Tradução

sexta-feira, 28 de junho de 2013

O escultor que eterniza em pele as singularidades de um corpo nu

foto
João Carvalho divide-se entre o mundo artístico e o técnico e faz arte a partir dos dois. O MIRANTE visitou o atelier do artista plástico na localidade de Gouxaria, em Alcanena.

Edição de 2013-06-20
Imprimir ArtigoComentar ArtigoEnviar para um amigoAdicionar aos favoritos
Num espaço que evoca uma sala de cinema, num ambiente de semi-obscuridade, estão dispostas várias esculturas de corpos femininos e masculinos que integram a exposição “Nu Eterno”. Todos estão despidos e, sem face, são de certo modo enigmáticos. Não são todos corpos esbeltos. São esculturas feitas a partir de moldes humanos e, por isso, apresentam a forma que a pessoa comum tem. Estamos no interior do atelier do artista plástico João Carvalho, na localidade de Gouxaria, em Alcanena.
Assim que chegamos somos surpreendidos pelas linhas de um moderno edifício, rodeado por um exótico jardim de cactos, coleccionados pelo escultor nascido em Torres Novas há 51 anos. “As pessoas ficam impressionadas pela realidade com que são apresentadas as minhas peças. O conceito passa por registar as mudanças do nosso corpo em pele. Tenho aqui a escultura de uma mulher grávida ou de uma jovem que hoje tem menos 24 quilos”.
João Carvalho nasceu no meio da indústria dos curtumes sendo neto do fundador da empresa “António Nunes de Carvalho”, que ainda hoje funciona e estudou curtumes durante quatro anos na Alemanha, formação que terminou em 1983. Trabalhou com a família durante nove anos até se estabelecer por conta própria, prestando consultadoria a empresas nacionais e internacionais, no processo criativo. Descreve-se como um “designer” de pele, matéria-prima que considera “muito nobre” e que implica processos elaborados de transformação. “Depois de ser esfolada de um animal, a pele é um cadáver. Se não a tratarmos ela entra em putrefacção. E nós podemos dar-lhe vida novamente. Depois de curtida está conservada para sempre”.
Foi há alguns anos que concebeu a sua primeira escultura em pele a partir das mãos e dos pés de um colega com quem estava de férias: um Cristo. Resultou e quis fazer um corpo feminino, pedindo a amigas que servissem de modelos. Diz que as suas esculturas resultam da conjugação do processo evolutivo com o criativo. No início as esculturas mostravam apenas um lado do corpo, mas hoje são tridimensionais.
Começa por observar alguém, em seguida tira várias fotografias - uma paixão, a par das motos - visualiza a aplicação da pele e técnicas a aplicar de modo a obter a criação final. O processo com que cria as suas esculturas foi patenteado e, só depois, começou a fazer exposições. A primeira mostra realizou-se em 2006 no Europarque, em Santa Maria da Feira. Já aceitou fazer esculturas por encomenda e há obras que não vende por serem pessoais demais.
O designer diz que herdou do lado materno o amor pelo universo artístico, através do avô Pereira que se dedicava à pintura retratista. Do lado paterno, através do pai e do avô, recebeu o conhecimento e as técnicas de tratamentos de pele. “Comecei a pintar com o meu avô quando tinha 12 anos mas obtive a técnica necessária para me dedicar à escultura a partir da experiência nos curtumes. Desde a pele crua até inventar uma curtimenta que desse elasticidade mas também dureza no final. Foi isso que desenvolvi”, descreve. Curiosamente, ainda não imortalizou o seu próprio corpo.

Artista e empresário
Paralelamente à veia artística, João Carvalho é um empresário que trabalha com pele de vaca, bovino, caprino e ovino. “A minha actividade está ligada à moda. Há estilistas de marca que criam um sapato ou uma mala em pele. O meu trabalho passa por dar um tema a essa pele com várias técnicas que inventei e acabamentos”, exemplifica.
Também dá consultadoria técnica a empresas de curtumes e está a acabar um livro de tendências para o Inverno de 2014/2015 que vai apresentar em Setembro em feiras da especialidade. “As empresas de curtumes para as quais trabalho têm os seus clientes, as marcas para quem vendem. Os estilistas compram a essas empresas mas sou eu que desenvolvo as ideias para as pôr em produção”, explica.
João Carvalho é um apaixonado pelo que faz. Diz que não trabalha. Cria todos os dias. Passa o ano a viajar pelo mundo a participar em feiras, formações e reuniões. Sente que o seu trabalho é mais apreciado além-fronteiras. Por isso, está neste momento a terminar algumas esculturas e várias peças de mobiliário em pele que vão ser expostas em Itália.
“O tabu do corpo já não existe. Os jovens fazem tatuagens, colocam piercings. Acho fantástica a possibilidade da mulher, que tem mais cuidados estéticos que o homem, poder registar o seu corpo, em determinada fase da sua vida, em pele”, considera.
Diga o que pensa sobre este Artigo. O seu comentário será enviado directamente para a redacção de O MIRANTE.

O escultor que eterniza em pele as singularidades de um corpo nu

foto
João Carvalho divide-se entre o mundo artístico e o técnico e faz arte a partir dos dois. O MIRANTE visitou o atelier do artista plástico na localidade de Gouxaria, em Alcanena.

