sábado, 20 de junho de 2015

A Sociedade de consumo é influenciada e formada por informação, propaganda e publicidade, constituindo, assim, o modelo de vida moderna por LILIANY SAMARÃO e PEDRO CALABREZ FURTADO

As imagens e suas implicações sociais
A Sociedade de consumo é influenciada e formada por informação, propaganda e publicidade, constituindo, assim, o modelo de vida moderna
por LILIANY SAMARÃO e PEDRO CALABREZ FURTADO

SHUTTERSTOCKPara a mídia, a beleza, a sedução, o prazer - das cores, das formas e das linhas -, na apresentação dos produtos, parecem ser mais importantes do que a utilidade ou a funcionalidade real dos mesmos. As peças produzidas pela mídia lidam com o desejo para a produção de bens e mercadorias e, desta forma, a imagem se converte no referencial que deve ser reproduzido na vida cotidiana. Assim, as imagens se tornaram onipresentes e importantes meios para a difusão de signos, símbolos e informações











A LÓGICA DA LIQUIDEZ segue a lógica do consumo, do mercado. A satisfação plena dos desejos de consumo arruinaria a economia capitalista. Afi- nal, se os desejos de consumo pudessem ser saciados totalmente, chegaria um ponto em que o indivíduo deixaria de consumir mais e mais como a lógica do capital requer. Bauman nos diz, em seu livro Vida líquida: "A não satisfação dos desejos e a crença firme e eterna de que cada ato visando satisfazê- los deixa muito a desejar e pode ser aperfeiçoado - são esses os volantes da economia que têm por alvo o consumidor". Os membros da sociedade líquida precisam desejar sempre mais, para consumir mais e alimentar a economia do capital.
Aqui as idéias de Platão e Schopenhauer (veja quadro A filosofia do desejo) fazem sentido em nossa sociedade: o desejo ocorre na falta, e a obtenção do que se deseja consumir leva, invariavelmente, ao tédio e a novos desejos de consumo. Assim se alimenta a economia. A mídia nos diz para trocar de carro anualmente, de roupas a cada estação, e não é diferente com o corpo. A busca pelo corpo sensual ideal é interminável, alimentando a economia do consumo e adequando as imagens de corpo sexy ao modelo social em que a sociedade contemporânea vive. O corpo ideal é líquido como a sociedade de consumo. E a sociedade continuará a desejá-lo eternamente.
A força da mídia parece ser incontestável e, com isso, sua presença no cotidiano ganha "raízes". E é essa força que parece estar escrevendo as linhas da história da nossa sociedade.

LILIANY SAMARÃO é publicitária e professora universitária com estudos na área de corpo, gênero e imagem na publicidade. Pesquisadora pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) com vários artigos publicados. E-mail: (lilianysamarao@gmail.com) PEDRO CALABREZ FURTADO é professor da disciplina de Filosofi a da Comunicação na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP), e pesquisador pelo Instituto Cultural da escola. Estuda ética, corpo e recepção na comunicação. E-mail: (pedro.calabrez@acad.espm.br)

http://sociologiacienciaevida.uol.com.br/ESSO/Edicoes/18/artigo98178-3.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...