sábado, 2 de abril de 2011

Plásticas realçam os traços, mas não fazem milagres



Muitas mulheres buscam incansavelmente por um tipo de estética que, algumas vezes vem atrelada a um ideal inalcançável. A indústria da beleza imposta pela mídia, explorando o símbolo da mulher perfeita, sem celulite e seios perfeitos também influencia o lado psicológico da paciente. E isso faz com que a cirurgia plástica passe a ser considerada a solução mais rápida e eficiente para mudar a imagem do espelho.




Só que muitas pessoas esquecem que as mulheres que estão nas capas das revistas passam por um processo de manipulação de imagem, onde não há nenhuma ruga, celulite, estria, etc. Existe alguma mulher assim? Com 30 anos sem sofrer nenhuma interferência do tempo? É muito comum as pacientes chegarem aos consultórios pedindo um nariz igual da modelo Gisele Bündchen, a boca da atriz Angelina Jolie ou a barriga da Deborah Secco. As mulheres estão perdendo a sua singularidade para atingir um falso "padrão ideal".



Desta forma, a expectativa depositada no procedimento cirúrgico é muito alta, a busca incessante pela beleza interfere no resultado e o arrependimento é o primeiro sentimento a acometer o paciente. "O papel do cirurgião plástico não se restringe apenas no momento da cirurgia. Vai muito além, cabendo a nós orientar a paciente e indicar os melhores recursos de acordo com o biotipo de cada pessoa", afirma o cirurgião plástico Gustavo Tilmann, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).



A cirurgia plástica é uma especialidade médica que ajuda a mulher a se sentir melhor e valoriza a sua beleza natural e não para fazer grandes transformações, contrariando a vida. Afinal, que mulher não gosta de aperfeiçoar o que ela tem? Ou, em casos que a pessoa tem orelha grande ou nariz, e durante a infância passou por alguns traumas. Nesses casos a cirurgias é muito importante e não se trata apenas de estética, pois influencia na auto-estima do paciente.



A razão para optar pela cirurgia plástica deve ser um desejo da paciente e não para agradar alguém. Além disso, a pessoa precisa estar ciente que a plástica não é a solução dos problemas, mas sim um recurso, pois se você não tem confiança em si mesmo, não será um procedimento estético que irá melhorar.

Disponivel http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-34--70-20110331&tit=plasticas+realcam+os+tracos+mas+nao+fazem+milagres acesso em 2 de abril
PARA CONHECER E REPENSAR OS DESEJOS DA CIRURGIA PLÁSTICA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONG explica campanha feminista com Cruzeiro, que vira destaque internacional

Ação é tida como a primeira de uma sequência de etapas de conscientização   João Vítor Marques /Superesportes  ,  Tiago Mattar /Superes...