Edição de 2013-06-20
Imprimir ArtigoComentar ArtigoEnviar para um amigoAdicionar aos favoritos
Num espaço que evoca uma sala de cinema, num ambiente de semi-obscuridade, estão dispostas várias esculturas de corpos femininos e masculinos que integram a exposição “Nu Eterno”. Todos estão despidos e, sem face, são de certo modo enigmáticos. Não são todos corpos esbeltos. São esculturas feitas a partir de moldes humanos e, por isso, apresentam a forma que a pessoa comum tem. Estamos no interior do atelier do artista plástico João Carvalho, na localidade de Gouxaria, em Alcanena.
Assim que chegamos somos surpreendidos pelas linhas de um moderno edifício, rodeado por um exótico jardim de cactos, coleccionados pelo escultor nascido em Torres Novas há 51 anos. “As pessoas ficam impressionadas pela realidade com que são apresentadas as minhas peças. O conceito passa por registar as mudanças do nosso corpo em pele. Tenho aqui a escultura de uma mulher grávida ou de uma jovem que hoje tem menos 24 quilos”.
João Carvalho nasceu no meio da indústria dos curtumes sendo neto do fundador da empresa “António Nunes de Carvalho”, que ainda hoje funciona e estudou curtumes durante quatro anos na Alemanha, formação que terminou em 1983. Trabalhou com a família durante nove anos até se estabelecer por conta própria, prestando consultadoria a empresas nacionais e internacionais, no processo criativo. Descreve-se como um “designer” de pele, matéria-prima que considera “muito nobre” e que implica processos elaborados de transformação. “Depois de ser esfolada de um animal, a pele é um cadáver. Se não a tratarmos ela entra em putrefacção. E nós podemos dar-lhe vida novamente. Depois de curtida está conservada para sempre”.
Foi há alguns anos que concebeu a sua primeira escultura em pele a partir das mãos e dos pés de um colega com quem estava de férias: um Cristo. Resultou e quis fazer um corpo feminino, pedindo a amigas que servissem de modelos. Diz que as suas esculturas resultam da conjugação do processo evolutivo com o criativo. No início as esculturas mostravam apenas um lado do corpo, mas hoje são tridimensionais.
Começa por observar alguém, em seguida tira várias fotografias - uma paixão, a par das motos - visualiza a aplicação da pele e técnicas a aplicar de modo a obter a criação final. O processo com que cria as suas esculturas foi patenteado e, só depois, começou a fazer exposições. A primeira mostra realizou-se em 2006 no Europarque, em Santa Maria da Feira. Já aceitou fazer esculturas por encomenda e há obras que não vende por serem pessoais demais.
O designer diz que herdou do lado materno o amor pelo universo artístico, através do avô Pereira que se dedicava à pintura retratista. Do lado paterno, através do pai e do avô, recebeu o conhecimento e as técnicas de tratamentos de pele. “Comecei a pintar com o meu avô quando tinha 12 anos mas obtive a técnica necessária para me dedicar à escultura a partir da experiência nos curtumes. Desde a pele crua até inventar uma curtimenta que desse elasticidade mas também dureza no final. Foi isso que desenvolvi”, descreve. Curiosamente, ainda não imortalizou o seu próprio corpo.

Artista e empresário
Paralelamente à veia artística, João Carvalho é um empresário que trabalha com pele de vaca, bovino, caprino e ovino. “A minha actividade está ligada à moda. Há estilistas de marca que criam um sapato ou uma mala em pele. O meu trabalho passa por dar um tema a essa pele com várias técnicas que inventei e acabamentos”, exemplifica.
Também dá consultadoria técnica a empresas de curtumes e está a acabar um livro de tendências para o Inverno de 2014/2015 que vai apresentar em Setembro em feiras da especialidade. “As empresas de curtumes para as quais trabalho têm os seus clientes, as marcas para quem vendem. Os estilistas compram a essas empresas mas sou eu que desenvolvo as ideias para as pôr em produção”, explica.
João Carvalho é um apaixonado pelo que faz. Diz que não trabalha. Cria todos os dias. Passa o ano a viajar pelo mundo a participar em feiras, formações e reuniões. Sente que o seu trabalho é mais apreciado além-fronteiras. Por isso, está neste momento a terminar algumas esculturas e várias peças de mobiliário em pele que vão ser expostas em Itália.
“O tabu do corpo já não existe. Os jovens fazem tatuagens, colocam piercings. Acho fantástica a possibilidade da mulher, que tem mais cuidados estéticos que o homem, poder registar o seu corpo, em determinada fase da sua vida, em pele”, considera.
Diga o que pensa sobre este Artigo. O seu comentário será enviado directamente para a redacção de O MIRANTE.
http://semanal.omirante.pt/index.asp?idEdicao=605&id=92390&idSeccao=10427&Action=noticia

