domingo, 15 de agosto de 2010

A imagem do corpo masculino já é tão explorada quanto a da mulher

fonte: http://maisindaia.com.br/site/?p=4402

Publicado por Redação em 14 agosto 2010 -
Nos novos tempos tudo acontece muito rápido até por conta da valiosa ferramenta que é a mídia. O corpo humano há tempos tem sido explorado e vem determinando um padrão de beleza muito comum até pouco tempo direcionado às mulheres. Entretanto, nas últimas décadas o corpo masculino também passou a ser alvo dessa tendência ditando um padrão de corpo masculino belo. Enquanto para as mulheres dita-se a magreza de um corpo quase sem formas, para os homens dita-se um corpo forte, musculoso, abdome definido e vasto peitoral. Normalmente a propaganda vem associada à venda dos mais variados produtos, desde roupas, celulares, carros, equipamentos de ginástica e/ou esportivos e até cerveja. Esse padrão de corpo a propaganda procura vincular ao homem bem sucedido cercado de interesses comerciais e sociais, de certa forma ocupando o espaço perdido pelos fabricantes de cigarros. Arnold Schwarzenegger, Silvester Stallone, entre tantos outros “fortões” do cinema muito influenciaram esse padrão estético nos anos 80 conduzindo milhares de jovens a correr para as academias na esperança de ter um corpo pelo menos parecido. Até os bonecos Falcon, Batman, Super Homem, que eram simples brinquedos infantis atualmente são musculosos da mesma forma os desenhos animados, He-man, Esqueleto entre outros. Quem fabricar bonecos franzinos, seja lá o nome que deram, está fadado ao fracasso de venda porque essa imagem não vende mais.
Os centros de estética, antes freqüentados apenas pelas mulheres hoje divide democraticamente espaço com os homens. Até uma conhecida revista masculina com tiragem de 250.000 exemplares em 1990 subiu para os atuais 18 milhões mostrando claramente o interesse masculino pelo assunto. Os cirurgiões plásticos passaram da mesma forma a engordar suas contas bancárias com esse público.
O grande problema da exploração dessa imagem são as patologias psíquicas que estão causando. Nas mulheres, excessivamente preocupadas com a magreza, a anorexia nervosa. Nos homens excessivamente preocupados com os músculos perfeitos a vigorexia ou Síndrome de Adônis, um transtorno emocional assim denominado pelo psiquiatra americano Harrison G. Pope da Faculdade de Medicina de Harvard, Massachusetts. Cerca de um milhão de norte-americanos dos mais de nove milhões de adeptos à musculação podem estar acometidos pela patologia emocional. A anorexia e a vigorexia, são doenças ligadas ao narcisismo fora de controle. O narcisismo até certo ponto pode ser considerado um valor de saúde porque o sujeito sem vaidade nenhuma pode ser em algum momento da vida um candidato à depressão.
Portanto, precisamos levar em consideração a importância da estética voltada para a saúde física e mental. Abdome forte, necessariamente não precisa ser um “tanquinho”, tem grande importância na preservação dos órgãos internos mantendo-os em sua posição funcional e isso vale para toda a vida. Não é raro vermos pessoas mais velhas relativamente magras de natureza, porém com aquela “barriguinha” bem baixa. É resultado do abdome fraco e que os órgãos internos encontram-se deslocados por força da gravidade. Além disso, os músculos do abdome participam da micção, defecação, do trabalho de parto, na expiração, e da boa postura protegendo a coluna lombar evitando, entre outras doenças, a temida hérnia de disco.

O peitoral, músculo símbolo da beleza masculina, é um grupo muscular responsável também pela postura do tronco e seu condicionamento pode evitar dores nas costas. Na mulher, além da postura dá sustentação aos seios que são formados por camada gordurosa e não recebe influência dos exercícios. Seios mais elegantes têm boa base que são os músculos peitorais que ficam embaixo.
Vários estudos vêm demonstrando que o homem moderno está ficando cada vez mais preocupado com a aparência. É preciso que os profissionais de saúde fiquem atentos a essa demanda e não os vejam apenas como cifrões e sim que se cumpra o papel de educar, cuidar e fortalecer o corpo preservando a saúde para que a preocupação com a estética não vire uma doença. Entre os jovens ávidos por resultados rápidos a busca desesperada pelo corpo perfeito tem levado ao desenvolvimento de anorexia, bulimia e uso indevido de anabolizante. Corpo belo sim. Sem exageros!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...