quarta-feira, 16 de junho de 2010

O futuro da beleza feminina

CADA DIA SOMOS COBRADAS POR UM FUTURO CORPORAL A SER PRESERVADO. A PELE TEM QUE SER SUSTENTÁVEL? ECONLÓGICA? MAIS UM ARTIGO SOBRE O ASSUNTO

FONTE DA FOTO http://incredimazing.com/static/media/2009/01/08O futuro da estética feminina
Joana Guimarães
FONTE: http://www.idademaior.iol.pt/bem-estar/beleza/o-futuro-da-estetica-feminina/
2010-06-15

Saiba o que já se faz... mas também o que está a chegar. Conheça ao pormenor as novas tecnologias não invasivas que prometem tornar as mulheres ainda mais belas.

Nos últimos anos tem crescido a oferta de soluções estéticas e não invasivas para redefinir o corpo. Tecnologias que representam menos riscos, menos efeitos colaterais, menos tempo de recuperação (ou nenhum) e, claro, menos custos também. É uma das mais fortes apostas da comunidade científica actual.

Protecção solar mais eficaz
O Sol causa inúmeros problemas à pele: manchas, rugas e, eventualmente, cancro. A melhor forma de prevenir possíveis problemas de pele é aplicar protector solar e que dentro de pouco tempo será ainda mais eficaz. A entidade reguladora norte-americana, Food and Drugs Admnistration (FDA), está a avaliar uma proposta que pretende estabelecer um conjunto de regras que obrigam os produtores a garantir protecção contra os raios UVA, através da colocação dessa informação na embalagem do produto.

Mais elegância, sem cirurgias
Pode parecer bom de mais para ser verdade, mas dentro em breve deverá tornar-se realidade: muitos dermatologistas e cirurgiões plásticos estão confiantes que nos próximos anos poderão eliminar as gorduras indesejadas de forma não invasiva.
Uma das mais recentes tecnologias desenvolvidas utiliza um feixe de ultra-som que atinge selectivamente as células adiposas na região. Uma vez destruídas, estas células são posteriormente eliminadas do nosso organismo (algumas são metabolizadas como calorias e as restantes tratadas pelo fígado como material excedente).
É um tipo de tratamento que pode ser repetido em intervalos de quinze dias e os primeiros resultados surgem ao fim de um mês da primeira aplicação. No geral, cada sessão reduz cerca de dois centímetros a área da cintura.
Um grupo de cientistas da Universidade de Harvard desenvolveu também uma nova tecnologia não invasiva: a criolipólise. Esta técnica remove a gordura localizada através de uma terapia a frio. E tal como a técnica do ultra-som, não envolve anestesias ou cicatrizes.
No entanto, são tecnologias de ponta com ainda muito trabalho de aperfeiçoamento pela frente e apenas eficazes a combater a gordura localizada, não sendo por cima as mais indicadas para remover grandes quantidades de adiposidade.

Pele bonita sem intervenção médica
Nos últimos anos, a depilação a laser tem oferecido resultados impressionantes e duradouros às mulheres, facilitando (e muito) o seu dia-a-dia. Mas já não falta muito para vermos pequenas máquinas a laser que reduzem as manchas, o aparecimento de rugas ou até mesmo os efeitos da acne guardadas no armário da casa de banho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...