CRM apura na Paraíba prática de lipoaspiração com seis doses a mais de anestesia

O alvo é a 'lipo light', que segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica na Paraíba, traz risco de parada cardíaca e morte ao paciente
Saúde | Em 26/06/13 às 11h21, atualizado em 26/06/13 às 15h17 | Por Priscila Andrade
Lipo light
O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica na Paraíba, Saulo Montenegro, alertou nesta quarta-feira (26), para os perigos que os pacientes estão correndo com o novo método de lipoaspiração, conhecida como 'lipo light' (um tipo de procedimento que não necessita de internação hospitalar) que chegou à Paraíba. Um médico de outro estado trouxe esta prática para Campina Grande e João Pessoa.
"Os procedimentos da chamada lipo light são os mesmos que de uma lipoaspiração convencional. A diferença está na quantidade de gordura retirada e na anestesia, que é local", explica Montenegro.
Os profissionais da Medicina Estética oferecem a ideia de um corpo perfeito por meio de uma cirurgia rápida, sem a necessidade de internação hospitalar e, o melhor, por um precinho camarada."Dentro da Medicina não existe este termo. A 'lipo light' foi criada pela mídia. É um chamariz para atrair pacientes", afirma o cirurgião plástico Paulo Montenegro.
Ele denunciou que esta técnica é um perigo à saúde do paciente, já que utiliza anestesia local. “Quando realizamos a lipo tradicional aplicamos no máximo dois fracos de anestesia, já nesta nova técnica estão sendo aplicados cerca de sete frascos, medidas muito acima do permitido. O perigo é muito grande ao paciente que pode ter durante a cirurgia uma parada cardíaca ou cardiorrespiratória’, esclareceu.
Segundo o corregedor do Conselho Regional de Medicina, em João Pessoa, João Alberto Pessoa, uma sindicância 26/2013 já foi instaurada para apurar o caso. A fase atual é de apuração. O nome do médico está sendo mantido em sigilo para não atrapalhar nas investigações e o resultado deverá sair nos próximos 10 dias.
“Estamos apurando o caso, se for comprovado que houve infração ética ou que este procedimento esteja causando algum dano a pacientes, temos recursos para fazer interdição temporária da profissão, salientou o corregedor.
Entenda o que é Lipo Light:
1 – O Que é a Lipo Light?
Lipo Light é uma técnica médica para tratamento da gordura localizada de pequenas áreas. Esta foi desenvolvida a partir de duas técnicas médicas clássicas e reconhecidas a Hidrolipoclasia ultra-sônica(técnica Italiana) e a lipoplastia(técnica Francesa).
2 – Como é realizada a Lipo Light?
Inicialmente faz-se a hidrolipoclasia ultra-sônica(HLC-U) que consiste na injeção de uma solução fisiológica com anestésico, bicarbonato de sódio e adrenalina na área a ser tratada(gordura), fazendo com que a área fique inchada. As células de gordura(adipócitos) absorvem o líquido e aumentam de volume facilitando sua explosão. Esta explosão se consegue através do uso de ultrasom estético sob a pele, pois as ondas ultra-sônicas promovem uma vibração que provoca uma fissura na membrana das células de gordura, com consequente explosão.
Esta gordura fica mais dispersa e pronta para ser eliminada do corpo. Daí usamos micro-cânulas ligadas a uma seringa para aspirar toda gordura que foi desprendida. Outra parte da gordura e da solução injetada serão eliminadas pela urina. Este processo é totalmente indolor. Durante o procedimento o paciente está consciente e pode ouvir música . Depois coloca-se curativo com micropore, não sendo necessário dar pontos para fechar os orifícios que são minúsculos e quase imperceptíveis.
FONTE\; http://portalcorreio.uol.com.br/noticias/saude/profissionais/2013/06/26/NWS,225847,42,304,NOTICIAS,2190-CRM-APURA-PARAIBA-PRATICA-LIPOASPIRACAO-DOSES-ANESTESIA.aspx ACESSO EM 28 DE JUNHO
SERÁ QUE OS MÉDICOS CUBANOS VÃO RESOLVER O PROBLEMA??????????????????

Conheça mitos e verdades da barriga negativa

 

Especialistas avaliam se é saudável ou não conquistar um corpo com o novo padrão
Andréa Martinelli e Nathalia Ilovatte, do R7


 
CandiceReprodução/Instagram
Dietas de engorda para quem está muito magra!
A modelo Candice Swanepoel é sul-africana e impressiona pela magreza nas redes sociais

Quem nunca sonhou em ter uma barriga sequinha e livre de gorduras? A mais nova moda nas academias e entre as famosas é conquistar a chamada barriga negativa.
Esta “tendência” se espalhou após a modelo internacional Candice Swanepoel publicar uma foto em seu Instagram (rede social de compartilhamento de fotos) em que mostra sua barriga com os ossos do quadril e as costelas à mostra.
Algumas mulheres adotaram a barriga negativa como padrão de beleza e meta para dietas e exercícios físicos.
Segundo especialistas, essa é uma moda preocupante. Médicos apontam até que, quem tem barriga negativa, beira à anorexia nervosa.
 
Para o endocrinologista Henrique Suplicy, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, ter um abdome tão magro a ponto de os ossos do quadril ser mais proeminentes do que a barriga não é saudável.
— A barriga negativa é outro nome para anorexia nervosa. Para ficar desse jeito, é preciso estar com o Índice de Massa Corporal lá embaixo.
Para o especialista, a barriga negativa só pode existir em quem já perdeu massa magra além de gordura corporal, ou seja, músculos.
Qualquer um pode ter barriga negativa?
Para o endocrinologista João César Castro Soares, da Unifesp (Universidade Federal do Estado de São Paulo), algumas modelos e pessoas que têm uma compleição corporal magra podem ficar abaixo do peso e não ter uma desnutrição.
— Existem pessoas que têm o índice abaixo de 18 e que não estão necessariamente desnutridas. Isso porque elas têm uma compleição corporal longilínea, como a das modelos.
Porém, para dr. João, algumas pessoas devem tomar cuidado com a magreza excessiva mesmo tendo porte físico para suportá-la. O perigo está em perder peso inadequadamente.
— Existem mulheres que têm uma estrutura mais “larga” e não vão conseguir ficar abaixo do peso, sem ficar desnutrida. É preciso cuidado e orientação médica.
Quando alguém emagrece muito e fica abaixo do seu peso ideal, a barriga fica curvada para dentro, com uma imagem semelhante à da barriga negativa. dr. João comenta:
— As pessoas que têm anorexia, por exemplo, ficam assim. Quando há um emagrecimento excessivo, que leva a uma situação como essa, beira à desnutrição.

Comer menos e fazer uma dieta restritiva vai me ajudar?
A nutricionista Lorença Dalcanale, do Centro de Cirurgia da Obesidade e Síndrome Metabólica, diz que dietas muito restritivas não podem ser adotadas como um estilo de vida.
— Não é recomendado. Uma dieta muito pobre em nutrientes faz com que o corpo busque energia na massa muscular, o que faz com que a pessoa fique cada vez mais fraca. Não pode ser adotado como um estilo de vida.
O “estilo de vida” que a nutricionista cita, faz referência a dietas consideradas inadequadas para alcançar determinado padrão de beleza.
Para ter uma barriga sequinha e livre de gorduras, existem alimentos que podem te ajudar e exercícios físicos que permitem alcançar esse objetivo, sem precisar colocar a saúde e a constituição corporal em risco.
fonte: http://entretenimento.r7.com/receitas-e-dietas/noticias/conheca-mitos-e-verdades-da-barriga-negativa-20130623.html?question=0
SALVEM NOSSOS CORPOS

Hoje na História: 1911 - Nasce "Babe Didrikson", principal atleta mulher na primeira metade do século XX

 

Ainda criança, ganhou o apelido "Babe por sua habilidade em bater na bola de beisebol

Wikimedia Commons
Em 26 de junho de 1911, nasce em Port Arthur, Texas, Mildred Ella Didrikson Zacharias, designada em 1950 pela Associated Press como “Atleta Feminina da Primeira Metade do século XX”.

