamária é, dentre as todas, a técnica que mais compromete a amamentação, porque altera uma quantidade maior de tecidos, em função da retirada das glândulas que produzem o leite, e também porque pode interromper os ductos que transportam o leite. Segundo o médico, “todos os outros procedimentos também podem causar implicações e, quanto mais plásticas forem realizadas, maiores serão as dificuldades para amamentar o futuro bebê”.



Já o implante de silicone é o que menos implica no aleitamento. Isso porque é ele colocado atrás da glândula mamária ou do músculo peitoral. Exceto na técnica de colocação através da borda da aréola, na qual o tecido mamário é seccionado. As demais cirurgias alteram muito pouco a anatomia das mamas.



A maioria das pacientes que se submetem a cirurgia plástica de mama e amamentam, após o desmame, verificam que resultado estético fica comprometido: o estiramento da pele proporcionado pelo aumento do volume da mama causa flacidez e queda. Daí, novamente recorrem a procedimentos cirúrgicos para correção.
































Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...