quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Kahtia Castilho : Uma fazedora de corpus e moda






KATHIA CASTILHO CUNHA
 Do corpo presente à ausência do corpo: moda e marketing
 DOUTORADO EM COMUNICAÇÃO E SEMIÓTICA PUC/SP - 2004
Tese apresentada à Banca Examinadora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, como exigência parcial para obtenção do título de Doutor em Comunicação e Semiótica –

Signo e Significação nas Mídias, sob a orientação da Profa. Dra. Ana Claudia Mei Alves de Oliveira.




Agradeço aos que deixam rastros de amor, linhas de amizade e pontos de luz em meu caminho, imprimindo em meus corpos e pensamentos marcas do que são.

As idéias presentes neste trabalho foram compartilhadas com familiares, amigos, alunos e professores.


Resumo
Com o avanço das mídias e com a consolidação do sistema industrial, o século XX passou por mudanças bastante significativas, promovendo principalmente a alteração dos sistemas de valores sociais que reorientaram os comportamentos humanos. Inserida neste novo cenário, a moda criou formas de manifestação inovadoras que determinaram e afirmaram a sua importância enquanto segmento cultural e econômico. Ao apropria-se dos discursos fundadores do contemporâneo, a moda passou a instigar o consumo de imagens, modelos diferenciados de corpos, e de estilos de vida numa crescente ressemantização do tempo e do espaço.

Refletir sobre este movimento à luz da teoria e da metodologia da Semiótica Discursiva, iniciada por A. J. Greimas e continuada por diversos colaboradores, é, pois, o caminho a ser trilhado por esta tese que visa a entender os procedimentos que fizeram com que ao corpo fosse agregada uma função publicitária. Elaboramos uma tipologização dos corpos aqui apresentados, orientada por duas grandes categorias: uma em que o corpo é manifestado como mídia; outra em que a mídia é próprio corpo.

Por inserir-se na área de Comunicação e Semiótica, esta pesquisa tem como objetivo principal acompanhar os modos de o corpo contemporâneo manifestar suas formas de presença e sua subjetividade, análise realizada sempre levando em conta as linguagens que se articulam para expressar tais sentidos. Parte integrante de nosso corpus são os corpos apresentados em canais de comunicação diversos: os desfiles e as revistas de moda, os editoriais e as campanhas publicitárias. Além disso, consideramos ainda quatro exposições que nos permitiram uma maior compreensão da relação estabelecida entre corpo e moda contemporânea:Sensation (Londres, 1997),

Spetacular Bodies (Londres, 2001), Skin (Nova York, 2002) e Extreme Beauty (Nova York, 2002). Palavras-chaves: semiótica; moda e corpo contemporâneo; subjetividade; identidade; estética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...