Ainda criança, Mildred ganhou o apelido "Babe," segundo o lendário beisebolista Babe Ruth, por sua habilidade em bater a bola de beisebol mais longe que qualquer outra pessoa em sua cidade.

Em 1930, depois de se destacar no basquete e no atletismo no Colégio Beaumont, foi contratada pela Employers Casualty Company de Dallas a fim de jogar pelo time de basquete no campeonato patrocinado pela AAU (Amateur Athletic Union). Dado que seu status de amadora terminaria se fosse contratada como atleta, a companhia contratou-a como “secretária” pondo logo em seguida uma bola de basquete em suas mãos. Ela competiu em nome da companhia, também no atletismo. Nas seletivas de atletismo da AAU, com vistas a formar a equipe de atletismo para os Jogos Olímpicos de 1932, em Los Angeles. Didrikson ganhou cinco das oito provas em que competiu, estabelecendo recordes mundiais em arremesso de dardo, 80 metros com barreiras e salto em altura.

Na olimpíada, Babe Didrikson conquistou duas medalhas de ouro. Tinha se qualificado para competir em cinco modalidades, porém o regulamento limitava em apenas três eventos a participação individual de um atleta. Um dia depois de ter estabelecido novo recorde mundial para o arremesso de dardo, marcou também um novo recorde mundial dos 80 metros com barreiras, batendo Evelyn Hall por décimos de segundo. Na prova de salto em altura terminou em segundo, conquistando a medalha de prata, empatada com a vencedora, a norte-americana Jean Shiley, devido a que os árbitros não aprovaram seu estilo de salto, que passa a cabeça antes do corpo.


Após os Jogos, Didrikson resolveu aproveitar-se de seu novo status de celebridade, viajando pelo país com times de beisebol e basquete e tocando harmônica no circuito de vaudeville. Naquele ano, foi indicada pela Associated Press como a Atleta Feminina do Ano pela primeira vez.

Em 1933, Babe passou a se dedicar ao golfe. Ela se tornou tão arrasadoramente dominante nesse esporte que ganharia o prêmio de Melhor Atleta Feminina da Associated Press cinco vezes mais, um esporte que viria a praticar quando tinha já mais de 20 anos. Durante sua carreira como golfista, Didrikson mostrou-se pouco disposta a “melhorar o visual” diante das câmeras como pedia a imprensa.

Quando lhe foi perguntado, por ocasião do Torneio Nacional de Celebridades, como podia uma moça lançar a bola do golfe tão longe, Babe retrucou “basta levantar as cadeiras e girar”. Didrikson ganhou 82 torneios de golfe.

Em 1949, ajudou a fundar a LPGA (Associação Feminina Profissional de Golfe). A despeito de seu impressionante cartel, o pedido de Didrikson de participar do Aberto Nacional de Golfe, organizado pela USGA (Associação de Golfe dos Estados Unidos), órgão que comandava o golfe masculino, foi reiteradamente negado. Embora o regulamento da USGA não proibisse especificamente, à época, a participação de mulheres, as regras foram logo alteradas para permitir que somente homens pudessem inscrever-se nos torneios organizados pela USGA.

Em abril de 1953 Babe soube que tinha câncer. Os médicos extirparam o tumor porém descobriram que a enfermidade já se tinha estendido pelos nodos da linfa e que era inoperável. Catorze semanas mais tarde participou de um torneio. No ano seguinte cumpriu uma temporada incrível, conquistando o seu terceiro US Open dos Estados Unidos e outros quatro títulos mais, que levaram a que fosse eleita pela sexta vez como a “Mulher Atleta do Ano”.

Em 1955 conseguiria ganhar seu derradeiro torneio. No entanto, as dores provocadas pelo câncer a fizeram abandonar definitivamente o esporte. Em 27 de setembro de 1956 falece em Galveston, Texas, aos 45 anos.

fonte: http://operamundi.uol.com.br/conteudo/historia/29635/hoje+na+historia+1911+-+nasce+babe+didrikson+principal+atleta+mulher+na+primeira+metade+do+seculo+xx.shtml
acessado em 28 de junho

domingo, 23 de junho de 2013

Casos chocantes: anorexia transforma vida de adolescentes em pesadelo

Charlotte Seddon foi mais uma vítima da anorexia. A jovem, de 17 anos de idade, escondeu de seus pais uma anorexia que a fez sofrer há quatro ano. Quando morreu, ela pesava 38 kg. Saiba maisPróxima
Charlotte Seddon foi mais uma vítima da anorexia. A jovem, de 17 anos de idade, escondeu de seus pais uma anorexia que a fez sofrer há quatro ano. Quando morreu, ela pesava 38 kg. Saiba mais
Foto: Reprodução/DailyMail

