sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Do Corpo Desmedido ao Corpo Ultramedido

RESUMO

Considerando que a revista Veja é publicação de interesse geral e de maior circulação no país e também um manual de conduta sociocultural, desde os anos de 1960, o objeto desta pesquisa é a imagem do corpo feminino e suas significações passíveis de serem analisadas nas reportagens de capa da revista Veja que tratam do culto ao corpo, desde sua criação em 11 de setembro de 1968 até 2010.
Qual a imagem de corpo feminino que a Veja editou ao longo dos seus 42 anos de existência? Esse é o problema deste trabalho. A partir dai, tem-se outras questões que norteiam essa investigação: Que corpos foram excluídos pela revista, desde sua criação em 1968 até os dias atuais? Que marcas e significações corporais são codificadas no discurso midiático da Veja? Que traços corporais a revista reflete e retrata?
O objetivo geral é analisar as metamorfoses estéticas nos modos de tratar o corpo neste semanário, verificando-se ainda como a revista construiu seu diálogo com o leitor. Os objetivos específicos são: registrar e categorizar os vários tipos de corpos apresentados na Veja, desde o início de sua publicação, e identificar quais modelos são deixados de lado.
A hipótese central desta pesquisa é que no discurso midiático não há um ideal de corpo padronizado, mas um corpo ultramedido, normatizado por tal discurso, de acordo com os costumes sociais e as práticas de consumo de cada período da história, considerando que a espetacularização corporal da sociedade brasileira é retratada, dissecada, observada e ditada pela Veja.
Para acompanhar as alterações dos corpos e identificar signos transformadores da imagem feminina na sociedade brasileira, o corpus é composto de 56 capas da Veja e as respectivas reportagens de capa que têm como tema central o culto ao corpo.
A metodologia de trabalho percorreu a seguinte ordem: revisão bibliográfica a fim de selecionar bases teóricas sobre a questão proposta neste trabalho, além de pesquisa documental para análise das imagens do corpo.
O trabalho tem a possibilidade de contribuir com os novos estudos do corpo na área de Comunicação e da análise das significações das imagens corporais e comportamentais da história brasileira recente.

Palavras-chave: corpo ultramedido; culto ao corpo; beleza feminina; revista Veja
UM POUCO DO MEU TRABALHO




Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...