terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

No carnaval aumenta a procura por cirurgias plásticas !!!!!

Primeira semana de fevereiro é o limite para curtir a festa de Momo com novas formas. Prótese de silicone e lipoaspiração ainda são possíveis
Quando se pensa em Carnaval, não há como deixar de vir à mente aquela profusão de belos corpos que magnetizam os olhares pelos salões, ruas, passarelas e em TVs de dezenas de países. Preparados com a mesma disciplina de um ritmista em época de ensaios, se destacam entre os diferentes elementos que compõem este universo de fantasia, luxo, alegria e beleza. Na quarta-feira de cinzas, sepultada a folia momesca, serão eles assunto para o resto do ano.
Em um desfile de escola de samba, por exemplo, o contorno corporal é tão importante quanto o desenho da alegoria ou a coreografia da comissão de frente. Não raro, um complementa o outro e o conjunto pode ser decisivo para a vitória da agremiação. É parte de uma estratégia que concentra criatividade, talento e, claro, segredos revelados somente na hora. Afinal, é um concurso.
As atenções se redobram especialmente entre as mulheres, que exibem seus atributos com evolução de levantar arquibancadas. São para as belas os disputados postos de rainha, madrinha, musa, miss, cidadã-samba e os lugares de maior visibilidade para os destaques, seja no chão ou no alto de um carro alegórico. A beleza aqui é ponta de um triângulo – nem sempre equilátero – que se forma junto com carisma e muito samba no pé.
Pico de verão
Muita gente se dedica o ano todo para brilhar com silhueta admirável na avenida por 50, 60 ou 80 minutos, mas a maioria dos desfilantes intensifica os preparativos somente algumas semanas antes, aproveitando o embalo da temporada de verão para ir à praia ou piscina com o corpo bem torneado. Ainda assim, há quem queira mais. Seios maiores, cinturas demarcadas, bumbuns firmes e arredondados são quesitos conhecidos deste enredo nas clínicas de cirurgia plástica.
O desejo de ostentar um corpo bonito na temporada carnavalesca é o grande responsável pelo aumento da quantidade destes tipos de procedimentos estéticos nos meses de janeiro e fevereiro. Há poucos anos, o movimento era atípico, devido ao resguardo exigido em pleno período de férias e ao afastamento do sol, para evitar inchaços e manchas e facilitar a cicatrização.
Na opinião do cirurgião plástico Zulmar Accioli, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a isto também se somam outros fatores para que o índice suba em até 40% nesta época. “A evolução dos métodos cirúrgicos e de anestesia deixou as cirurgias muito mais tranquilas e, na maioria das vezes, se dá alta no mesmo dia da operação”. Em geral, o retorno à praia demora um mês, mas, dependendo do local da cirurgia e do paciente, “às vezes, é possível liberar com duas semanas, usando bloqueador solar”, completa.

Divas
Conforme Accioli, que também é professor na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), “essa onda de procura aos consultórios e clínicas de cirurgia plástica não deve fazer com que se esqueça: uma cirurgia é sempre um procedimento médico maior e todas as recomendações devem ser seguidas para que o resultado alcance seu limite máximo”. Traduzindo: má cicatrização, dores ou deslocamento de próteses podem ocorrer, caso o período de repouso não seja respeitado.
Portanto, se você não está feliz em desfilar com o corpo que tem, ainda há tempo para moldar o perfil. A rainha da bateria da Unidos da Tijuca, Adriane Galisteu, por exemplo, sempre se declara satisfeita com seus seios pequenos e participa da folia do Rio de Janeiro sem o menor problema, adiando a preocupação para quando eles começarem a cair. Ao passo que Adriana Bombom (seios), Valesca Popozuda (bumbum), Luiza Brunet (seios) e Viviane Araújo (seios e nariz), respectivas rainhas de bateria das escolas paulistas Tom Maior e Águia de Ouro e das cariocas Imperatriz Leopoldinense e Salgueiro, mesmo nascendo privilegiadas, já fizeram as suas.
Valéria Valenssa, que virou ícone ao encarnar a mulata Globeleza por 15 vezes, aderiu a um ritmo intenso para se despedir das vinhetas da emissora, em 2005. Nove meses depois do parto do segundo filho, ela teve 30 dias para emagrecer oito quilos, implantar silicone no peito, fazer lipoaspiração e retocar o umbigo. Alerta-se aqui que tudo acompanhado por médicos, personal trainer e nutricionista, como manda a cartilha da preservação da saúde. Casos como o da modelo Ângela Bismarchi, que já fez 42 intervenções – várias em função do sambódromo – passam longe do bom senso. Em busca da fama, o bizarro também surge na maior festa popular do Brasil, por tabela, o maior espetáculo da Terra.
Marcos Reichardt Cardoso
Dusponível em< http://www.radiocriciuma.com.br/portal/vernoticia.php?id=16919 > acesso em 1 de fevereiro

 
PODEMOS PENSAR O CORPO SOMENTE NO CARNAVAL? COMO AS COISAS MUDAM.... NOS PRIMÓRDIOS A FESTA DO MOMO ERA A FESTA DA ALEGRIA, DO DESMEDIDO, DA FARTURA NA COMIDA E NA BEBIDA, DO CORPO " LINDO, LEVE E SOLTO"... AGORA É O PERÍODO FOUCAULTIANO , DE VIGIASR E PUNIR OS DESMEDIDOS, OS OBESOS. MARGINALIZADOS PELA CULTURA DO CORPO PERFEITO.
PENSEM, REFLITAM E COMENTEM.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...