Casos chocantes: anorexia transforma vida de adolescentes em pesadelo

  • Mas depois de se sentir tão fraca, a ponto de cair na estrada ao tentar atravessar e quase ter sido atropelada, a jovem, começou sua longa jornada de tratamento para combater a doença.— Percebi que as coisas mais importantes são ter uma carreira e um corpo saudável para seguir em frente com a vida. Quero ter algo positivo a partir dessa experiência horrível para ajudar outras pessoas que sofrem com esse problema
  • Charlotte Seddon foi mais uma vítima da anorexia. A jovem, de 17 anos de idade, escondeu de seus pais uma anorexia que a fez sofrer há quatro ano. Quando morreu, ela pesava 38 kg. Saiba mais
  • A britânica Valéria Levitin, de 39 anos, foi considerada uma das mulheres mais magra do mundo por causa do transtorno alimentar. Mas conseguiu superar a doença. Hoje  sua dieta inclui apenas frutas, uma pequena porção de carne e legumes. 
Muitos alimentos precisam ser evitados, pois seu corpo não consegue 
digerir corretamente. Saiba mais
  • De acordo com ela, as críticas da mãe contribuíram para o surgimento da doença.— Minha mãe tinha medo que eu engordasse. Por essa razão, ela restringia minha alimentação
  • A babá Catherine Thomson, de 27 anos, lutou contra a anorexia por sete anos. Porém, só venceu o distúrbio ao ficar grávida do primeiro filho
  • Por causa da doença, ela perdeu mais de 30 kg. Ela conta que começou a ter o distúrbio após uma dieta leve, que acabou se transformando em uma avalanche.— Achei bem fácil perder peso e emagrecer me dava uma sensação boa. Sentia que tinha controle de algo na minha vida e por isso eu gostava tanto disso. Eu sofria desprezo na escola e estava em um relacionamento ruim. Isso reduziu minha confiança
  • Diferentemente de Charlotte, a enfermeira de 26 anos Harriet Smith conseguiu superar o distúrbio 
alimentar que quase a levou à morte e deu uma verdadeira 'virada de 
mesa' em sua vida. Hoje, ela corre e sonha em completar a Maratona de 
Londres. Leia mais
  • Foram 12 anos de luta contra a anorexia. Ela emagreceu até quase definhar, mas se recuperou e chegou aos 61 kg, seu peso normal
  • Avançar
  • AnteriorMas depois de se sentir tão fraca, a ponto de cair na estrada ao tentar atravessar e quase ter sido atropelada, a jovem, começou sua longa jornada de tratamento para combater a doença.— Percebi que as coisas mais importantes são ter uma carreira e um corpo saudável para seguir em frente com a vida. Quero ter algo positivo a partir dessa experiência horrível para ajudar outras pessoas que sofrem com esse problemaPróxima
    Mas depois de se sentir tão fraca, a ponto de cair na estrada ao tentar atravessar e quase ter sido atropelada, a jovem, começou sua longa jornada de tratamento para combater a doença.

    — Percebi que as coisas mais importantes são ter uma carreira e um corpo saudável para seguir em frente com a vida. Quero ter algo positivo a partir dessa experiência horrível para ajudar outras pessoas que sofrem com esse problema
    FONTE:http://noticias.r7.com/saude/fotos/casos-chocantes-anorexia-transforma-vida-de-adolescentes-em-pesadelo-17062013#!/foto/3

    Casos chocantes: anorexia transforma vida de adolescentes em pesadelo

    Emma O’Neil, de 22 anos, de Glasgow, Inglaterra, também quase morreu vítima da mesma doença. Ela chegou a pesar 20 kg e passou a adolescência dentro e fora do hospital. Muitas vezes, quando estava deitada na cama, ficava com hematomas pelo corpo. Saiba maisPróxima
    Emma O’Neil, de 22 anos, de Glasgow, Inglaterra, também quase morreu vítima da mesma doença. Ela chegou a pesar 20 kg e passou a adolescência dentro e fora do hospital. Muitas vezes, quando estava deitada na cama, ficava com hematomas pelo corpo. Saiba mais
    Foto: Reprodução/DailyMail

    Casos chocantes: anorexia transforma vida de adolescentes em pesadelo

    Distúrbio alimentar leva jovens a pesar 20 kg
    AnteriorCom 29 kg, Sian Clarke, 19 anos de idade, quase morreu após passar por cinco hospitais e não receber atendimento adequado. A informação é do jornal Daily Mail deste domingo (16) De acordo com a mãe da menina, Denise Clarke, 40 anos, foram oito meses de sofrimento até que sua filha conseguisse ser atendida em uma clínica. — Os médicos me disseram que ela estava à beira da mortePróxima
    Com 29 kg, Sian Clarke, 19 anos de idade, quase morreu após passar por cinco hospitais e não receber atendimento adequado. A informação é do jornal Daily Mail deste domingo (16) De acordo com a mãe da menina, Denise Clarke, 40 anos, foram oito meses de sofrimento até que sua filha conseguisse ser atendida em uma clínica.

    — Os médicos me disseram que ela estava à beira da morte
    Foto: Reprodução/MailOnline

    Uma doença praticamente de mulher

     

    Apesar de também atingir os homens, a infecção urinária, na maioria dos casos, é mais uma das tantas doenças que geralmente incomodam as mulheres.

    Diário do SudoesteDayanne do Nascimento
    (Foto: Maya/Diário do Sudoeste)
    Pouco comum nos homens, a infecção urinária é uma doença praticamente das mulheres, podendo atingir cerca de 10% delas. Conforme o urologista Marco Aurélio Mesquita Di Napoli Filho, a principal influência para o seu aparecimento ser maior no corpo feminino é a anatomia, pois a uretra, canal que conduz a urina, nas mulheres, é mais curta e muito próxima ao ânus, quando comparada com a do homem. Nas mulheres a uretra tem de quatro a cinco centímetros, já nos homens, aproximadamente 12 centímetros.
    A infecção urinária pode afetar os rins, a bexiga e a uretra e pode ser causada por vírus ou fungos, mas na grande maioria por bactérias, que podem estar presentes na vagina ou no aparelho intestinal baixo (ânus e reto) e acabar passando pelo canal da uretra, causando a infecção.
    Alguns fatores podem contribuir para que essa bactéria acabe provocando a infecção urinária, como segurar o xixi por muito tempo; no caso das mulheres, limpar-se de trás para frente após evacuar; alterações hormonais; baixa da imunidade como ocorre na gravidez; predisposição genética; uso de sondas; doenças neurológicas, infecção ginecológica e mesmo o ato da relação sexual. Após uma relação anal, por exemplo, mesmo que o homem lave o pênis, as bactérias podem se instalar e contaminarem a mulher em uma próxima relação sexual. Se a relação anal for seguida diretamente por uma relação vaginal, os riscos são ainda maiores. Por isso também a importância de usar proteção durante as relações íntimas.
    O médico urologista explica que embora a urina contenha uma variedade de fluidos, sais e produtos que o metabolismo excreta, ela geralmente não possui bactérias. Ele também explica que muitas pessoas associam a infecção urinária à questão do frio, mas na verdade não tem relação. O que acontece é que com o frio podem surgir sintomas de irritação da bexiga e as pessoas podem confundir com a infecção.
    Sintomas
    Segundo Di Napoli, entre os sintomas que indicam uma infecção urinária está a dor ou a ardência ao urinar, a dificuldade para iniciar a micção; vontade de urinar diversas vezes ao dia e em pequenas quantidades; vontade abrupta de urinar; urina com mau odor e coloração alterada e até mesmo sangramento (em alguns casos). Ele também destaca que quando existe uma infecção urinaria alta (pielonefrite), geralmente há dor nas costas e essa pode vir acompanhada de sintomas sistêmicos, como febre, náuseas, vômitos e mal estar geral.
    Tratamento
    O urologista explica que após o diagnóstico, feito através de exames de urina, o tratamento é realizado com antibioticoterapia e medidas para evitar novos episódios. Ele destaca que a demora ou a não procura por um tratamento podem resultar em complicações mais graves, como uma infecção urinária mais séria.
    Formas de prevenção
    A mudança de alguns hábitos diários podem contribuir para evitar o aparecimento de infecções urinárias, como beber bastante líquido ao longo do dia, cerca de dois a quatro litros. Evitar segurar a urina, devendo urinar sempre que sentir necessidade, pois, de acordo com o urologista, o acúmulo de urina dentro da bexiga pode provocar uma proliferação de bactérias, dando chance à infecção. Urinar após as relações sexuais. Sempre praticar relações sexuais com camisinha. Realizar uma boa higiene íntima.
    http://www.diariodosudoeste.com.br/noticias/saude/24,29099,21,06,uma-doenca-praticamente-de-mulher.shtml

    Jackie Stallone fala sobre excesso de plásticas: 'Pareço um esquilo!'

     

    Jackie Stallone, mãe de Sylvester Stallone, fala numa entrevista exclusiva como está arrependida das inúmeras cirurgias que fez. Contudo, ainda é adepta deste tipo de procedimentos cirúrgicos, mesmo que a tenham deixado com a cara desfigurada!

    21 Junho 2013, às 15:46
    151198265.jpg
    Jackie Stallone
    Veja a(s) imagem(s) em página inteira
    Veja a(s) imagem(s) em página inteira
    Jackie Stallone, de 91 anos, mãe do ator Sylvester Stallone, admitiu, pela primeira vez, numa entrevista exclusiva ao jornal Daily Mail, o quanto se arrepende de ter feito inúmeras cirurgias plásticas.
    Além disso, também fala sobre o ano de 'horror' em que sofrer um ataque cardíaco e viu a sua filha Toni Ann Filti e o seu neto Sage morrerem.
    Contudo, ainda que tenha o rosto bastante desfigurado, Jackie admite que não largou a vaidade! 'Ainda sou adepta dos procedimentos cirúrgicos e na verdade já fiz demais. Parece que estou com a boca cheia de nozes. Foi demasiado Juvederm (um preenchedor facial que suaviza as rugas e realça os contornos do rosto). Pareço um esquilo!'
    No entanto, a mãe de Sylvester Stallone ainda frequenta tapetes vermelhos e explica como se mantém em forma e com saúde nesta idade: ‘Para o meu pequeno-almoço, como sempre espinafres cozidos a vapor e junto um ovo. Este é o segredo da minha longevidade.’


    Ler mais: http://activa.sapo.pt/famosos/vip/2013/06/21/jackie-stallone-fala-sobre-excesso-de-plasticas-pareco-um-esquilo#ixzz2X3YxSCXH
     

    EXPOSIÇÃO SOBRE A HISTORIA DA MUKHER NA DITADURA

    Educação - 18/06/2013 15:54h

    Exposição sobre papel da mulher na história

    Em colégio de Santo Antônio da Platina
    clique para aumentarExposição sobre papel da mulher na história
    Exposição sobre papel da mulher na história
    • Exposição sobre papel da mulher na história
    O Prof. Me. Luis Ernesto Barnabé promoveu, juntamente a Prof. Supervisora Eliane Borges Disseró e com os alunos bolsistas do Programa Institucional de Iniciação à Docência, nesta segunda-feira, dia 17, no Colégio Estadual Rio Branco de Santo Antônio da Platina, uma exposição com o tema Mulheres na História.
    O objetivo central da exposição foi mostrar o papel feminino na história, bem como a repressão que as perseguições de gênero, englobando variadas épocas e acontecimentos históricos, tais como a desconstrução da identidade da mulher judia durante o regime nazista, a demonização da mulher através da figura da bruxa, a mulher e sua participação da Ditadura Militar, a mulher indígena e a mulher no contexto escolar.
    Através da exposição de painéis didáticos de cada tema, e explicação por parte dos universitários, os alunos circularam pelo ambiente e puderam perceber como a história foi construída como uma “história dos homens” e, portanto, precisa ser redescoberta e repensada.
    O evento mostrou-se extremamente atrativo pelo comparecimento e interesse maciço dos alunos que aproveitaram ao máximo a experiência de conhecer e saber um pouco sobre o espaço que a mulher ocupou na história e o que isso reflete no presente.

    semana intensa de manifestações

    o gigante adormecido acordou! E CHOROU !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
     

    cada um na sua



    quarta-feira, 5 de junho de 2013

    Os modos de ver...

                                                  
    Publicado por

    Os modos de ver, tratar e consumir a beleza
    feminina na juventude



    Atualmente a jovem mulher inicia sua vida de consumo e independência na sociedade mais cedo. É necessário ampliar o mercado, e esta faixa etária torna-se um filão essencial para o crescimento de produtos de higiene e beleza para os cabelos, rosto e corpo em geral, tais como: xampus, maquiagens, cremes, protetores solares e tatuagens. De acordo com o livro O tempo da Beleza , publicado em 2008, por Casotti, Campos e Suarez, elas vivem um período que pode ser delimitado pelo fim da adolescência e pela entrada no mercado de trabalho. Marca o início da vida adulta com a definição profissional, a busca de relações amorosas, a relativação da influência familiar, segundo as autoras: “parece fazer deste um momento emocionalmente intenso, em que a preocupação com a aparência ocupa um lugar central na atenção das mulheres”.
    Outro dado significativo foi registrado na pesquisa “Caderno Capricho sobre a Garota Brasileira”, desenvolvida em 2009, pelo núcleo jovem da Abril: Pele do rosto – oleosidade e espinhas são os problemas que mais preocupam as jovens quando o tema é a pele do rosto. E elas já adotam uma rotina de cuidados adultos. Elas usam regularmente: 48% sabonete facial; 40% secativo para espinhas; 39% protetor solar e hidratante para o rosto; 33% esfoliante; 30% demaquilantes e 19% das garotas usam produtos prescritos pelo médico;
    Cabelo – é a preocupação número 1 no visual. Se o cabelo não está bom, o humor e a autoestima diminuem e não dá vontade nem de sair de casa. Elas usam regularmente: 54% chapinha; 52% secador; 41% creme para pentear; 35% creme de tratamento e 33% silicone para as pontas;
    Maquiagem para o dia-a-dia – elas adoram usar blush, batom, sombras, lápis, delineador, máscara. Esse é o jeito mais rápido, fácil e até mesmo barato de transformar o visual. As jovens brasileiras adotaram o modelo americano, elas usam maquiagem até para ir à escola. 73% usam gloss; 59% usam lápis de olho; 54% usam rímel; 42% usam pó; 40% usam blush e 40% usam base. (fonte: Núcleo Jovem, 2009). De acordo com a pesquisa “O Tempo da Beleza” realizada em 2008 pelas autoras acima citadas, o consumo juvenil está fortemente relacionado com o espelho, pois são vários os momentos e os espaços onde essas mulheres se detêm para observar sua imagem refletida.
    Fonte da Imagem: Free New (Créditos e Divulgação)

    Após críticas à capa com Bündchen, Vogue explica 'edição especial'

    Gisele Bündchen é a estrela da edição de junho da Vogue Brasil. Apesar de trazer o clique do fotógtafo Mario Testino, a capa da publicação, no entanto, não agradou aos leitores
    Após receber críticas nas redes sociais pelo design da capa estrelada pela top brasileira Gisele Bündchen, a revista Vogue publicou uma descrição sobre como foi feita a produção e edição da publicação especial. O design gráfico foi assinado pela agência de base criativa e estratégica de Mario Testino, Higher+Higher, que se baseou em revistas de moda do fim dos anos 1980, quando as revistas celebravam o corpo com mensagens de otimismo.
    “Quando idealizei esse especial sobre o corpo, imediatamente pensei em um layout que fosse enérgico. Essa energia está ligada à visão de que o corpo humano é a máquina perfeita, que acho muito instigante”, disse Testino satisfeito com o resultado final. Laura Rule, diretora criativa da agência, contou que a equipe optou por tipografia simples fazendo um jogo de perspectiva e proporção, para transmitir movimento e poder ao corpo.  
    Quando idealizei esse especial sobre o corpo, imediatamente pensei em um layout que fosse enérgico. Essa energia está ligada à visão de que o corpo humano é a máquina perfeita, que acho muito instigante”, disse Testino satisfeito com o resultado final. Laura Rule, diretora criativa da agência, contou que a equipe optou por tipografia simples fazendo um jogo de perspectiva e proporção, para transmitir movimento e poder ao corpo. 
    Apesar da satisfação do fotógrafo Testino e da equipe gráfica, leitores acusaram o design da capa da revista de ser ofensivo ao trabalho fotográfico e mal feito. A Vogue publicou em seu site também os nomes de renomados profissionais que integraram a edição especial.
    Em julho de 2012, a brasileira estrelou a capa da Vogue Coreia
    Em dezembro de 2011, Gisele estampou a capa da Vogue inglesa
    Em junho de 2011, Gisele fez quatro diferentes capas para a Vogue Brasil
    Gisele em capa da edição de junho de 2011 para a Vogue Brasil
    Gisele em capa da edição de junho de 2011 para a Vogue Brasil
    Gisele em capa da edição de junho de 2011 para a Vogue Brasil

    Quer envelhecer melhor?

    Na minha pesquisa sobre corpo, envelhecimento e felicidade, 38% das mulheres e 25% dos homens entrevistados disseram ter medo de envelhecer.
    Ambos os sexos temem as mesmas coisas em relação ao envelhecimento: doenças, limitações físicas, dependência, necessidade de dar trabalho aos outros, perda de memória, solidão, abandono, desrespeito, falta de dinheiro e morte.
    Só os homens, no entanto, mencionaram o medo de ficar sem emprego na velhice, de ter arrependimentos, de frustrações, ficar inútil, chato ou deprimido.
    Quando perguntei: "Quem envelhece melhor: o homem ou a mulher?", os pesquisados de todas as faixas etárias afirmaram que os homens envelhecem melhor do que as mulheres.
    Um único grupo afirmou que as mulheres envelhecem melhor do que os homens. Esse grupo específico acredita que os homens ficam mais dependentes de outras pessoas do que as mulheres na velhice, têm mais problemas de saúde, morrem mais cedo, bebem mais, comem mal, são sedentários, ficam deprimidos depois da aposentadoria, têm menos amigos, não sabem aproveitar o tempo livre etc.
    Que grupo seria esse, afinal, que se diferencia de todos os demais?
    Curiosamente, apenas as mulheres de mais de 60 anos acreditam que os homens envelhecem pior.
    Justamente aquelas que já envelheceram negam a crença que sempre alimentaram: a de que o envelhecimento masculino é melhor do que o feminino. A experiência concreta da velhice prova que elas estavam completamente enganadas.
    Uma fonoaudióloga de 65 anos declarou: "Sempre acreditei que os homens envelheciam muito melhor, que suas rugas e seus cabelos brancos eram um charme. Quando envelheci de verdade percebi que isso é uma grande mentira".
    Essa entrevistada considera que está "muito melhor" do que o seu marido em todos os sentidos: mais bonita, mais feliz e com mais saúde.
    "Além de careca e barrigudo, ele passa o dia inteiro vendo televisão."
    Mais velhas, elas constatam que, na prática, as mulheres estão mais bonitas, mais cuidadas e mais saudáveis do que os homens. Além disso, elas afirmam que estão mais felizes, mais independentes e que estão aproveitando muito mais as vantagens da maturidade do que os homens.
    Por que, então, as mulheres mais jovens têm tanto medo de envelhecer e continuam reforçando a crença de que os homens envelhecem melhor?
    Mirian Goldenberg
    Mirian Goldenberg é antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É autora de "Coroas: corpo, envelhecimento, casamento e infidelidade" (Ed. Record). Escreve às terças, a cada quatro semanas, na versão impressa de "Equilíbrio".

    Sou feliz sendo prostituta

    Exoneração de diretor responsável por campanha “Sou feliz sendo prostituta” é publicada no Diário Oficial

    Ministro Alexandre Padilha disse que ministério não deu aval para peça publicitária
      •   Da Agência Brasil

    Diretor de campanha "Sou feliz sendo prostituta" é demitidoDivulgação
    O diretor do Departamento de DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis), Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Bartolomeu Greco, foi exonerado de seu cargo, de acordo com publicação do Diário Oficial da União desta quarta-feira (5).
    El foi demitido após a divulgação de uma campanha para o Dia Internacional das Prostitutas com a frase “Sou feliz sendo prostituta". A ordem de exoneração partiu do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, mas a portaria é assinada pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

    Não há detalhes sobre as razões que motivaram a saída do especialista do cargo.

    A campanha “Sou feliz sendo prostituta" foi lançada no último fim de semana nas redes sociais pelo departamento dirigido por Dirceu. Nesta terça-feira (4), Padilha disse que o ministério não avalizava a peça e informou que, enquanto estivesse no cargo, a mensagem não faria parte da campanha da pasta.

    Em nota, o Ministério da Saúde informa que as peças expostas "não foram aprovadas pela assessoria de comunicação social, como ocorre com todas as campanhas". Também esclarece que a campanha foi elaborada a partir de oficina de comunicação comunitária, conduzida pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais com representantes desse público-alvo.
    Ministério lança campanha "Sou feliz sendo prostituta"
    A nota diz ainda que as peças são analisadas pela assessoria e que serão disponibilizadas se aprovadas. A campanha “ Sou feliz sendo prostituta” gerou críticas de grupos conservadores e também de religiosos.
    fonte: http://noticias.r7.com/saude > acessado em 5/6

    Diretor da Saúde é exonerado após polêmica com campanha que defende prostituição

    4/6/2013 às 20h43 (Atualizado em 4/6/2013 às 23h15)
    Peça com os dizeres "eu sou feliz sendo prostituta" desagradou parlamentares

     
    Agência Estado

    O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, exonerou nesta terça-feira (4) o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Dirceu Greco. A decisão foi tomada três dias depois da divulgação de uma campanha para combater o preconceito contra profissionais do sexo, que incluía uma peça com os dizeres: "Eu sou feliz sendo prostituta". Elogiado por médicos e especialistas na prevenção de DST-Aids, o material provocou protestos entre a bancada evangélica. Nesta terça-feira, no Congresso, parlamentares pediram explicação sobre o tema.
    Padilha mandou, nesta noite, retirar todo material dessa campanha do site do DST-Aids, abrigado no portal do Ministério da Saúde. Pela manhã, o ministro havia determinado a retirada apenas da peça "Eu sou feliz sendo prostituta". De acordo com ele, o material havia sido veiculado sem passar pelo crivo do departamento de publicidade. Greco estava no cargo desde meados de 2010.
    fonte: http://noticias.r7.com/brasil/diretor-da-saude-e-exonerado-apos-polemica-com-campanha-que-defende-prostituicao-04062013 acessado em 5/6
     

    Pessoas mais inteligentes dormem tarde, diz estudo

     

    E quem tem QI baixo acorda cedo e funciona melhor durante o dia, acrescentam
    Do R7
    pessoa dormindoReprodução/Getty Images
    Pessoas com QI alto dormem e acordam tarde, diz pesquisadores

    Pessoas com QI alto são mais propensas a trabalhar melhor à noite, enquanto que os menos inteligentes acordam cedo e funcionam melhor durante o dia, segundo os pesquisadores da Escola de Economia de Londres.
    Outros estudos encontraram uma ligação entre o período vespertino com tirar notas boas na escola, diz a pesquisa, republicada pelo site Winnipeg Free Press.
    No entanto, as pessoas que ficam acordadas até tarde são menos confiáveis e mais propensas a sofrer de depressão e vícios diversos, quando comparado com aqueles que dormem e acordam cedo.
    http://noticias.r7.com/saude/noticias/pessoas-mais-inteligentes-dormem-tarde-diz-estudo-20120619.html?question=0